22º Festival Internacional de Curtas Metragens 2011

O feminino, o instigante e o provocador dão as cores do 22º Festival Internacional de Curtas Metragens 2011
Em mais de 400 filmes, a edição 2011 do Festival de Curtas traz programação para todas as idades, durante oito dias, em nove salas da cidade. A entrada é gratuita.
O grande encontro do curta-metragem internacional acontece em São Paulo, de 26 de agosto a 2 de setembro, com sessões gratuitas em oito salas espalhadas por toda a cidade. A sede do evento é a Cinemateca Brasileira, mas o Festival também acontece no CineSESC, Museu da Imagem e do Som, Espaço Unibanco Augusta, Centro Cultural São Paulo, Cine Olido e Cinusp, com atividades especiais no Museu do Futebol e no Cine Eldorado, de Diadema.
Cerca de 3 mil filmes foram assistidos, de 96 países. Destes, mais de 400 foram selecionados para compor as sete mostras e os 19 programas especiais criados para esta edição do Festival, que conta com o patrocínio da Petrobras. “Pode parecer que a rotina de fazer um festival consolidado seja meio pragmática, num moto contínuo. Mas é exatamente o contrário. A cada ano, tudo é novo. Os curtas têm isso, nos dão o panorama do momento. O resultado da Mostra Internacional, da Mostra Latino-americana e dos Programas Brasileiros é uma programação boa de assistir, porque é uma oportunidade de ver um novo recorte do mundo, a cada ano”, comenta a diretora do Festival, Zita Carvalhosa.
Este ano, dois grandes destaques: temas relacionados ao universo da mulher, no programa Feminino Plural, apresentado pela empresa de cosméticos Avon, e o Fashion Curtas, um programa especial que mostra como os estilistas e as grandes grifes internacionais e brasileiras estão usando o audiovisual para transmitir seus conceitos e divulgar suas marcas.
A seguir você confere, mostra a mostra, o que o Festival traz este ano e, no final, um resumo de todas as atividades especiais associadas à programação.

> O Feminino em destaque
Com destaque especial para temas relacionados ao universo da mulher, neste ano temos a parceria da Avon, apresentando a mostra especial “Feminino Plural”. São oito programas que reúnem 44 curtas brasileiros e internacionais. “Tenho observado muito como a mulher, especialmente no Brasil, vem assumindo seu espaço, nas mais diversas áreas. Quisemos compartilhar isso aproveitando o vigor do curta-metragem como forma de expressão e a visibilidade que o assunto pode conquistar num festival de âmbito internacional. O Festival de Curtas acontece no Brasil e acredito que vivemos num país onde as conquistas femininas estão no bom caminho. Adoramos a idéia de abrir esse tema para o debate”, afirma Zita Carvalhosa.
Os cinco programas “Brasileiras” são dedicados às realizadoras que vêm despontando desde o ano 2000 no cenário nacional e que se destacaram nas várias edições do Festival. São realizadoras de todos os cantos do país que marcam presença na produção do audiovisual brasileiro contemporâneo.
No sexto programa, intitulado “Diretoras de outros cantos”, estão reunidos filmes de realizadoras estrangeiras que já passaram pelo Festival e estão com suas carreiras em pleno desenvolvimento pelo mundo afora. O sétimo programa, intitulado “Uma visão política”, é composto por filmes inscritos neste ano que discutem questões envolvendo o universo feminino.
Para finalizar, o oitavo programa da mostra especial, “Fale sem medo”, é o resultado de um concurso promovido pelo Festival “Expresión em Corto”, do México, cujos filmes vencedores fizeram parte da programação do Festival de Cannes de 2011. A compilação, patrocinada pela Avon, reúne filmes que discutem a questão da violência contra a mulher, tema central de uma campanha de investimento social global que a empresa coloca em prática nos mais de 100 países onde está presente.
A Avon reconhecerá publicamente duas mulheres realizadoras de filmes programados no Festival de Curtas deste ano (Mostra Internacional, Latino e Brasileira), por meio de um prêmio no valor de R$ 5 000,00 para cada uma. Os filmes dessas realizadoras também abrirão as exibições da mostra “Feminino Plural” que ocorrerão em três capitais do nordeste brasileiro, João Pessoa, Salvador e Fortaleza, após as exibições em São Paulo.
Na noite de 26 de agosto, uma cerimônia na Cinemateca Brasileira celebrará as cineastas da mostra especial “Feminino Plural”, homenageando a atriz Dira Paes, por sua parceria com o cinema brasileiro de curta e longa-metragem, sua carreira de sucesso no cinema e na televisão, seu empreendedorismo como diretora do Festival de Belém e por suas qualidades como ser humano.

> Programas Brasileiros
De um universo de mais de 600 produções, foram selecionados os filmes que compõe as tradicionais Mostra Brasil e Panorama Paulista. Participam dessas duas mostras também os filmes produzidos por alunos de cursos de audiovisual e de oficinas e núcleos independentes de produção. O universo brasileiro se completa com a mostra das Oficinas Kinoforum, em dois programas, e com vários especiais, com filmes reunidos por sua aproximação estética ou temática.

 Mostra Brasil
Reúne 56 filmes vindos de 15 estados brasileiros. Muitos fazem sua estreia. O curta-metragem nacional tem flertado fortemente com hibridismos e experimentações de narrativa, sem nunca deixar a observação crítica e a vivacidade saírem de cena. Nesse mundo de filmes, o pessoal se faz universal, o documentário brinca com a ficção, as artes plásticas se infiltram e deixam impressões, uma tela de cinema desvirtua o real. Em múltiplas faces e encontros narrativos, elementos que ampliam a força da nossa cinematografia.
Entre os destaques, estão:
CORPO PRESENTE, de Marcelo Pedroso (PE): Forte composição visual, que instiga o espectador a uma reflexão sobre o corpo e a morte a todo instante. Estreia.
L, de Thaís Fujinaga (SP): A relação com o próprio corpo de uma adolescente que tem os pés
grandes. Sensível e humano, direção segura. Estreia.
OFERENDA, de Ana Bárbara Ramos (PB): Documentário em que a diretora revela suas relações com a própria espiritualidade. A diretora também está na mostra Feminino Plural.
TELA, de Carlos Nader (SP): Um jogo entre os limites da realidade, ficção e sonho, do grande videoartista e realizador consagrado. Mariana Ximenes no elenco. Ganhador do Festival de Paulínia em 2011.
GISELA, de Felipe Sholl (RJ): No enredo uma mulher casada entra num processo de esquizofrenia pela ausência do marido. Belíssimo trabalho da atriz Carla Ribas, ao lidar com a loucura e os limites da sanidade a partir de situações domésticas. Estreia.

 Panorama Paulista
A casa do curta-metragem paulista, uma produção vigorosa que representa 35% das inscrições de filmes brasileiros. A versatilidade também é grande, fruto dos múltiplos interesses que o estado reúne. Filmes da capital provêm das mais diversas origens — de autores publicitários e jornalistas a coletivos independentes e alunos de cursos de audiovisual. Do interior, a produção aumenta e se torna mais representativa em regiões que consolidaram eventos audiovisuais, ou seja, a oportunidade de assistir aos filmes estimula os jovens realizadores a se expressar dessa forma.
Destaques:
AGUASALA, de Cristiane Arenas (SP 2): Interna da Fundação Casa (antiga Febem) está presa por causa do namorado, que a colocou numa encrenca. Curta sobre valores nas relações sociais mais limítrofes. No elenco, Eunice Baía, protagonista da série “Tainá”. Estreia.
ACTUS, de Kika Nicolela (SP 1): Um casal discute a relação em uma situação que se repete em looping em plano sequência. Trabalho estético e visual bem interessante, revelando um jogo entre a situação e os espectadores. Com Caco Ciocler no elenco.
CURTA SARAUS, de David Alves de Souza (SP 2): Documentários sobre os saraus que acontecem na zona sul de São Paulo. O filme debate e reflete sobre o conjunto de ações culturais que acontecem na região e como isso tem alterado as perspectivas e as criações artísticas locais.
CAROL, de Francisco Guarnieri (SP 3): Um garoto fica entediado ao esperar a namorada do pai. Discute os problemas das crianças criadas em apartamentos. Estreia
49 DIAS, de Tati Fujimori (SP 5): Moça vai ao funeral do namorado de origem nipônica. Filme sobre diferenças culturais e suas relações com questões de vida e morte. Estreia
ONDE VOCÊ VAI?, de Victor Fisch (SP 5): A tarde na casa de um casal de idosos, que conversam sobre seus problemas. Sensibilidade sobre questões existenciais e trajetórias de vida. Bom filme sobre a terceira idade. No elenco, Berta Zemmel.

 Oficinas Kinoforum
O projeto da Associação Cultural Kinoforum completa 10 anos e apresenta uma sessão comemorativa com trabalhos de todas as épocas. Os filmes foram indicados pelo público, a partir de uma votação no Facebook, e também pela equipe de coordenadores pedagógicos do projeto. Outro programa apresenta o resultado da edição 2010/2011 das Oficinas. Por ela já passaram mais de mil jovens alunos de periferia desde o início do projeto, que produziram 200 filmes durante as 55 oficinas ministradas no período.

 Mostra Online KinoOikos Formação do Olhar
O Festival de Curtas abriga os trabalhos de núcleos de produção independente, ONGs, entidades, oficinas e ações voltadas a promover a inclusão audiovisual há cerca de 10 anos. Este ano, os filmes foram ao processo de seleção da Mostra Brasil e Panorama Paulista. Todos os filmes inscritos estão disponíveis no site www.kinooikos.org.br para votação do público.

> Mostra Internacional
A programação internacional traz 63 filmes, de 35 países, selecionados a partir de mais de 2 mil inscrições. O curta-metragem, por seu formato, é bastante ágil ao retratar os problemas imediatos que afligem as pessoas. Assim, a crise europeia tem sido um tema muito presente. Mas este ano tivemos uma grata surpresa, que está refletida na programação: a irreverência está de volta!
Diante de tantos formalismos no mundo atual, com a pressão do politicamente correto pairando sempre sobre a arte, este ano parece que, pelo menos no curta-metragem, os artistas estão um pouco mais relaxados: tanta crise, tantos problemas, melhor rir, não é mesmo? Afinal, nada é 100% perfeito...

Alguns destaques:
STRANGE LOVE, de Richard Wilhelmer, Áustria: Inspirado na cultuada sátira de Stanley Kubrick (“Dr. Fantástico”), o filme retoma o “amor à bomba”.
LAS PALMAS, de Johannes Niholm, Suécia: O diretor queridinho de Cannes usa sua filha de 1 ano e meio para interpretar uma senhora de meia idade em férias na praia, convivendo com personagens marionetes.
MANEQUIM 46, de Wannes Destup, Bélgica: Selecionado para Cannes este ano, discute a ditadura da moda, da beleza, do corpo perfeito. Sua personagem manda toda a cobrança às favas e encara o mundo.
EU PODERIA SER SUA AVÓ, de Bernard Tanguy, França: O problema da imigração na Europa, visto de maneira bem humorada e esperançosa.
O MUNDO EXTERNO, de David O’Reilly, Alemanha: Vencedor de mais de 10 prêmios no exterior.
CROSS, de Maryna Vroda, da Ucrânia: Ganhador da Palma de Ouro de melhor curta este ano, apresenta uma visão e originalidade ímpar.

 Diretores presentes
Os diretores de alguns filmes estarão em São Paulo para apresentar seus filmes e conversar com o público. São eles:
Adrien Kuenzy, França, com “O Amigo”
Robert-Jan Lacombe, Suíça, com “Adeus, Mandima”
Cavan Campbell, Canadá, com “Cutícula seca”
Fabrice Mathieu, França, com “À Sombra”
Bartlomiej Zmuda, Polônia, com “Barbakan”

 Curadores internacionais
Interessados na filmografia brasileira e latino-americana, vários curadores vêm a São Paulo buscar filmes para seus eventos. Já confirmaram sua presença representantes dos seguintes festivais:
Sundance Film Festival: Hebe Tabachnik
Festival International du Court Métrage à Clermont-Ferrand: Laurent Crouzeix
International Film Festival Rotterdam 2012 (IFFR): Inge de Leeuw
Short Film Festival In Drama: Stavros Chassapis
Tampere Film Festival: Juhani Alanen
Festival Signes de Nuit: Dieter Wieczorek
The CON-CAN Movie Festival: Hiroyuki Tanimoto
Chile Festivals: Geraldine Gardia
Berlinale – Festival de Berlim: Maria Morata

> Mostra Latino-americana
Já é lugar comum dizer como é equivocada a visão de que a América Latina é uma massa indistinta, de Tijuana a Ushuaia. A Mostra Latino-americana — com 30 filmes de 10 países — é prova de que a América Latina não só é múltipla, como está cada vez mais consciente de sua importância e posição no mundo.
Os filmes foram selecionados a partir de 300 inscritos. Alguns temas continuam fortes: a denúncia das más condições de vida de crianças e adolescentes vinda de Equador, Colômbia e Paraguai, os rastros humanos da ditadura chilena e a incursão ao mundo cultural do ambiente rural cubano são alguns exemplos.
Há também belas narrativas lúdicas em animação e documentário, que nos levam pelas ruas retrô de uma Buenos Aires antiga, pelas típicas iconografias mexicanas ou pelas intrincadas memórias de uma criança. Há, porém, um contraponto, um enfrentamento das novas questões trazidas por um mundo civilizado que ao mesmo tempo luta por e contra as liberdades individuais.

Alguns destaques:
A FESTA DE CASAMENTO, de Martín Morgenfeld, Gastón Margolin, Argentina: Filme envolvente que acompanha a intimidade casual de um homem e uma mulher que tentam escapar das frivolidades de uma festa de casamento. Concorreu ao prêmio de melhor filme de escola no Cinéfondation – Cannes 2011.
UMA NOVA DANÇA, de Nicolas Lasnibat, Chile/França: Destaque político e histórico em um filme que trata dos rastros deixados pela ditadura no convívio diário das pessoas dentro da sociedade chilena. O protagonista, que perdeu uma perna durante a repressão do regime de Pinochet, tenta se reconstruir ao reaprender a viver com a ajuda de uma prótese. Menção honrosa no Festival de Biarritz 2010.
SOU TÃO FELIZ, de Vladimir Durán, Argentina/Colômbia: Melhor curta-metragem do BAFICI – Festival de Cinema Independente de Buenos Aires 2011, participou também da seleção oficial do Festival de Cannes 2011. Um estudo do universo masculino, da amizade e dos limites das relações humanas.
MILA CAOS, de Simon Paetau, Cuba/Alemanha: Integrou a seleção da Quinzena dos Realizadores 2011. Filme sensível que explora o particular universo musical cubano num contexto underground e inesperado.

> A moda na tela
Com a presença da curadora internacional Inge de Leeuw, o programa especial Fashion Curtas reúne o que há de mais inovador na associação entre audiovisual e moda. Zita Carvalhosa, diretora do Festival, assistiu aos programas em sua exibição no Festival Internacional de Roterdã, no início do ano, e gostou do resultado. “Quando vi que existia essa programação paralela, não tinha ideia do que encontraria na sala de exibição. Fui conferir e vi que a plateia estava cheia e que os filmes eram bons. Não são apenas gravações de desfiles, mas produtos audiovisuais que transmitem o espírito da moda. São maneiras de passar conceitos. No Brasil a moda hoje é um segmento maduro, exportador de tendências, e acreditamos que esse diálogo com o audiovisual pode ser muito promissor.”
Quatro programas — a seção “Out of Fashion”, com a curadoria de Inge de Leeuw. Um dos programas é dedicado à produção da Maison Martin Margiela, que nos últimos anos têm trabalhado com o vídeo em muitas de suas coleções. Os outros três apresentam filmes criados por estilistas para expor seus conceitos sobre suas coleções ou são obras de cineastas contratados para criar suas próprias obras a partir desses conceitos.
Um dos destaques é o filme “Missoni”, do cultuado cineasta experimental Kenneth Anger, para a marca homônima. O filme revisita a estética dos anos 1960, em imagens hipnóticas. Animações poéticas, videoartes minimalistas também compõem os programas, mas nem só de estética vive o mundo da moda: filmes como “Act da fool”, de Harmony Korine, levam as criações da marca Proenza Schouler ao submundo do crime norte-americano e a marca Diesel apresenta o filme “Skateistan: Viver e Ser skatista em Kabul”, sobre o projeto social que desenvolve no Afeganistão, para ensinar skate às crianças em Kabul.
O programa se completa com experiências brasileiras que mesclam os dois universos, com curadoria de André do Val e Eduardo Viveiros, do site Chic. Desde uma homenagem à musa Claudia Wonder até vídeos que dialogam com as grandes festas e baladas urbanas.
Em paralelo, acontece no Museu da Imagem e do Som a exposição “Fause em Curtas”, do estilista Fause Haten. Em parceria com o diretor Haley Rembrandt, ele produziu filmes que estarão expostos no Museu durante todo o evento.
A abertura do programa Fashion Curtas acontece no sábado, dia 27 de agosto, às 17h30, no Museu da Imagem e do Som e marca também a inauguração da exposição de Fause Haten. O estilista também participa de um debate com o público no MIS, no dia 31 de agosto, às 17h.

> Programas Especiais
A cada edição, o Festival programa mostras internacionais convidadas e também estabelece recortes temáticos e estéticos para públicos e gostos dos mais diferentes.
 Mostra Infantojuvenil e atividades para crianças
As crianças têm seu espaço garantido no Festival, na Mostra que traz dois programas para crianças até 10 anos e um programa para jovens até 14 anos. Na programação, uma seleção dos melhores filmes inscritos voltados para esse público. Este ano, o Festival também apresenta a atividade KinoCurtinhas: a garotada vai poder botar a mão na massa e produzir seus curtinhas de 1 minuto, desde a gravação até a edição. A atividade acontece no sábado (27/8) e no domingo (28/8), a partir das 15h00 na Cinemateca Brasileira.

 O espaço do terror: Dark Side
Os monstros estão dentro de nós, segundo o diretor e montador Paulo Sacramento, que este ano foi o responsável pela curadoria da mostra, um clássico da programação do Festival. Sacramento manda o seu recado: os filmes são para quem tem nervos de aço. São seis produções, vindas do Brasil, da Espanha e da Inglaterra.

 Mostra DF5: parceria com o Coletivo Fora do Eixo
Em parceria com o Coletivo Fora do Eixo, a mostra reúne uma seleção de filmes da distribuidora DF5, gerida pelo Clube de Cinema do coletivo. Seu foco é a difusão do cinema brasileiro em circuitos não-comerciais. O trabalho do coletivo começou com a difusão de bandas de todo o Brasil fora do eixo Rio-São Paulo. Daí, um grupo enorme de produtores culturais e artistas se envolveu, criando uma rede que hoje se espalha por todo o Brasil e cria oportunidades para difusão da cultura fora dos meios de massa.
O coletivo também será responsável pelas Intervenções Online, vídeos produzidos durante o Festival que serão exibidos pela Internet. E garantem a animação de duas festas, no sábado — dia 27 de agosto — e no encerramento, dia 2 de setembro, com bandas que integram o projeto.

 Sotaques do Oriente
O Festival este ano traz dois programas orientais, produzidos por festivais parceiros. No programa do Festival de Cinema CON-CAN, do Japão, serão exibidos dez curtas japoneses recentes. Lançado em 2005 como o primeiro festival internacional de curtas do Japão na web, tem como missão levar a arte e a beleza dos curtas a uma audiência global com a proposta de “assistir globalmente, pensar localmente”. O evento vem ganhando destaque no Japão; em sua última edição, contou, em seu corpo de jurados, com a cultuada diretora Naomi Kawase.
No programa King Bonn Awards, o festival chinês nos envia um destaque de seus dois anos de existência, com filmes que retratam a produção chinesa atual.

 Escola de Cinema de Cuba, 25 anos
Projeto pioneiro e utópico, a Escola Internacional de Cine y TV de San Antonio de Los Baños, em Cuba, foi fundada há 25 anos para criar uma frente latino-americana de produção cinematográfica. Entre os fundadores, o documentarista argentino Fernando Birri e o escritor Gabriel García Marquez.
Neste programa, filmes representativos dos últimos anos da escola, com destaque para “Os minutos, as horas”, da brasileira Janaína Marquez, premiado este ano em Clermont-Ferrand, o maior festival de curtas-metragens do mundo.

 O Chile em animações
A produção chilena de curtas-metragens está cada vez mais expressiva, e este ano destacamos uma seleção de animações que revela uma nova geração, vinda não só das escolas de audiovisual mas também de formações em arte e design. Além da diversidade de técnicas, a diversidade temática chama a atenção: desde ficções científicas policiais até narrativas baseadas em lendas e culturas dos povos indígenas chilenos.

 Soirée Allemande, curtas alemães da melhor estirpe
Uma seleção dos melhores curtas-metragens alemães da safra 2010, escolhidos por seu público. Uma sessão que não tem erro: nela você encontra o estranho, o perigoso, o extraterrestre, o bizarro, o tocante, o comprometido politicamente e o hilário. Oferecida pelo Instituto Goethe.

 A seleção dos críticos de Cannes: Semana da Crítica
Em seu 50° aniversário, a Semana da Crítica festeja os talentos emergentes do cinema mundial que não cessam de despontar. Apesar de todo o glamour que o nome do Festival de Cannes evoca no imaginário das pessoas, a Semana da Crítica destaca a vida das pessoas comuns, que são retratadas na maioria dos filmes.
 kinolounge, espaço da experimentação em som e imagem
Vídeos que trazem olhares incomuns sobre o dia a dia, onde sons e imagens não trabalham mais em sincronia. O projeto, em parceria com o Museu da Imagem e do Som, traz uma sessão com os filmes selecionados este ano e, em seguida, uma apresentação de Felipe Barros em parceria com os músicos Helio Pisca e Claudia Garcia, apresentará ao vivo “Mancha de dendê não sai”, resultado de sua residência no “Instituto Sacatar” em Itaparica/ BA. O trabalho procura identificar e desvendar particularidades do universo baiano, que ao mesmo tempo é tão próximo e tão distante.

 Desaventure-se com esses anti-heróis
Irreverência, aventura e diversão garantida com o novo épico da bizarrice zumbi, o filme “Unliving”, ganhador da Berlinale este ano. Outros filmes brasileiros compõem o programa: uma homenagem ao cinema de John Hughes, desta vez com jovens paulistanos vítimas de bullying, a máfia chinesa na capital federal, um quase ET numa hospedaria paraibana e um discurso de esquerda surpreendente.

 As mulheres do Cachaça Cinema Clube
Afinado com a proposta da mostra “Feminino Plural”, o grupo carioca Cachaça Cinema Clube traz mais uma vez sua visão irreverente e suas pérolas cinematográficas, com filmes dirigidos por mulheres, que debatem, de certa forma, o que é carregar dois cromossomos X. Na seleção, entre uma investigação mitológica do tema e um thriller de nouvelle vague carioca, preciosidades como um dos primeiros trabalhos da representante feminina do Cinema Novo, Helena Solberg; o encontro entre as atrizes Norma Bengell e Maria Gladys e o importante e ousado documentário de Sandra Werneck sobre transexualismo em plena ditadura. E, fechando com chave de ouro, a mais simples e perfeita tradução do feminino numa obra de curta metragem, um clássico de Agnès Varda.

 O realizador e seu tempo
O que é que define um curta, média ou longa-metragem? É apenas a duração final, em minutos? Discutir o tempo em relação ao filme é a proposta deste programa, formado por quatro trabalhos com duração superior a 30 minutos.

Serviço:
22º Festival Internacional de Curtas-Metragens de São Paulo – de 25 de Agosto a 02 de Setembro
Abertura para convidados: dia 25 de agosto de 2011
Programação para o público: de 26 de agosto a 2 de setembro
Salas: Cinemateca Brasileira, CineSESC, Centro Cultural São Paulo, Museu da Imagem e do Som, Espaço Unibanco de Cinema e Cine Olido
Patrocínio: Petrobras e Avon
Organização: Associação Cultural Kinoforum
Direção: Zita Carvalhosa
Entrada: Gratuita

Premiações
O Festival não tem um caráter competitivo, mas vários de seus parceiros oferecem prêmios para os filmes participantes das mostras principais. Conheça as premiações deste ano:

PRÊMIO REVELAÇÃO
O Prêmio Revelação é o mais tradicional do Festival e tem como objetivo incentivar os jovens talentos do audiovisual brasileiro em sua próxima produção. O vencedor recebe os recursos técnicos para produzir um novo curta-metragem de até 15 minutos, desde 5 diárias de gravação com câmera digital HD até a finalização.
Concorrem ao Prêmio Revelação os diretores de curtas brasileiros realizados em cursos de cinema ou audiovisual exibidos na Mostra Brasil e Panorama Paulista. A seleção também leva em conta um
texto enviado pelos realizadores, expondo o argumento de seu próximo curta-metragem.
As empresas parceiras do Prêmio Revelação são:
QUANTA
CINEPRO/DOT
PLAYRK30
ESTÚDIOS MEGA
MEGACOLOR
FUJIFILM
DOLBY
CTAV

PRÊMIOS AQUISIÇÃO
O CANAL BRASIL oferece um prêmio aquisição de R$ 15.000,00 (quinze mil reais) para um filme escolhido por um júri de jornalistas e críticos convidados pelo Canal Brasil, entre os 10 favoritos do público da Mostra Brasil.

O SESCTV premia novos talentos, oferecendo um prêmio aquisição de R$ 5.000,00 (cinco mil reais)
para o melhor filme realizado por um diretor estreante, na opinião do júri SESCTV, escolhido entre os filmes exibidos na Mostra Brasil e Panorama Paulista. E mais dois prêmios de R$ 2.500,00 (dois mil e quinhentos reais) cada para dois curtas inscritos na Mostra KinoOikos Online, selecionados pelo júri SESCTV.

A TV CULTURA escolhe o curta de maior destaque dentre os exibidos no Panorama Paulista, de acordo com o júri nomeado pela própria TV Cultura, e oferece um prêmio aquisição no valor de R$ 5.000,00 (cinco mil reais).

O prêmio PORTA CURTAS é destinado a três (3) curtas brasileiros, no valor de R$ 1.000,00 (mil reais) para cada um, a partir da lista dos mais votados do público, entre os exibidos na Mostra Brasil.

PRÊMIOS ESPECIAIS

PRÊMIO AVON
Dois prêmios de R$ 5.000,00 (cinco mil reais) para um filme brasileiro e um filme internacional escolhido por júri indicado pela Avon entre os filmes dirigidos por mulheres na Mostra Internacional, Mostra Latino-americana, Mostra Brasil e Panorama Paulista.

PRÊMIO POND5
Prêmio em créditos de aquisição de imagens de arquivo, no valor de U$ 1.000,00 (mil dólares), para o curta-metragem com melhor montagem criativa utilizando imagens de arquivo, exibido na Mostra Brasil e escolhido por um júri nomeado pela POND5.

PRÊMIO CTAV
Duas cópias legendadas em 35mm para um filme exibido na Mostra Brasil e selecionado entre os preferidos do público.

TROFÉUS
ABD-SP
Troféu oferecido ao curta de maior destaque dentre a Mostra Brasil e 1 (um) troféu oferecido ao
curta de maior destaque dentre a Mostra Latino-americana, segundo escolha dos associados da ABD.

CACHAÇA CINEMA CLUBE
Três troféus a filmes de maior destaque entre os exibidos na Mostra Brasil e convite para participar da sessão Cachaça Cinema Clube, segundo escolha da organização do projeto.

(Informe Publicitário)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

E O FINAL DE "ONDE OS FRACOS NÃO TEM VEZ"

Cine Troppo - De 21 a 27/12/17

Cine Troppo - De 25 a 31/01/18