Postagens

Mostrando postagens de Setembro, 2012

CINE TROPPO - SEMANA DE 28/09 À 04/10/12

Imagem
CINE TROPPO
Marco Antonio Moreira Carvalho

" Diário do Festival de Brasília 2012" – Parte 2
Acompanhando a 45ª Edição do Festival de Brasilia do Cinema Brasileiro, publico matérias produzidas e editadas sobre o festival e publicadas no portal ORM:
1)No terceiro dia de exibição dos filmes da mostra competitiva, os destaques foram o curta "A Mão que Afaga" de Gabriela Amaral Almeida e o longa "Boa Sorte Meu Amor". "A Mão que Afaga" mostra a história de uma mulher que trabalha no telemarketing e mora sozinha com o filho. Sozinha, solitária, pretende fazer uma festa de aniversário para o filho fazendo todo o esforço possível. Mas a sua habilidade de se comunicar com as pessoas fica cada vez mais difícil, ao contrário do seu trabalho e talvez por causa dele. "Eu falo com quase mil pessoas por dia" diz ela num momento do filme, mas ela não sabe se relacionar. Na festa, somente uma mãe e sua filha comparecem e o clima de angústia de solidão…

FESTIVAL DE BRASÍLIA 2012 - COBERTURA FINAL

Imagem
FESTIVAL DE BRASÍLIA 2012 - 45º FESTIVAL DE BRASÍLIA DO CINEMA BRASILEIRO
Na noite de premiação da 45 ª edição do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro, dia 24/09, ficou comprovada a força do cinema pernambucano, especialmente com o empate do prêmio do júri oficial para melhor filme que ficou entre “Era uma Vez Eu, Verônica” de Marcelo Gomes e “Eles Voltam” de Marcelo Lordello, duas produções de alto nível de Pernambuco. Os filmes mais premiados acabaram sendo os trabalhos de Marcelo Gomes e Marcelo Lordello. A grande surpresa da noite foi a premiação de melhor atriz para a adolescente Maria Luiza Tavares pelo filme “Eles Voltam” já que a grande favorita era Hermilla Guedes por “Era Uma Vez Eu, Verônica”. Já o prêmio da crítica, feito por membros da ABRACCINE (Associação Brasileira dos Críticos de Cinema), foi dado para o longa “Eles Voltam” e o curta “A Mão que Afaga” de Gabriela Amaral Almeida. Como em todos festivais, muita polêmica em alguns prêmios, injustiças e indicações e…

FESTIVAL DE BRASÍLIA 2012

Imagem
No último dia de exibições das mostras competitivas da 45ª edição do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro, os destaques foram o documentário "Elena"(foto) de Petra Costa e "Esse Amor que nos Consome" de Allan Ribeiro. "Elena" é um filme construído pela emoção.. A diretora Petra Costa mergulha nas suas memórias e procura reencontrar sua irmã Elena que aos 21 anos cometeu suícidio. Petra tinha 07 anos quando a irmã morreu e ambas tinham um relacionamento amoroso intenso. No filme, de forma lírica e poética, a diretora procura reencontrar com todas as memórias possíveis resgatando gravações em aúdio e vídeo da irmã, buscando respostas para sua saudade e para o vazio que a ausência de Elena deixou na sua família e para si própria. O filme é emoção pura, da a narração da diretora, relatando seus sentimentos, passando pela montagem simples que revela ao espectador quem é Elena e como ela era vista pela mãe, irmã, amigos e chegando ao momento decisivo do q…

FESTIVAL DE BRASÍLIA 2012

Imagem
No penúltimo dia da mostra competitiva da 45ª Edição do Festival de Brasília de Cinema Brasileiro, os destaques foram o documentário "Olho Nu" sobre a vida do cantor Ney Matogrosso e o longa "Noite de Reis" de Vinicius Reis. "Olho Nu" procura fazer um levantamento histórico sobre a carreira de Ney Matogrosso, revelando sua vida pessoal e musical, suas influências, sua importância dentro da música brasileira e também sua importância na quebra de preconceitos especialmente nos anos 70. Ney é um artista de personalidade forte e é ele que narra todo o filme, misturando cenas de época com momentos mais recentes da sua carreira e especialmente sua relação com a natureza. O documentário tem momentos raros como uma das primeiras apresentações do grupo "Secos e Molhados" em 1973. Para quem é fã do cantor ou quer conhecer sua obra e personalidade, "Olho Nu" cumpre bem sua função. Já "Noite de Reis" relata um drama familiar sobre a per…

CINE TROPPO - SEMANA DE 21 À 27/09/12

Imagem
CINE TROPPO
Marco Antonio Moreira Carvalho

"Diário do Festival de Brasília 2012"
Acompanhando a 45ª Edição do Festival de Brasilia do Cinema Brasileiro, publico neste e no próximo domingo, minhas matérias produzidas e editadas sobre o festival e publicadas no portal ORM:
1) Com uma homenagem ao crítico de cinema Paulo Emílio Salles e a a apresentação da orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Claúdio Santoro, começou dia 17/09 a 45ª edição do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro. A sala do Teatro Nacional estava completamente lotadas com várias pessoas ligadas ao cinema, teatro e televisão. Críticos de cinema de vários estados marcaram presença, a grande maioria filiada a ABRACCINE (Associação Brasileira dos Críticos de Cinema) que vieram para acompanhar as mostras competitivas de longa e curta-metragem e também para participar dos seminários que vão debater sobre a critica de cinema feita no Brasil ontem e hoje, analisando também as influências do crítico Paulo Emilio Sa…

FESTIVAL DE BRASÍLIA 2012

Imagem
Conceitos de Paulo Emilio são revisitados na avaliação de crítica atual de cinema A permanência – ou não – das ideias de Paulo Emilio no pensamento crítico contemporâneo motivou o último debate da série dedicada à reflexão do ideário do renomado ensaísta e historiador de cinema. Sob a mediação do jornalista e crítico de cinema José Geraldo Couto, a mesa reuniu, nesta sexta-feira, 21, os pesquisadores e críticos Fernão Ramos, Carlos Augusto Calil e Luiz Zanin Oricchio, que aproveitaram o seminário para iluminar e desdobrar alguns dos conceitos mais conhecidos e controvertidos de sua obra. Para o cineasta, crítico e professor da Universidade de São Paulo (USP), Carlos Augusto Calil, “é uma obra que ainda se revela, ainda não está completamente absorvida e sequer devidamente interpretada”. O ex-diretor da Embrafilme e da Cinemateca organizada por Paulo Emilio revisitou dois textos fundamentais – Uma situação colonial (1960) e O cinema no século (1970) – para analisar o país daquela época…

FESTIVAL DE BRASÍLIA 2012

Imagem
Críticos de cinema comentam texto seminal de Paulo Emilio Salles Gomes As singulares chaves conceituais, a personalidade intelectual marcante e o incisivo pensamento de Paulo Emilio Salles Gomes (1916 – 1977) – um dos maiores historiadores e teóricos do cinema brasileiro e o grande homenageado do 45º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro – foram apresentados pelos renomados críticos Ismail Xavier e Alfredo Manevy, nesta quinta-feira, 20, no Kubistchek Plaza Hotel. Integrando o seminário “Paulo Emilio e a crítica cinematográfica”, que se estende até o dia 22, e mediada pela vice-presidente da Abracine, Ivonete Pinto, a mesa “Cinema brasileiro – atividade ainda cíclica” partiu do seminal ensaio “Cinema brasileiro: uma trajetória no subdesenvolvimento” para questionar se a produção nacional vive ainda de ciclos interrompidos ou já está engrenada em um processo de continuidade. Para uma plateia atenta e numerosa, Alfredo Manevy falou sobre a atualidade do de Paulo Emilio, “esse grande…

FESTIVAL DE BRASÍLIA 2012

Imagem
"Domésticas" de Gabriel Masclaro e "Era Uma Vez Eu, Verônica" (foto) de Marcelo Gomes foram os destaques do quarto dia das mostras competitivas da 45ª edição do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro. "Domésticas" é um documentário muito interessante onde partindo da ideia do diretor, vários jovens filmam o dia a dia dos empregados que cuidam de suas casas revelando intimidades, fraquezas e histórias absolutamente humanas destes personagens tão importantes e muitas vezes tão esquecidos. A maior virtude do documentário é a variedade dos exemplos filmados. Vemos aqui desde uma empregada que começou a trabalhar na família de sua melhor amiga na infância e até mesmo um empregado doméstico que cuida de uma residência após abandonar (e/ou ser abandonado) pela família. Sem uma linha definida de história, o documentário consegue ser realista e consegue captar com simplicidade uma parte da vida das domésticas e como suas histórias estão diretamente ligadas com …

FESTIVAL DE BRASÍLIA 2012

Imagem
No terceiro dia de exibição dos filmes da mostra competitiva, os destaques foram o curta "A Mão que Afaga" de Gabriela Amaral Almeida e o longa "Boa Sorte Meu Amor". "A Mão que Afaga" mostra a história de uma mulher que trabalha no telemarketing e mora sozinha com o filho. Sozinha, solitária, pretende fazer uma festa de aniversário para o filho fazendo todo o esforço possível. Mas a sua habilidade de se comunicar com as pessoas fica cada vez mais difícil, ao contrário do seu trabalho e talvez por causa dele. "Eu falo com quase mil pessoas por dia" diz ela num momento do filme, mas ela não sabe se relacionar. Na festa, somente uma mãe e sua filha comparecem e o clima de angústia de solidão é latente. Bem dirigido, simples, com poucos diálogos, o curta emociona. Já "Boa Sorte Meu Amor"(foto) confirma a qualidade do cinema pernambucano com uma história de amor, encontro, desencontro e busca de identidade que ao mesmo tempo é extremamente…

FESTIVAL DE BRASILIA 2012

Imagem
No segundo dia da mostra competitiva, os destaques foram o documentário "Kátia" de Karla Holanda e "A Memória que me Contam" de Lúcia Murat. "Kátia" procurar mostra um pouco da vida e da rotina do primeiro travesti brasileiro a ser eleito para um cargo público mostrando sua luta contra o preconceito e sua dificuldade de assumir a sua vida diante de familiares e especialmente, o pai. O filme segue a narrativa do documentário padrão, sem maiores criatividades na construção da história e sem maiores novidades na questão do preconceito sexual que ainda existe no Brasil e no mundo. Tímido, sem aproveitar mais o contexto histórico da personagem, "Kátia" agradou apenas parte da crítica e foi aplaudido pelo grande público no final. "A Memória que me Contam" (foto) é um olhar amargo sobre a geração que lutou contra a ditadura militar e que hoje luta para entender e justificar tudo o que aconteceu neste período. A partir de morte eminente de um…

FESTIVAL DE BRASÍLIA 2012

Imagem
Terça,feira, dia 18, iniciou a exibição de filmes com a mostra competitiva de documentários com  "Câmara Escura" de Marcelo Pedroso (25 minutos) e "Um Filme para Dirceu" (80 minutos) de Ana Ohan. Ambos sofrem do mesmo problema : tem boas ideias para um curta de no máximo 15 minutos mas a longa metragem acaba esvaziando o assunto e tirando qualquer bom aproveitamento do tema e da narrativa. Pior para "Um Filme para Dirceu" que mostra a história de um jovem que quer realizar um filme sobre sua vida  mas que na prática, se tornou um vídeo doméstico, para ser exibido no máximo para familiares e amigos.  Na mostra competitiva de ficção e animação, destaque para o curta "Linear" de 6 minutos que mostrou que uma boa ideia pode ser executada em pouco tempo e de forma criativa. O destaque da noite foi para o longa metragem pernambucano "Eles Voltam"(foto) de Marcelo Lordelo. É conhecido de todos do meio cinematográfico que o cinema pernambucan…

FESTIVAL DE BRASÍLIA 2012

Imagem
Com uma homenagem ao crítico de cinema Paulo Emílio Salles e a a apresentação da orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Claúdio Santoro, começou ontem a 45ª edição do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro. A sala do Teatro Nacional estava completamente lotadas com várias pessoas ligadas ao cinema, teatro e televisão. Críticos de cinema de vários estados marcaram presença, a grande maioria filiada a ABRACCINE (Associação Brasileira dos Críticos de Cinema) que vieram para acompanhar as mostras competitivas de longa e curta-metragem e também para participar dos seminários que vão debater sobre a critica de cinema feita no Brasil ontem e hoje, analisando também as influências do crítico Paulo Emilio Salles, que faleceu em 1977 e que foi um dos fundadores do festival de Brasília.
Depois da apresentação da orquestra sinfônica, foi exibido o filme de abertura do festival (que não faz parte da mostra competitiva) chamado "A Última Estação" de Marco Cury, que procura fazer um …

FESTIVAL DE BRASÍLIA 2012

Imagem
O Festival de cinema brasileiro mais antigo do Brasil, chega à sua 45ª edição em 2012. Repleto de momentos históricos, premiações importantes, debates memoráveis e sempre visto como uma grande referência ao cinema brasileiro, o Festival de Brasília tem hoje (dia 17/09) sua abertura com a exibição do filme "A Última Estação" de Márcio Curi. Antes, acontecerá uma apresentação da orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Cláudio Santoro sob regência do maestro Cláudio Cohen.A programação da mostra competitiva do festival tem várias novidades que em breve (espero) cheguem aos cinemas brasileiros como "Boa Sorte Meu Amor" de Daniel Aragão e "Otto" de Cao Guimarães. Outro destaque do festival é o seminário sobre a crítica de cinema com discussões a partir da influência do grande crítico Paulo Emílio Salles. Jornalista de vários estados do país estão em Brasília, reforçando a importância deste festival, ainda mais após o cancelamento do festival de Paulínia este…

CINE TROPPO - SEMANA DE 14 À 20/09/12

CINE TROPPO Marco Antonio Moreira Carvalho
AMAZÔNIA DOC 4  - Edição 2012 De 21 à 30/09, dentro das atividades da XVI Feira Pan - Amazônica do Livro, promovida pela SECULT, acontecerá a 4ª Edição do Festival Amazônia Doc. Este ano, além da parte competitiva, acontecerá a exibição de uma mostra de filmes baseados na obra do escritor Nelson Rodrigues e uma mostra de filmes portugueses. A curadoria do festival ficou sob a responsabilidade de Zienhe Castro (diretora e idealizadora do festival), Manoel Leite Jr. e Marco Antonio Moreira (agradeço o convite para participar desta curadoria). Confira programação completa:
MOSTRA COMPETITIVA PAN AMAZÔNICA 2012 Local: Cine Estação das Docas - Teatro Maria Sylvia Nunes Dia 22/09 – sábado (sessão de abertura) 19h e 30m – Juliana contra o jambeiro do diabo pelo coração de João Batista – Diretor: Roger Elarrat , Brasil/PA- 2011 - Ficção ,Curta, 22’ 20h - Carta Para o Futuro – Dir: Renato Martins, Brasil/RJ/2011, Doc. Longa,70’ 23/09 – domingo 19h e 30m – Pinba…