domingo, 25 de setembro de 2011

"LENNY" DE BOB FOSSE NA SESSÃO CULT DIA 01/10/11

"LENNY"
Direção : Bob Fosse
Ano de Produção : 1974
Elenco: Dustin Hoffman, Valerie Perrine.
Sinopse : O filme conta a história do comediante Lenny Bruce que na década de 60, escandalizou o público com altas doses de obscenidade e crítica a todos os podres da sociedade.
Importância Histórica: Dirigido por Bob Fosse (Cabaret/O Show deve Continuar) e com roteiro de Julian Barry (adaptado de sua peça teatral), “Lenny” impressionou a crítica e o público por revelar de forma direta, a personalidade do comediante Lenny Bruce que foi um feroz crítico da hipócrita sociedade americana. Filmado em preto e branco, “Lenny” traz uma das melhores atuações do ator Dustin Hoffman e foi indicado ao “Oscar” em várias categorias (melhor filme, diretor, ator, atriz e melhor roteiro adaptado). No Festival de Cannes, venceu na categoria de melhor atriz (Valerie Perrine) além de ter sido indicado à Palma de Ouro. No Brasil, o filme ficou proibido durante 06 anos, sendo exibido nos cinemas somente em 1980.

SESSÃO ACCPA/CINE LÍBERO LUXARDO
SESSÃO CULT
“LENNY”
CINE LÍBERO LUXARDO
SÁBADO DIA 01/10/11
HORÁRIO : 16 H
ENTRADA FRANCA
INADEQUADO PARA MENORES DE 14 ANOS
APÓS O FILME, DEBATE ENTRE O PÚBLICO PRESENTE E CRÍTICOS DA ACCPA

sábado, 24 de setembro de 2011

CINE TROPPO - SEMANA DE 23 À 29/09/11



CINE TROPPO
Marco Antonio Moreira Carvalho
Lançamentos da Semana
Caso não haja alterações de última hora, as estreias da semana são “Missão Madrinha de Casamento”, “Premonição 5”, “Sem Saída” e “Elvis e Madona”.
Em “Missão Madrinha de Casamento”, conta a história de uma madrinha de casamento cuja vida desmorona quando ela lidera um grupo de damas de honra numa corrida maluca de preparação para o casamento de sua melhor amiga. O problema é que sua vida pessoal e profissional está confusa e depois de perder o apartamento alugado, o emprego e o amor próprio, ele tem que recomeçar tudo de novo para provar que pode se superar. No elenco, Kristen Wiig, Maya Rudolph, Rose Byrne, Melissa McCarthy, Wendi McLendon-Covey, Ellie Kemper.
Em “Premonição 5”, a Morte está mais onipresente do que nunca e é desencadeada quando a premonição de um homem salva um grupo de trabalhadores de um terrível acidente em uma ponte pênsil. Mas este grupo de almas fora de suspeita nunca deveria ter sobrevivido e agora, em uma apavorante corrida contra o tempo, eles tentam desesperadamente descobrir uma maneira de escapar da agenda macabra da Morte. Apesar de lançar 'Premonição 4' como o "último episódio da franquia", a Warner Bros. voltou atrás e anunciou 'Premonição 5'. Eric Heisserer (do remake 'A Hora do Pesadelo') é o roteirista. Com o benefício do lançamento em 3D, 'Premonição 4' foi o longa mais lucrativo da franquia toda arrecadando mais de US$ 181 mundialmente.
“Sem Saída” mostra a história de Nathan Harper que tem uma desconfortável sensação de que está vivendo a vida de outra pessoa. Ao se deparar com uma imagem de si próprio quando pequeno em um site de pessoas desaparecidas na internet, Nathan vê seus maiores medos virarem realidade: ele percebe que seus pais não são seus verdadeiros progenitores e que sua vida é uma mentira, fabricada cuidadosamente para esconder algo mais misterioso e perigoso do que ele jamais poderia imaginar. Assim que começa a montar as peças de sua verdadeira identidade, Nathan vira alvo de um grupo de assassinos treinados, o que força o jovem a fugir. No elenco, Taylor Lautner (Crepúsculo), Maria Bello (As Torres Gêmeas), Jason Isaacs, Sigourney Weaver (Avatar) e Alfred Molina(O Código da Vinci).
“Elvis e Madona” é um filme com a excelente atriz Simone Spoladore (Lavoura Arcaica). A motociclista Elvis (Spoladore) sonha em ser fotógrafa, mas precisa trabalhar e consegue um emprego de entregadora de pizzas na Mussarela & Cia. A travesti Madona é uma cabeleireira que sonha em produzir um show de teatro de revista. De um encontro inusitado entre as duas personagens, nasce uma divertida e moderna história de amor. A direção é de Marcelo Laffitte.


SUPERNOVAS
*”Tropa de Elite 2, de José Padilha, será o candidato brasileiro a uma vaga na categoria melhor filme estrangeiro no Oscar 2012. O anúncio foi feito pela Comissão Especial de Seleção na terça-feira,dia 20. Quinze longas concorriam à vaga, entre eles “Bruna Surfistinha” de Marcos Baldini, e “Lope” de Andrucha Waddington. Grande sucesso de bilheteria nacional, o filme de Padilha levou 11 milhões de espectadores aos cinemas no ano passado. Com distribuição pela New Video, “Tropa 2” deve estrear no circuito americano ainda este ano.
*Exibido pela primeira vez na abertura da Semana da Crítica do Festival de Cannes, “A guerra está declarada”, de Valerie Donzelli, foi o longa-metragem escolhido para representar a França na disputa pelo “Oscar” de melhor filme em língua estrangeira. Outro destaque de Cannes – onde passou na competição oficial –, “Le Havre”, de Aki Kaurismaki, será o representante da Finlândia. O escolhido do Irã, por sua vez, foi o drama “A separation”, de Asghar Farhadi, que levou o Urso de Ouro no Festival de Berlim. Todos serão lançados no Brasil pela Imovision.
*A Califórnia Filmes comprou os direitos para distribuição no mercado brasileiro do próximo filme de Wong Kar Wai,” The Grandmasters”. A aquisição foi feita no Festival de Toronto. Em seu novo filme, que está em fase de pós-produção e deve estrear no próximo Festival de Cannes, o diretor de “Amor à flor da Pele” volta ao gênero das artes marciais para contar a história de Ip Man, o homem que treinou Bruce Lee.
*O diretor australiano Baz Luhrmann (Vem dançar comigo, Moulin Rouge) deu partida às filmagens de “O Grande Gatsby”, nova versão para o cinema do célebre romance de F. Scott Fitzgerald. Produzido pela Warner e pela Village Roadshow Pictures, o filme é a primeira experiência de Luhmann com o formato 3D. No elenco estão Leonardo DiCaprio, como Jay Gatsby; Tobey Maguire, como o jovem escritor Nick Carraway, e Carey Mulligan, como Daisy Buchanan. O lançamento está previsto para novembro de 2012.
*A Sony Pictures adquiriu os direitos de distribuição internacional de “Django Unchained”, o mais novo filme de Quentin Tarantino. Nos EUA, o lançamento será feito pela The Weinstein Co. Samuel Jackson foi confirmado para o elenco – e este será seu quinto projeto com Tarantino. O ator irá contracenar com Leonardo DiCaprio e Jamie Foxx. O lançamento nos EUA está marcado para dezembro de 2012.
*A entrada da locadora virtual americana Netflix no Brasil, colocou em evidência o nascente mercado de vídeo sob demanda no país. Embora algumas empresas atuem desde 2009 no segmento, tudo indica que agora este mercado vai prosperar com a ampliação da banda larga e a entrada de novos dispositivos, como tablets, smartphones e smart TVs (com acesso à internet). O que vai acontecer com o dvd, blu-ray e as locadoras ainda é uma dúvida que só com o tempo, o mercado vai poder saber.
*O filme "A Árvore da Vida" de Terrence Malick voltará a ser exibido em Belém, agora no Cine Líbero Luxardo, em novembro. A ACCPA vai promover um debate esta obra-prima na semana de reecibição do filme. Aguarde a confirmação da data.
* A ACCPA (Associação dos Críticos de Cinema do Pará) tem um site à disposição do internauta: www.accpara.com.br . No site da ACCPA, tem a programação dos cinemas comerciais e alternativos, críticas, calendários de estreias, enquete, etc..
*Acesse “Odisséia”, meu blog sobre cinema e outros assuntos no endereço http://www.marcoantoniomoreira.blogspot.com/.
* Meu Twitter: www.twitter.com/marcomoreira_

Blu-Ray/Crítica
Stanley Kubrick sempre foi um diretor preocupado com a forma e o conteúdo de seus filmes. Para Kubrick, um filme era uma obra de arte que tinha que ser pensada, sentida, planejada, elaborada por anos antes do seu lançamento nos cinemas. E o resultado sempre foi fantástico, com Kubrick sempre zelando pela sua obra. Com “2001” e “Laranja Mecânica”, por exemplo, ele chegou a visitar vários cinemas na Inglaterra para saber se os seus filmes estavam sendo bem projetados. Com a chegada do vídeo-cassete no início dos anos 80, ele foi contra o lançamento de “2001” porque o vídeo não mostrava o filme na plenitude que foi realizado. Fico imaginando como Kubrick estaria satisfeito hoje com a projeção digital nos cinemas, o blu-ray, TV LCD e tudo que a tecnologia proporciona para vermos no cinema e em casa, os filmes na melhor qualidade possível. Com o lançamento da maioria de seus filmes em blu-ray, com imagens remasterizadas, percebe-se claramente o trabalho deste grande diretor que antes era fotógrafo e que sabia exatamente o que queria mostrar na tela do cinema, esperando horas pela luz certa na hora filmagem, esperava meses para um cenário ficar pronto e por fim, esperava anos para realizar um projeto que requisitava alguma tecnologia que o cinema ainda não tinha. Por isso, é um prazer imensurável rever “2001”, “O Iluminado”, “Laranja Mecânica” e especialmente “Barry Lyndon” em blu-ray. É incrível, tantos anos depois, ver a qualidade de imagem, da filmagem, da fotografia, do enquadramento, da noção da estética cinematográfica que Kubrick tinha. ao pensar/fazer seus filmes. A caixa de blu-ray lançada pela Warner Bros traz 07 filmes, incluindo seu último trabalho, “De Olhos Bem Fechados”. A seguir, relaciono todos os filmes da caixa de blu-ray chamada COLEÇÃO UM DIRETOR VISIONÁRIO, convidando o leitor para ver/rever os filmes de Kubrick no formato blu-ray, como se fosse a primeira vez. Tenho certeza que aqueles que admiram sua obra, vão ficar ainda mais encantados com seu trabalho atemporal que cada vez mais será valorizado.
Lolita (1962). Baseado na novela de Wladimir Nabokov, filmado inteligentemente em preto e branco, o filme mostra a história de um homem de meia-idade que fica obcecado por uma adolescente. Polêmico, o filme tem excelentes interpretações de James Mason e Peter Sellers.
2001 – Uma Odisseia no Espaço (1968). Baseado num conto de Arthur Clarke, Kubrick queria fazer um filme que as imagens e som transmitissem uma nova experiência sensorial ao espectador e acabou realizado um dos maiores filmes da história do cinema. Perfeito, completo, único, “2001” é um filme eterno que traz reflexões filosóficas sobre a origem e o destino do homem. Em blu-ray, as cores ganham uma nova dimensão, mostrando um filme ainda mais forte visualmente.
Barry Lyndon (1975). Pela perfeição na reconstituição de época e pela grandiosa e sensível fotografia de John Alcott, “Barry Lyndon” foi elogiado mundialmente. Ao mostrar a ascensão e queda um pobre irlandês do século 18 que ascende socialmente, Kubrick realizou uma crítica social ao mesmo tempo emotiva e irônica. Cada sequência do filme parece ter sido feita à mão, de tão perfeitas e absolutas. Destaque para a trilha sonora adaptada por Leonard Rosenman, que ganhou o “Oscar”.
O Iluminado (1980). Adaptação da obra de Stephen King que sempre está incluída entre os melhores filmes de terror de todos os tempos. Kubrick usa todos os recursos cinematográficos para criar um clima de medo e insegurança, que continua com o espectador mesmo após o filme. “O Illuminado talvez seja um dos últimos grandes filmes de terror já feitos. Jack Nicholson esta perfeito numa de suas maiores atuações no cinema.
Nascido Para Matar (1987). Um dos melhores filmes feitos sobre a guerra e as suas conseqüências. Frio, distante e objetivo, é um filme diferenciado ao abordar um tema tão filmado mais que aqui encontra um outro caminho de interpretação, criando uma nova visão sobre a guerra do Vietnã.
De Olhos Bem Fechados (1999). Os mistérios do relacionamento humano são abordados aqui através da história de um casal em crise onde desejos, frustrações e decepções são revelados. Kubrick conta a história captando cada emoção contida dos personagens de uma forma ao mesmo tempo fria e emocional, revelando o drama de duas pessoas que se amam mais que tem que lidar com suas individualidades de forma diferentes. Belo trabalho que infelizmente foi seu último filme.
Laranja Mecânica (1971) .Baseado na obra de Anthony Burgess, Kubrick provocou polêmica ao questionar uma sociedade que gera a violência e que estimula a individualidade do ser humano. Irônico, realista e polêmico, este filme é um marco na história do cinema e até hoje serve de referência para os novos diretores.

AGENDA
* Cineclube Alexandrino Moreira: O cineclube, em parceria com a ACCPA (Associação dos Críticos de Cinema do Pará) exibirá em Outubro, dois filmes importantes: “Lanterna Vermelhas” de Zhang Yimou e “Cinzas do Passado” de Wong Kar Wai. Os filmes serão exibidos às 19 h em datas que ainda serão confirmadas. .
*Cine Estação: Para Outubro, está prevista a exibição do filme “Melancholia” de Lars Von Trier(Anticristo/Dogville), filme que ganhou o prêmio de melhor atriz no último festival de Cannes com Kirstin Dust. É um dos filmes mais comentados do momento e certamente vai provocar o interesse do cinemaníaco paraense. Vamos aguardar as datas confirmadas do filme.
*Cine Líbero Luxardo :”Cópia Fiel” está em exibição de quarta à domingo sempre às 19 h. Com Juliete Binoche no elenco, é um dos melhores filmes do ano.Um casal se encontra no interior da Itália e a partir daí, discutem sua relação. Momento mágico do cinema, em torno de um tema sempre interessante : o relacionamento humano. Veja sem falta. Na Sessão Cult, sabádo dia 01/10, será exibido o excelente "Lenny", filme de Bob Fosse realizado em 1974, baseado na vida do artista Lenny Bruce e quem tem uma das maiores interpretações do ator Dustin Hoffman. O filme será exibido às 16 com entrada franca e debate após a exibição.
* Cine Olympia : Continua a mostra de filmes da Venezuela com a exibição de vários filmes inéditos no Brasil. Todos os filmes do festival serão exibidos às 18 h com entrada franca. Veja a programação completa no site www.cinemaolympia.com.br. A mostra tem o apoio do Consulado Geral da Venezuela em Belém/Pa e vai ficar em exibição até o dia 16/10.

domingo, 18 de setembro de 2011

CINE TROPPO - SEMANA DE 16 À 22/09/11



CINE TROPPO
Marco Antonio Moreira Carvalho
Lançamentos da Semana
Caso não haja alterações de última hora, as estreias da semana são “Conan, O Bárbaro”, “Manda-Chuva”(3D), “Glee : O Filme (3D)” e “Cópia Fiel”.
“Conan, O Bárbaro” é a refilmagem da produção que consagrou o ator Arnold Schwazenegger nos anos 80. O filme inicia com Conan, ainda jovem, vendo sua aldeia ser aniquilada por um demoníaco feiticeiro chamado Thulsa Doom e seus pais serem assassinados na sua frente por ele. Disposto a vingar-se, desenvolve uma incrível força física e parte em busca da liga de aço, que fará com que sua espada se torne lendária. A direção é de Marcus Nispel (diretor das refilmagens de 'O Massacre da Serra Elétrica' e 'Sexta-Feira 13'). No elenco, Jason Momoa, Ron Perlman, Stephen Lang, Rachel Nichols, Rose McGowan, Said Taghmaoui, Leo Howard.
“Glee – O Filme (3D)” é baseado nas apresentações da turnê que os atores da série de TV de sucesso mundial fizeram interpretando várias canções do repertório do programa. Segundo o produtor, o registro do show está sendo lançado nos cinemas para permitir que os fãs que não puderam ver o show assistam agora o show em 3D. Canções como 'I'm a Slave 4 U', 'Raise Your Glass', 'Teenage Dream', 'Lucky' e 'Don't Stop Believin'' estão no repertório do filme.
“Manda-Chuva”(3D) conta a história de um gato malandro, que vive nas num beco de Manhattan, na cidade de Nova York. Ele apronta várias confusões com sua turma de gatos (Bacana, Espeto, Gênio, Xuxu e Batatinha) e sempre acaba prejudicando o Guarda Belo, que acaba tentando impedir os planos dessa turma. O filme é baseado na clássica série de animação produzida pela Hanna-Barbera Productions,na década de 60 e será exibido em 3D.
“Cópia Fiel” é mais um excelente trabalho do diretor Abias Kiarostami (Gosto de Cereja). O filme mostra o encontro entre um homem e uma mulher, em um pequeno vilarejo ao sudoeste de Toscana. O homem, um escritor britânico que acabara de dar uma palestra em uma conferência. A mulher, francesa, dona de uma galeria de arte. Desse encontro comum, surge uma série de possibilidades de um relacionamento que pode ser verdadeiro ou inventado. No elenco, Juliette Binoche que merecidamente ganhou o prêmio de melhor atriz em Cannes.

SUPERNOVAS
*A Imovision comprou os direitos de “Faust”, de Alexander Sokurov, que recebeu o Leão de Ouro do Festival de Veneza no último sábado (10 de setembro). O filme encerra uma tetralogia do cineasta russo sobre o poder, formada ainda por “Moloch” (1999),”Taurus” (2001) e “O Sol” (2005). O Prêmio Especial do Júri ficou com a produção italiana “Terraferma”, de Emanuele Crialese (de “Novo Mundo”), enquanto o Leão de Prata de melhor direção foi para Shangjun Cai, por “People Mountain, People Sea”, apresentado como filme surpresa.Michael Fassbender, por “Shame”, e Deanie Yip, por “A Simple Life”, receberam os troféus Copa Volpi de melhor interpretação, enquanto Robbie Ryan levou o prêmio de melhor fotografia por “Whutering Heights”. O prêmio de melhor roteiro foi para Yorgos Lanthimos e Efthimis Filippou, pela produção grega “Alps”. Na mostra Orizzonti, o vencedor foi o japonês “Kotoko”, de Shinya Tsukamoto. Entre os filmes premiados, além de “Faust”, apenas “Shame” tem distribuição anunciada no Brasil, pela Focus Filmes.
*Presidenta Dilma Rouseff sanciona nesta segunda o PLC-116, que estabelece um marco legal para as operações de TV por assinatura no Brasil. A nova lei abre o mercado para as operadoras de telefonia e estabelece cotas para a produção nacional na programação, entre outras novidades. Anatel e Ancine têm 180 dias para efetuar a regulamentação – mas os trabalhos já estão avançados. O projeto foi sancionado com apenas dois vetos: o primeiro para adequar as regras de atendimento ao Código de Defesa do Consumidor e às regras do decreto do SAC, e o segundo retirando das programadoras a tarefa de atribuir a classificação indicativa, que segue sob responsabilidade do Ministério da Justiça.
*Dustin Hoffman começou a filmar esta semana seu primeiro longa como diretor, “Quartet”. Estrelado por Maggie Smith, Tom Courtenay, Billy Connolly e Pauline Collins, o filme é uma adaptação da peça homônima de Ronald Harwood, que conta a história de um grupo de cantores líricos aposentados. A produção é da BBC Films, DCM Productions, Headline Pictures e Dwyer Productions.
*”Top Gun – Ases indomáveis”, dirigido por Tony Scott em 1986, vai voltar aos cinemas em versão 3D. O filme será convertido pela empresa Legend3D, que deu uma amostra do resultado em um clipe de quatro minutos exibido esta semana na International Broadcasting Convention (IBC), em Amsterdã. No filme, Tom Cruise vive um jovem piloto de caça. A previsão de estreia é o primeiro semestre de 2012.
*A Film Movement comprou no Festival de Toronto os direitos de distribuição para o mercado norteamericano de “Histórias que só existem quando lembradas”, primeiro longa-metragem de Julia Murat. O filme teve sua première mundial na Jornada dos Realizadores do Festival de Veneza, no dia 2 de setembro, e foi exibido em Toronto nesse fim de semana. Em seguida, o filmes segue para SanSebastián. Sua primeira exibição no Brasil será no Festival do Rio, em outubro.
*As salas do Grupo Espaço de Cinema que trazem a marca do Unibanco vão mudar de nome e, a partir de outubro, passam a trazer a marca Itaú. Alguns exemplos são o Unibanco Arteplex do Rio, São Paulo, Porto Alegre e Curitiba e o Espaço Unibanco Pompeia, de São Paulo, entre outros – que passaram a se chamar,respectivamente, Itaú Arteplex e Espaço Itaú Pompeia.
* A ACCPA (Associação dos Críticos de Cinema do Pará) tem um site à disposição do internauta: www.accpara.com.br . No site da ACCPA, tem a programação dos cinemas comerciais e alternativos, críticas, calendários de estreias, enquete, etc..
*Acesse “Odisséia”, meu blog sobre cinema e outros assuntos no endereço http://www.marcoantoniomoreira.blogspot.com/.
* Meu Twitter: www.twitter.com/marcomoreira_

Cinema/Crítica
“O Planeta dos Macacos – A Origem”
“O Planeta dos Macacos” de Franklin Schaffner, realizado no final dos anos 60 com Charlton Heston no elenco, é um dos grandes filmes americanos desta década. A idéia do fim da civilização humana vista sob uma ótica diferente, inteligente e criativa, mostrando a evolução dos macacos em decorrência do ódio, intolerância e crueldades humanas realmente marcou toda uma geração que leu o livro de Pierre Boulle (no qual o filme foi baseado) e principalmente questionou profundamente os caminhos da humanidade que até hoje é incerto. Depois deste filme, em decorrência do grande sucesso mundial, algumas sequências com menos brilho e intensidade foram produzidas nos anos 70 mias a idéia básica do filme original permaneceu. Agora, décadas depois, as questões iniciadas no primeiro filme são retomadas com uma história que procura mostrar os acontecimentos que mostram o início da revolta dos macacos, a partir da experiência de um cientista que tenta achar um remédio contra o mal de Alzheimer (particularmente porque seu pai apresenta todos os sintomas da doença). A construção da história do filme convence bem até metade do filme, quando o desenvolvimento de alguns personagens ficam reticentes (especialmente o personagem do cientista) e a ação começa a ficar mais importante que os detalhes da história. Na primeira parte do filme, particularmente quando se mostra o crescimento do macaco César (que depois vai liderar a revolução dso macacos), o filme cria bons momentos criando e provocando reflexões sobre a relação de poder do homem civilizado, sua ambição e seus desvios de conduta. Mas como um “blockbuster” que tem seu compromisso com resultados na bilheteria, a história vai tomando outro curso. Mesmo assim, dentro do padrão de “blockbusters” realizado hoje em Hollywood, “O Planeta dos Macacos – A Origem” está acima da média. Com um bom roteiro (que poderia ter sido melhor aproveitado caso o filme fosse de produção independente), boas atuações e uma boa direção, o filme consegue retomar as questões do livro e do filme de forma coerente mas deixando uma sensação de que poderia ter sido feito mais. Não tenho como não destacar no filme os fantásticos efeitos especiais utilizados pela técnica de captura de movimentos onde sensores foram colocados no rosto e corpo dos atores que interpretaram os macacos, especialmente o macaco César.

Dicas
*O Ministério da Cultura divulgou a lista de longas-metragens inscritos para concorrer à indicação oficial do Brasil na disputa do “Oscar” de melhor filme estrangeiro. O título indicado será escolhido na terça-feira, 20 de setembro, quando a Comissão Especial de Seleção se reunirá, a partir das 10h, no Palácio Gustavo Capanema, no Rio de Janeiro. A comissão é composta pela secretária do Audiovisual, Ana Paula Santana; pelo presidente da Associação Brasileira de Cinematografia, Carlos Eduardo Carvalho Pacheco; pelo ministro do Departamento Cultural do Itamaraty, George Torquato Firmeza; e pelos representantes da Academia Brasileira de Cinema: Jorge Peregrino, Nelson Hoineff, Roberto Farias e Silvia Rabello. Os filmes inscritos foram:
- A Antropóloga, de Zeca Pires
- As Mães de Chico Xavier, de Glauber Filho e Halder Gomes
- Assalto ao Banco Central, de Marcos Paulo
- Bruna Surfistinha, de Marcus Baldini
- Estamos juntos, de Toni Venturi
- Família vende tudo, de Alain Fresnot
- Federal, de Erik de Castro
- VIPs, de Toniko Melo
- Histórias Reais de um Mentiroso, de Mariana Catalbiano
- Lope, de Andrucha Waddington
- Malu de Bicicleta, de Flavio Tambellini
- Mulatas! Um tufão nos quadris, de Walmor Pamplona
- Quebrando o Tabu, de Fernando Grostein
- Trabalhar Cansa, de Juliana Rojas e Marco Dutra
- Tropa de Elite 2, de José Padilha
* Estão abertas, até 7 de novembro de 2011, as inscrições para o 2º Festival de Cinema Universitário na Bahia. O projeto acontecerá na Unijorge (Centro Universitário Jorge Amado), em Salvador, Bahia, de 15 a 18 de março de 2012. O evento, realizado pela Multi - Planejamento Cultural, tem como objetivo estimular a discussão, produção e difusão do cinema universitário no país e distribuirá R$ 14 mil em prêmios para as 50 melhores produções brasileiras. Maiores informações : http://www.unijorge.edu.br/festivaluniversitario/index.html

AGENDA
* Cineclube Alexandrino Moreira: O cineclube, em parceria com a ACCPA (Associação dos Críticos de Cinema do Pará) exibirá amanhã o filme “A Comilança”, filme polêmico de Marco Ferrei com Marcelo Mastroianni e Ugo Tognazzi no elenco.. No filme, um grupo de amigos depois de uma orgia com prostitutas reúne-se para comer. A idéia é comer até morrer como forma de metáfora e crítica a uma sociedade individualista e desumana. O filme marcou a obra do cineasta Ferreri, um dos mais rebeldes do cinema italiano e foi candidato a Palma de Ouro em Cannes e deu um prêmio ao diretor. O filme será exibido às 19h com entrada franca e o tradicional debate entre o público e críticos da ACCPA. .
*Cine Estação: Oferecendo uma última chance para quem não pode acompanhar a mostra de Cinema Italiano feita dentro da programação da Feira Pan Amazônica do Livro, será exibido hoje uma maratona de filmes a partir das 10 h com sessões direto até às 20:30 h. Confira a programação completa no site www.estacaodasdocas.com.br
*Cine Líbero Luxardo :”Soul Kitchen” está em exibição somente até hoje com sessão às 19h. A partir de quarta-feira, estréia “Cópia Fiel” com Juliet Binoche, um dos melhores filmes deste ano. * Cine Olympia : Iniciou esta semana e vai até o dia 16/10, uma mostra de filmes da Venezuela com a exibição de vários filmes inéditos no Brasil. Todos os filmes do festival serão exibidos às 18 h com entrada franca. Veja a programação completa no site www.cinemaolympia.com.br. A mostra tem o apoio do Consulado Geral da Venezuela em Belém/Pa.

domingo, 11 de setembro de 2011

FESTIVAL DE FILMES DA VENEZUELA NO CINE OLYMPIA


FESTIVAL DE FILMES DA VENEZUELA NO CINE OLYMPIA
DE 15/09 À 16/10/11

PROGRAMAÇÃO :
“A CLASSE” - De 13 à 18/09
Sinopse: Jovens que moram num bairro pobre da capital venezuelana tentam encontrar novos caminhos para melhorar suas vidas maIs enfrentam grandes dificuldades que vão testar seus limites como cidadãos. (2007)
Direção: José Antonio Varela

“ZAMORRA” - De 20 à 25/09
Sinopse: Em meados do século XIX, a polarização entre liberais e conservadores marca a agenda política da Venezuela. Camponeses e escravos vivem sob a tirania da oligarquia colonial e Ezequiel Zamora lidera luta pela distribuição equitativa das terras, marcando o fim das desigualdades sociais.
Direção: Román Chalbaud (2009)

“AO SUL DA FRONTEIRA” - De 27/09 à 02/10
Sinopse: Numa co-produção EUA/Venezuela, o diretor Oliver Stone registra sua viagem por cinco países da América Latina e as conversas informais com os presidentes Luiz Inácio Lula da Silva (Brasil), Hugo Chávez (Venezuela), Evo Morales (Bolívia), Fernando Lugo (Paraguai), Rafael Correa (Equador), Raul Castro (Cuba), Cristina Kirchner (Argentina) e seu marido, o ex-presidente argentino Nestor Kirchner.
Direção: Oilver Stone (2009)

“TAMBORES DE ÁGUA: UM ENCONTRO ANCESTRAL” - De 04 à 07/10 (foto)
Sinopse: O documentário mostra a força das raízes africanas nas manifestações musicais venezuelanas. A história dos afrodescendentes venezuelanos desde sua chegada à Venezuela se desenrola quando seu protagonista consegue os tambores de água, uma prática musical muito peculiar e de grande beleza, que permite o encontro de dois continentes (África e América) no soar aquático de seus repiques, mostrando que não importa a distância quando as raízes são fortes o bastante para sobreviver através do tempo.
Direção: Clarissa Duque (2008)

“MIRANDA REGRESA” - De 11 à 16/10
Sinopse: Um jovem jornalista entra na cela do general Francisco Miranda, na Caracas de 10 de julho de 1816, para que o militar lhe conceda uma entrevista. Durante o encontro, desencadeou-se uma volta ao passado, fazendo uma retrospectiva da vida daquele que é considerado o mais universal dos venezuelanos.
Direção: Luis Alberto Lamata (2007)

*Os filmes serão exibidos numa única sessão às 18 h(De Terça à Domingo).
*Filmes inadequados para menores de 12 anos
* Exibição em DVD
*Apoio: Consulado Geral da Venezuela em Belém do Pará.

·

CINE TROPPO - SEMANA DE 09 À 15/09/11



CINE TROPPO
Marco Antonio Moreira Carvalho
Lançamentos da Semana
Caso não haja alterações de última hora, as estreias da semana são “Cowboys VS. Aliens” . “Larry Crowe – O Amor está de Volta” e “Soul Kitchen”.
“Cowboys Vs. Aliens” tem Daniel Craig (007) e Harrison Ford (Indiana Jones ) como protagonistas. Em 1873, no Arizona, um estranho sem lembranças chega na cidade de Absolution. A única referência ao seu passado é um misterioso grilhão em um dos seus pulsos. O que ele descobre é que a população de Absolution não gosta de forasteiros, e ninguém na cidade se move sem a permissão do Coronel Dolarhyde. Mas Absolution está prestes a experimentar um medo que mal compreende, quando a cidade é atacada por saqueadores do espaço. Agora, o estranho que eles rejeitaram é a única esperança de salvação. Esse pistoleiro aos poucos rememora quem é e onde esteve, e percebe que detém um segredo que pode dar à cidade uma chance contra a força alienígena. A direção é de Jon Favreau (A Lenda do Tesouro Perdido). Curiosidade : o protagonista seria vivido por Robert Downey Jr. (Homem de Ferro), que abandonou o elenco por conflitos na agenda.
“Larry Crowe – O Amor está de Volta” mostra a história de Larry Crowne, líder nato na equipe da empresa em que trabalhava. Mas a crise bateu à sua porta. Afundado em dívidas e precisando pagar a sua hipoteca, ele precisa voltar a sala de aula para começar uma nova vida. Na faculdade ele se torna parte de uma turma de pessoas que estão na mesma situação que ele, precisando encontrar um futuro melhor. Mas em sua aula de oratória, Larry desenvolve uma paixão inesperada por sua professora Mercedes Tainot, uma mulher que perdeu tanto a si a paixão por ensinar como a que sentia pelo marido. No elenco, Tom Hanks e Julia Roberts. A direção é de Tom Hanks que não dirigia desde “The Wonders – O Sonho não Acabou” em 1996.
“Soul Kitchen” é uma co-produção da Alemanha e Turquia. Depois de sua namorada o trocar por um emprego em Shanghai, a vida de Zinos, um jovem de origem grega, dono do restaurante Soul Kitchen, entra em crise e ele decide vender o estabelecimento. Nas três semanas antes de fechar as portas, mudanças repentinas começam a acontecer: o novo chef cozinha o que ele sempre quis fazer, um novo DJ agita o espaço levando os clientes a dançarem depois das refeições, artistas passam a exibir seus trabalhos - e todos estão gostando. Rumores sobre o cult Soul Kitchen se espalham por Hamburgo. Zinos percebe que é bobagem vender o restaurante, mas talvez seja tarde demais.O filme está sendo exibido no Cine Líbero Luxardo.

SUPERNOVAS
*A Argentina cobrará uma tarifa aos filmes estrangeiros, que forem exibidos nas telas do país, com o objetivo de promover o cinema nacional, segundo uma resolução publicada nesta terça-feira no Diário Oficial. A presidente do Instituto Nacional de Cinema e Artes Audiovisuais (INCAA), Liliana Mazure, assinou a resolução na qual se estabelecem taxas que as produtoras deverão pagar em função do número de salas onde os filmes estrangeiros serão exibidos, assim como de sua localização. Na cidade de Buenos Aires os filmes estrangeiros deverão pagar uma tarifa desde o equivalente a 300 ingressos de cinema pelo total de telas nas quais serão exibidos, quando as cópias não forem mais de 40, até o valor de 12 mil ingressos quando forem distribuídas mais de 161 cópias do filme. Para poder serem exibidos no resto do país, as taxas caem para a metade. O valor do ingresso será uma média do preço de mercado das salas comerciais de exibição da capital argentina, que será publicado bimestralmente pelo INCAA. As entradas para o cinema nas grandes cadeias comerciais de salas de exibição na Argentina custam entre US$ 3,8 e US$ 9, dependendo dos dias e horários.
*”360” (foto) de Fernando Meirelles, vai abrir o Festival Internacional de Londres, no dia 12 de outubro. Será a première europeia do filme, que terá sua estreia mundial em setembro, no Festival de Toronto. Em 2005, outro título de Meirelles, “O Jardineiro Fiel”, já tinha sido escolhido como filme de abertura de Londres.Com Rachel Weisz, Jude Law, Anthony Hopkins, Juliano Cazarré e Maria Flor no elenco, o filme é uma
coprodução da O2 de Meirelles com a Revolution Films (Reino Unido), Dor Film (Áustria) e Fidélité (França). O roteiro, de Peter Morgan (A Rainha), é inspirado na peça La Ronde, de Arthur Schnitzler. A previsão de estreia de “360” no Brasil é 3 de fevereiro de 2012, com distribuição da Paris.
*O cineasta espanhol Pedro Almodóvar será homenageado no próximo AFI Fest – o festival internacional de cinema promovido pelo American Film Institute, em Los Angeles. Almodóvar exibirá seu mais novo longa, “A Pele que Habito”, fará a seleção de uma mostra com filmes que inspiraram sua obra, e ainda apresentará uma sessão especial comemorativa do 25º aniversário de “A Lei do Desejo” que ele dirigiu em
1986. O AFI Fest se realiza de 3 a 10 de novembro.
*”O Fim e os Meios”, próximo longa de Murilo Salles, com produção da Cinema Brasil Digital, começa a ser filmado no dia 15 de outubro, em Brasília. Depois, a produção segue para Maceió e Rio de Janeiro. As filmagens devem se encerrar no dia 15 de dezembro. O roteiro conta a história de um publicitário que se muda para Brasília para trabalhar na campanha de um político. O elenco ainda não está definido.
*Já em cartaz em algumas cidades brasileiras, a segunda edição do projeto Sessão Vitrine conta com sete longas e seis curtas-metragens que finalmente podem se encontrar com o público através de um circuito comercial de exibição. Dessa vez, o projeto acontece nas cidades: São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Recife, Goiânia, São Luiz, Porto Alegre, Curitiba, Florianópolis, Belém do Pará, João Pessoa, Maceió, Salvador, Belo Horizonte, Fortaleza, Campo Grande e Vitória. Em Belém, o Cine Líbero Luxardo fará parte do circuito com exibições de filmes de quarta à domingo às 17h.
* A ACCPA (Associação dos Críticos de Cinema do Pará) tem um site à disposição do internauta: www.accpara.com.br . No site da ACCPA, tem a programação dos cinemas comerciais e alternativos, críticas, calendários de estreias, enquete, etc..
*Acesse “Odisséia”, meu blog sobre cinema e outros assuntos no endereço http://www.marcoantoniomoreira.blogspot.com/.
* Meu Twitter: www.twitter.com/marcomoreira_

DVD/Crítica
“Poesia” de Chang-dong Lee. O que é a poesia? Onde podemos encontrar a poesia neste mundo, nas pessoas, nas coisas? Para que serve a poesia? O cineasta Chag-dong Lee procura dar algumas respostas par estas questõess através da história de uma senhora de idade avançada que mora com seu neto e que sempre foi uma pessoa inquieta com a sua vida. Honesta com seu estilo de vida, esta senhora começa a sentir que está doente e ao mesmo tempo, como forma de preencher seu tempo e dar outro significado à sua vida, procura aprender sobre poesia num centro cultural de seu bairro. Mas ao aprender sobre poesia, esta senhora ao mesmo tempo tem que conviver com o lado duro e cruel do seu dia a dia, vivendo situações que ela não entende e que cada vez se mais confundem com seu ideal de vida. E é neste confronto entre o ideal (poesia) e o real (mundo) que o diretor nos conta uma belíssima história de redescobrimento e renascimento de uma mulher que até o fim, tenta se encontrar através de seus ideais, especialmente ao começar a entender o significado e razão de ser da poesia dentro do seu mundo, dentro do mundo de hoje. Realizado com uma narrativa simples, sensível e direta, “Poesia” revela o talento de um diretor sul-coreano que do início ao fim de seu filme, nos prova enfim, a importância da poesia dentro de todos nós, nos seus mais variados significados e interpretações. Belo filme inédito em nossos cinemas locais e que ganhou o prêmio de melhor roteiro no festival de Cannes de 2010.

“Cópia Fiel” de Abbas Kiarostami. Um escritor britânico e uma mulher, dona de uma galeria de arte, encontram-se num vilarejo ao sudoeste de Toscana e a partir deste encontro casual (ou proposital?) destes personagens, o excelente diretor Abbias Kiarostami procura criar um olhar diferente e original sobre a relação de um casal. Uma relação que pode ser baseada na sinceridade, honestidade, dúvida, verdades e mentiras de cada um. Uma relação que pode ser verdadeira ao ponto de cada um crescer em cima da verdade do outro, ou ao contrário. Neste caso, o roteiro brilhante do filme, deixa dúvidas inclusive se o casal realmente existe como casal ou se seria uma cópia fiel do como este homem e mulher seriam, caso fossem um casal. Esta relação de verdadeiro/falso e real/fictício que norteia o filme, cria um filme de exceção sobre o tema. Com a atuação brilhante de Juliete Biniché, “Cópia Fiel” é um filme provocador, que estimula o espectador a pensar e seguir uma jornada de inferno/céu de dois personagens que podem ser verdadeiros ou falsos, como qualquer um. Veja sem falta.

“Biutiful” de Alejandro Gonzáles Iñarritu. Gosto muito dos filmes do diretor Alexandre Iñarritu(“Amores Brutos”, 21 Gramas” e “Babel”). Seu cinema é autoral e sempre tem personagens e histórias interessantes. Aqui, neste filme (que teve indicações ao “Oscar”, especialmente para o grande ator Javier Bardem), vemos a forma de sobrevivência de Uxbal, um homem pai de dois filhos que está doente e luta o tempo todo contra seu destino. Uxbal é um homem amargo, descrente da vida e que vê a sua morte se aproximando de forma inevitável, e mesmo assim, luta contra tudo e todos, que estão ao seu redor.O diretor Iñarritu nos revela este personagem para criar um incômodo, uma reflexão sobre a vida e nossas escolhas. No decorrer do filme, ao ver a forma como se comporta o personagem diante da vida e de sua morte eminente, somos forçados a refletir, a pensar sobre o que cerca este personagem e inevitavelmente, sobre o que nos cerca. Afinal, o cinema como arte tem este poder e diretores como Iñarritu sabem como nos levar nesta proposta de introspecção. Por isso, “Biutiful” (nome irônico e ao mesmo tempo poético para um filme que fala sobre a vida e morte) não é um filme leve e/ou feito para entreter. É sim um filme que tem como objetivo a reflexão sobre temas tão presentes em nossas vidas. E a forma tensa, nervosa da narrativa escolhida pelo diretor, reforça sua proposta cinematográfica que com a ajuda da soberba atuação de Javier Bardem, faz de “Biufitul” um filme diferenciado que merece ser visto.

AGENDA
* Cineclube Alexandrino Moreira: O cineclube, em parceria com a ACCPA (Associação dos Críticos de Cinema do Pará) exibirá dia 19/09 o filme “A Comilança”, filme polêmico de Marco Ferrei.. O filme será exibido às 19h com entrada franca e o tradicional debate entre o público e críticos da ACCPA. .
*Cine Estação: Dentro da programação da XV Feira Pan Amazônica do Livro, está sendo exibida até domingo (dia 11)a mostra “Circuito Italiano”, numa homenagem ao cinema italiano. Hoje serão exibidos filmes do diretor Pier Paolo Pasolini. Confira a programação completa no site www.estacaodasdocas.com.br
*Cine Líbero Luxardo :”Soul Kitchen” está em exibição desde quarta-fiera e deverá ficar em cartaz até o dia 18, de quarta à domingo.Na Sessão Cult, em parceria com a ACCPA, será exibido sábado, dia 17/09 às 16 h, o filme “O Espantalho”, um dos grandes filmes americanos realizados nos anos 70. No elenco, Al Pacino e Gene Hackman em grandes atuações.Entrada franca com debate após a exibição.
* Cine Olympia : Domingo, dia 11. serão exibidos os filmes premiados na mostra Cine Periferia Pai D´pEgua, a partir das 19 h.

COMEÇA NO DIA 14/09 A PRIMEIRA MOSTRA DO FESTIVAL DE BRASÍLIA DO CINEMA BRASILEIRO

COMEÇA NO DIA 14 PRIMEIRA MOSTRA DO FESTIVAL DE BRASÍLIA DO CINEMA BRASILEIRO
DE 14 DE SETEMBRO A 16 DE OUTUBRO. 19h30. ENTRADA FRANCA.
Mostra Diretoras Premiadas no Festival de Brasília do Cinema Brasileiro traz consagrados filmes nacionais em programação com entrada franca

**Programação circulará por várias regiões administrativas

A 44ª edição do FESTIVAL DE BRASÍLIA DO CINEMA BRASILEIRO promete ocupar Brasília bem mais tempo do que só durante a exibição das mostras competitivas. Na verdade, o Festival começa agora, no próximo dia 14 de setembro, com a MOSTRA DIRETORAS PREMIADAS NO FESTIVAL DE BRASÍLIA DO CINEMA BRASILEIRO, que vai exibir filmes de algumas das maiores realizadoras brasileiras premiadas ao longo dos anos no festival, em diferentes cidades satélites, sempre com entrada franca. Até o dia 16 de outubro, será possível (re)ver títulos que hoje são clássicos do cinema nacional, como A Hora da Estrela, o premiado filme de Suzana Amaral, e Bicho de 7 Cabeças, que lançou internacionalmente o nome de Laís Bodanzky. Os filmes serão exibidos em sessões diárias únicas, às 19h30, com entrada franca. A mostra começa por Ceilândia, no dia 14 de setembro, exibindo os curtas Avante, camaradas e Diário Noturno e o longa É proibido fumar, de Anna Muylaert.
Realizada sempre de quarta-feira a domingo, a mostra vai passar também por Gama, Taguatinga, Planaltina e Sobradinho. A circulação da MOSTRA DIRETORAS PREMIADAS NO FESTIVAL DE BRASÍLIA DO CINEMA BRASILEIRO confirma a proposta de descentralização que caracteriza a ação cultural do atual governo, tendo à frente o Secretário de Cultura, Hamilton Pereira.
Em cada região administrativa vai ser possível tomar contato com filmes antológicos como Terra para Rose, o documentário de Tetê Moraes sobre a agricultora sem-terra pioneira, falecida num acidente, e Que bom te ver viva, emocionante documentário de Lúcia Murat sobre mulheres que aderiram à luta armada durante a ditadura militar. Um passeio pela história do Brasil, guiado pela sensibilidade feminina.
As sessões incluem a exibição de curtas e/ou médias-metragens – também premiados - antes da projeção do longa. Será a chance para ver trabalhos inventivos como Caligrama, de Eliane Caffé, um ensaio poético que mistura a ficção com contextos e personagens reais. E filmes que apresentam realidades impactantes como A menina e a casa da menina, de Maria Helena Saldanha que mostra o cotidiano de crianças da favela de Americanópolis, São Paulo, em 1979.
Sob a coordenação de Nilson Rodrigues, O 44º FESTIVAL DE BRASÍLIA DO CINEMA BRASILEIRO é uma realização da Secretaria de Estado da Cultura do Governo do Distrito Federal e conta com patrocínio da Petrobras.


PROGRAMAÇÃO

Ceilândia

(Av. Córrego das Corujas, em frente à Escola Classe 66 – Sol Nascente etapa 3)

14/9 (quarta-feira)

Avante, camaradas e Diário Noturno (curtas) e É proibido fumar (longa)



15/9 (quinta-feira)

Cidadão jatobá (curta), Caligrama (média) e A Hora da Estrela (longa)



16/9 (sexta-feira)

A menina e a casa da menina (curta), Pena Prisão (média) e Bicho de 7 Cabeças (longa)



17/9 (sábado)

Uma casa muito engraçada (curta), Minha vida, nossa luta (média) e Terra para Rose (longa)



18/9 (domingo)

Que bom te ver viva (longa)



Taguatinga

(Praça do Berimbau, QNL 28)

21/9 (quarta-feira)

Avante, camaradas e Diário Noturno (curtas) e É proibido fumar (longa)



22/9 (quinta-feira)

Cidadão jatobá (curta), Caligrama (média) e A Hora da Estrela (longa)



23/9 (sexta-feira)

A menina e a casa da menina (curta), Pena Prisão (média) e Bicho de 7 Cabeças (longa)



24/9 (sábado)

Uma casa muito engraçada (curta), Minha vida, nossa luta (média) e Terra para Rose (longa)



25/9 (domingo)

Que bom te ver viva (longa)


Planaltina

(Praça São Sebastião, em frente ao posto policial)

28/9 (quarta-feira)

Avante, camaradas e Diário Noturno (curtas) e É proibido fumar (longa)



29/9 (quinta-feira)

Cidadão jatobá (curta), Caligrama (média) e A Hora da Estrela (longa)



30/9 (sexta-feira)

A menina e a casa da menina (curta), Pena Prisão (média) e Bicho de 7 Cabeças (longa)



01/10 (sábado)

Uma casa muito engraçada (curta), Minha vida, nossa luta (média) e Terra para Rose (longa)



02/10 (domingo)

Que bom te ver viva (longa)

Sobradinho

(Vila Basevi)

05/10 (quarta-feira)

Avante, camaradas e Diário Noturno (curtas) e É proibido fumar (longa)



06/10 (quinta-feira)

Cidadão jatobá (curta), Caligrama (média) e A Hora da Estrela (longa)



07/10 (sexta-feira)

A menina e a casa da menina (curta), Pena Prisão (média) e Bicho de 7 Cabeças (longa)



08/10 (sábado)

Uma casa muito engraçada (curta), Minha vida, nossa luta (média) e Terra para Rose (longa)



09/10 (domingo)

Que bom te ver viva (longa)



Gama

(Praça Ponto de Encontro, 11/15, Setor Oeste)



12/10 (quarta-feira)

Avante, camaradas e Diário Noturno (curtas) e É proibido fumar (longa)



13/10 (quinta-feira)

Cidadão jatobá (curta), Caligrama (média) e A Hora da Estrela (longa)



14/10 (sexta-feira)

A menina e a casa da menina (curta), Pena Prisão (média) e Bicho de 7 Cabeças (longa)



15/10 (sábado)

Uma casa muito engraçada (curta), Minha vida, nossa luta (média) e Terra para Rose (longa)



16/10 (domingo)

Que bom te ver viva (longa)

SINOPSES



Avante, camaradas (curta), de Micheline Bondi, documentário, cor e p/b, 14min, RJ, 1986.

Sinopse: Composta nos anos 20 por Antônio Espírito Santo, mestre da banda de Angical (BA), a canção Avante Camaradas, uma homenagem a Coluna Prestes, acabou indo parar no hinário das Forças Armadas Brasileiras.

Prêmio de Melhor Curta-Metragem Júri Oficial do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro 1987.



Diário Noturno (curta), de Monique Gardenberg, ficção, cor, 26min, RJ, 1993

Sinopse: Uma mulher trabalha numa repartição pública, há 16 anos, onde carimba, numera e rubrica documentos idênticos. É solitária, e se refugia do mundo no seu apartamento moribundo. A sua única fuga é através dos seus sonhos, que são cheios de vida, fantasia e emoção.

Elenco: Marieta Severo,Vera Holtz, Chico Diaz e Kiki Lavigne.

Prêmio de Melhor Curta-Metragem Júri Oficial do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro 1993.



É proibido fumar (longa), de Anna Muylaert, ficção, cor, 35mm, 86min, SP, 2009

Sinopse: Sozinha no apartamento que herdou da mãe, Baby vive entre intrigas com as irmãs e as aulas de violão que dá para meia dúzia de alunos desinteressados. O cigarro é sua melhor companhia. Quando o músico Max se muda para o apartamento vizinho, ela vê sua chance de voltar à vida. Para fazer vingar o romance inesperado, enfrentará qualquer ameaça. Vai descobrir que o cigarro é o primeiro, mas não o maior de seus inimigos.

Elenco: Gloria Pires, Paulo Miklos, Marisa Orth, Alessandra Colasanti, Dani Nefussi, Lourenço Mutarelli, Paula Pretta, Lili Angel, Lucas Machado Candeias, Emerson Danesi, Henrique Silveira, Thogun, Theo Werneck, Magnu Souza, Maurílio de Oliveira, Pitty, Paulo César Peréio, Antonio Abujamra, André Abujamra, José Abujamra, Marcelo Mansfield e Rafael Raposo.

Premiado com sete prêmios no Festival de Brasília do Cinema Brasileiro/2009, entre eles Prêmio de Melhor Filme Júri Oficial, Melhor Atriz (Glória Pires) e Melhor Ator (Paulo Miklos).



Cidadão jatobá (curta), de Maria Luiza d’Aboim, documentário, cor, 14min, MT, 1987

Sinopse: Um grupo de índios jovens de diferentes etnias do Parque Nacional do Xingu aprende a construir a tradicional canoa feita da casca do jatobá. Devido às limitações do parque, esse tipo de canoa de rápido feitio, que servia principalmente para a exploração das redondezas, deixou de ser usada e só os mais velhos da aldeia ainda sabem construí-la.

Prêmio de Melhor Documentário Júri Oficial do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro 1987.

Caligrama (média), de Eliane Caffé, p/b, 29min, SP, 1995

Sinopse: Um ensaio poético construído a partir do repertório de sons, gestos, imagens, palavras e objetos dos homens de rua que habitam a cidade de São Paulo

Elenco: Agnaldo Sebalho, Antonio Dias da Rocha, Leonardo Villar, Jofre Soares e Jonas Bloch.

Prêmio de Melhor Documentário Júri Oficial do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro 1995.



A hora da estrela (longa), de Suzana Amaral, ficção, cor, 96min, SP, 1985

Sinopse: Macabéa é uma imigrante nordestina, que vive em São Paulo. Ela trabalha como datilógrafa em uma pequena firma e vive em uma pensão miserável, onde divide o quarto com outras três mulheres. Macabéa não tem ambições, apesar de sentir desejo e querer ter um namorado. Um dia ela conhece Olímpico um operário metalúrgico com quem inicia namoro. Só que Glória, colega de trabalho de Macabéa, tem outros planos após se consultar com uma cartomante.

Elenco: José Dumont, Marcélia Cartaxo, Fernanda Montenegro e Tâmara Taxman

Prêmio de Melhor Filme Júri Oficial e Júri Popular do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro 1985.



A menina e a casa da menina (curta), de Maria Helena Saldanha, cor e p/b, 9min, SP, 1979

Sinopse: Em Americanópolis, favela situada a 30 minutos de São Paulo, o cotidiano de crianças faveladas como Rosana, que aos 11 anos cuida de seus sete irmãos, faz as tarefas domésticas e vai à escola.

Narração: Kátia D’Ângelo

Prêmio de Melhor Curta-Metragem Júri Popular do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro 1980.



Pena prisão (média), de Sandra Werneck, cor, 35min, RJ, 1983

Sinopse: O cotidiano do Instituto Penal Talavera Bruce, prisão feminina no Rio de Janeiro: trabalho, inatividade, recreação e relações afetivas. Um questionamento da instituição penal, da justiça e do mundo do lado de fora das grades.

Narração: Ítalo Nandi

Prêmio de Melhor Filme Júri Popular do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro 1983.



Bicho de 7 cabeças (longa), de Laís Bodanzky, ficção, cor, 88min, 2000

Sinopse: Neto é um jovem estudante de segundo grau de classe média baixa. Ele não suporta a presença do pai. O pai não se interessa pelo mundo do filho. O vazio entre eles cresce a cada dia. A distância é instransponível. A comunicação termina gerando atitudes radicais, que acabarão colocando Neto atrás dos muros de um manicômio.

Elenco: Rodrigo Santoro, Othon Bastos, Cássia Kiss, Daniela Nefussi e Jairo Mattos.

Premiado com nove prêmios no Festival de Brasília do Cinema Brasileiro/2000, entre eles Prêmio de Melhor Filme Júri Oficial e Melhor Ator para Rodrigo Santoro.



Uma casa muito engraçada (curta), de Toshie Nishio, animação, cor, 3min, RJ, 1996

Sinopse: Era uma casa que não tinha teto, não tinha nada. Mas, há uma outra que tem isso tudo e muito mais.

Prêmio de Melhor Curta-Metragem do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro 1996.



Minha vida, nossa luta (média), de Suzana Amaral, documentário, cor, 32min, SP, 1979

Sinopse: Este filme faz parte de uma programação especial para o Ano Internacional da Criança onde a preocupação não é só mostrar a criança e seus problemas, mas também o contexto onde está inserida. E falar em criança, é falar na família, falar na família e falar na comunidade. E foi adentrando a comunidade da periferia que pude sentir a grande solidariedade humana, a preocupação com os problemas comuns e como um Grupo Resoluto de Mulheres se uniu para tentar resolver suas necessidades 'que são muitas, são muitas...' Fala-se muito de participação comunitária, mas ninguém sabe como se faz, nas elites intelectuais, políticas e sociais. Neste filme, o exemplo de como se pode fazer participação comunitária e como em união e luta as coisas poderão ser conseguidas, sem paternalismos.

Prêmio de Melhor Documentário do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro 1979



Terra para Rose (longa), de Tetê Moraes, documentário, cor, 84min, RS, 1987

Sinopse: Rose é uma agricultora sem-terra que, com outras 1.500 famílias, participou da primeira grande ocupação de uma terra improdutiva, a fazenda Annoni, no Rio Grande do Sul. Fala do início de um polêmico e importante movimento social, o MST (Movimento Sem-Terra). Rose deu à luz ao primeiro bebê que nasceu no acampamento e foi morta num estranho acidente.

Prêmio de Melhor Filme Júri Oficial do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro 1987



Que bom te ver viva (longa), de Lúcia Murat, documentário, cor, 100min, RJ, 1989

Sinopse: A vida de mulheres brasileiras que aderiram à resistência armada durante a ditadura militar. Misturando ficção e realidade, o filme retrata dolorosas experiências e esforço para reconstruir suas vidas.

Elenco: Irene Ravanche

Prêmio de Melhor Filme Júri Oficial e Júri Popular do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro 1989.



­­­­­­­­­­­­­­­­__________________________________________________________________________

44º FESTIVAL DE BRASÍLIA DO CINEMA BRASILEIRO

Realização: Secretaria de Estado de Cultura do DF

Patrocínio: Petrobras, Oi e Terracap

Apoio: BRB, CCBB - Centro Cultural Banco do Brasil, Caesb, Oi Futuro, Lei de Incentivo à Cultura, Ministério da Cultura, Câmara Legislativa do Distrito Federal e TV Brasil

Apoio Cultural: Canal Brasil, Revista Cinema, Cinemark, SESC/DF, Teatro de Sobradinho, ITS – Instituto Terceiro Setor

SESSÃO VITRINE ACONTECE EM 17 CIDADES DO BRASIL E CHEGA EM BELÉM

SESSÃO VITRINE ACONTECE DEZESSETE CIDADES DO BRASIL
Segunda edição do projeto de distribuição coletiva criado pela Vitrine Filmes lança no circuito comercial sete filmes nacionais
Já em cartaz em algumas cidades brasileiras, a segunda edição do projeto Sessão Vitrine conta com sete longas e seis curtas-metragens que finalmente podem se encontrar com o público através de um circuito comercial de exibição. Dessa vez, o projeto acontece nas cidades: São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Recife, Goiânia, São Luiz, Porto Alegre, Curitiba, Florianópolis, Belém do Pará, João Pessoa, Maceió, Salvador, Belo Horizonte, Fortaleza, Campo Grande e Vitória.
Os espectadores poderão acompanhar o trabalho de cineastas que já tinham filmes na primeira edição, caso de Gabriel Mascaro, que após a ótima receptividade de UM LUGAR AO SOL, volta aos cinemas em um curto espaço de tempo com AVENIDA BRASÍLIA FORMOSA, filme exibido em mais de dez festivais ao redor do mundo como Rotterdam, Vancouver International Film Festival, entre outros.
A produtora cearense Alumbramento também volta a Sessão Vitrine com seu novo filme OS MONSTROS. Dos mesmos diretores de ESTRADA PARA YTHACA, o filme chega ao circuito na mesma época em que está sendo exibido em festivais.
Através da segunda edição da Sessão Vitrine, é possível conhecer a Trilogia Coração de Fogo, criada por Felipe Bragança e Marina Meliande. Os filmes A FUGA DA MULHER GORILA e DESASSOSSEGO (FILME DAS MARAVILHAS) entram em um circuito comercial completando a trilogia que é formada também por ALEGRIA, que já está em cartaz nos cinemas.
OS RESIDENTES, CRITICO e PACIFIC também chegam às salas comerciais com o intuito de diversificar a cena atual do circuito exibidor de cinema brasileiro. Esse projeto de distribuição visa destacar esse cinema feito por realizadores autorais, com filmes muitas vezes produzidos com baixo orçamento, mas que recebe grande atenção em importantes festivais, e dessa forma criar uma relação entre o espectador e o evento de ir ao cinema, fortalecendo o circuito alternativo e investindo na formação de novas plateias.
A programação da Sessão Vitrine e mais informações e materiais sobre os filmes, estão nos sites http://www.sessãovitrine.com.br . Todos os diretores, tanto dos curtas, quanto dos longas, estão disponíveis para conversar sobre seus filmes e sobre a importância do projeto.

44º FESTIVAL DE CINEMA DE BRASÍLIA ABRE INSCRIÇÕES PARA SEMINÁRIOS

A 44ª edição do FESTIVAL DE BRASÍLIA DO CINEMA BRASILEIRO preparou um amplo programa de seminários que pretende abordar os temas mais relevantes para a produção cinematográfica no País. A idéia é provocar avanços efetivos na produção, distribuição, conservação, recuperação, difusão, novas perspectivas do cinema no Brasil, dentre vários outros campos da atividade cinematográfica brasileira. As atividades irão reunir gestores, intelectuais, realizadores e representantes dos diversos setores de produção para discutir assuntos como o impacto das novas tecnologias, novas técnicas de preservação e difusão, as políticas voltadas para o cinema infantil e o diálogo com países ibero-americanos, dentre outros. Para participar, é preciso fazer inscrição, até o dia 16 de setembro, através do e-mail inscricoesfestbrasilia@gmail.com. Inscrições gratuitas.

· NOVAS PERSPECTIVAS DO CINEMA E DO AUDIOVISUAL BRASILEIRO
Data: de 28 a 30 de setembro
Horário: das 9h às 12h e 14h30 às 18h
Local: Auditório Ouro Preto, Kubitschek Plaza Hotel
Inscrições: de 05 a 16/09 – inscricoesfestbrasilia@gamil.com

O seminário debaterá a história do cinema brasileiro, fará uma avaliação do arranjo institucional do audiovisual no Brasil, além de discussões sobre o impacto das novas tecnologias para o cinema e o audiovisual e as perspectivas econômicas e estéticas que se abrem neste novo contexto.
O compromisso é levantar e discutir temas pertinentes às políticas públicas do cinema e do audiovisual brasileiro. Durante o evento será lançada uma publicação com o conteúdo das palestras, com reflexões sobre possíveis alternativas para o futuro: Estamos prontos para um novo modelo de regulação? Quais seriam as novas políticas de fomento e quais os caminhos possíveis para dinamizar a produção nacional? As atuais instituições formam o arranjo adequado para dar segmento ao desenvolvimento do cinema brasileiro? Qual arranjo institucional seria mais adequado como resposta aos desafios presentes? Qual é o papel da televisão brasileira no desenvolvimento do cinema? Qual é o impacto das novas tecnologias na atividade audiovisual? De que maneira o cinema e o audiovisual podem contribuir com o processo de educação nas escolas? Quais são os limites e possibilidades de difusão do cinema brasileiro no exterior?
Entre os debatedores presentes estarão gestores públicos, intelectuais, representantes dos setores de produção, distribuição e exibição, além de realizadores.

· SEMINÁRIO INTERNACIONAL MEMÓRIA DO CINEMA: DESAFIOS E PERSPECTIVAS DA ERA DIGITAL NA RECUPERAÇÃO, PRESERVAÇÃO E DIFUSÃO DO ACERVO
Data: dias 30 de setembro e 1º de outubro
Horário: das 14h às 18h
Local: Salão Caxambu, do Kubitscheck Plaza Hotel
Inscrições: de 05 a 16/09 – inscricoesfestbrasilia@gamil.com

O Seminário expressa o comprometimento do Festival de Cinema de Brasília do Cinema Brasileiro com a recuperação, preservação e difusão da memória do cinema e do audiovisual. Diretores de cinematecas do Brasil e do exterior, intelectuais, realizadores, pesquisadores e difusores debaterão os desafios, avanços e potencialidades da era digital na preservação da memória do cinema e do audiovisual, e apresentarão experiências de intercâmbio e cooperação entre cinematecas brasileiras e museus de imagem e som do país, da América Latina e da Europa.
O seminário pretende estimular a reflexão sobre novas formas de intercâmbio e cooperação técnicas e tecnológicas que possam favorecer e otimizar a preservação e o acesso da história do cinema e da memória fílmica. Como resultad, serão formuladas propostas de intercâmbio e cooperação entre entidades; acervos e bancos de dados.
A coordenação será da professora Dra. Tânia Montoro, pós-doutorada em cinema pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), doutora em cinema e televisão pela Universidade Autônoma de Barcelona, professora e pesquisadora da Universidade de Brasília – UnB e coordenadora da linha de pesquisa em imagem e som do mestrado e doutorado em Comunicação da Universidade de Brasília. Tânia Montoro é ainda ensaísta e escritora.

· CINEMA INFANTIL BRASILEIRO: TRAJETÓRIA E FUTURO
Data: 2 de outubro
Horário: a partir das 14h30
Local: Salão Caxambu, do Kubitschek Plaza Hotel
Inscrições: de 05 a 16/09 – inscricoesfestbrasilia@gamil.com

Comparada a outros gêneros, a produção brasileira de cinema infantil ainda é muito pequena. O seminário Cinema Infantil Brasileiro: Trajetória e Futuro tem como objetivo refletir sobre as políticas voltadas para o cinema infantil, além da importância da formação de público. Para isso, contará com a presença de nomes importantes para o setor, como Ziraldo, Pedro Rovai e Diler Trindade.
Quais os caminhos possíveis para o desenvolvimento do cinema infantil? O Brasil tem políticas públicas expressivas para o cinema voltadas para a infância e adolescência? Como as novas tecnologias se encaixam no modo de produzir para esses públicos?

· SEMINÁRIO IBERMEDIA - DIFUSÃO, MERCADO E INTEGRAÇÃO DAS CINEMATOGRAFIAS IBERO-AMERICANAS: A EXPERIÊNCIA DO IBERMEDIA
Data: 27 de setembro
Horário: a partir das 14h
Local: Salão Caxambu, do Kubitschek Plaza Hotel
Inscrições: de 05 a 16/09 – inscricoesfestbrasilia@gamil.com

O tema será abordado por Luis Angel Roa Zambrano, coordenador geral da SECI - Secretaria Executiva Cinematográfica Iberoamericana e da Conferência de Autoridades Cinematográficas Iberoamericanas - CACI. A idéia é apresentar um panorama da produção e exibição da cinematografia iberoamericana nos últimos dez anos, as experiências em coprodução, a expansão do mercado de exibição e a ampliação da audiência neste período.
O programa Ibermedia congrega dezoito países da América Latina, Caribe e os de língua portuguesa, em prol do fomento à produção, exibição e promoção do cinema e do audiovisual produzido nestas nações e culturas. Para dar maior visibilidade à produção cinematográfica iberoamericana, o programa Ibermedia promove parcerias com a televisão e, nos últimos dois anos, mais de 100 filmes foram exibidos por emissoras públicas de 12 países participantes.

· ENCONTRO: NOVOS RUMOS PARA O CINEMA BRASILIENSE
Data: 1º de outubro
Horário: a partir das 14h30
Local: Salão Ouro Preto, Kubitschek Plaza Hotel
Inscrições: de 05 a 16/09 – inscricoesfestbrasilia@gamil.com
Após uma década sem políticas para o audiovisual brasiliense, chega o momento de discutir caminhos e novas perspectivas. Participarão do debate personalidades de cinema brasiliense.

· PALESTRA ESTÉTICA AUDIOVISUAL PARA CELULAR: POSSIBILIDADES DE NEGÓCIOS NO PRESENTE E NO FUTURO
Data: 2 de outubro
Horário: 10h
Local: Salão Caxambu, Kubitschek Plaza Hotel
Inscrições: de 05 a 16/09 – inscricoesfestbrasilia@gamil.com
__________________________________________________________________________
44º FESTIVAL DE BRASÍLIA DO CINEMA BRASILEIRO
Realização: Secretaria de Estado de Cultura do DF
Patrocínio: Petrobras, Oi e Terracap
Apoio: BRB, CCBB - Centro Cultural Banco do Brasil, Caesb, Oi Futuro, MinC/Lei de Incentivo à Cultura, Ministério da Cultura, Câmara Legislativa do Distrito Federal
Apoio Cultural: TV Brasil, Canal Brasil, Revista Cinema, Cinemark, SESC, Teatro de Sobradinho, ITS – Instituto Terceiro Setor

sábado, 3 de setembro de 2011

CINE TROPPO - SEMANA DE 02 À 08/09/11



CINE TROPPO
Marco Antonio Moreira Carvalho

Lançamentos da Semana
Caso não haja alterações de última hora, as estreias da semana são “Deu a Louca no Chapeuzinho Vermelho 2”, “O Homem do Futuro” e “Apollo 18”
Em “Deu a Louca no Chapeuzinho Vermelho 2”(3D), a heroína está treinando com uma organização secreta quando é chamada para ajudar a agência de Espionagem “Feliz Para Sempre” a descobrir o paradeiro de João e Maria que desapareceram misteriosamente. A grande confusão começa quando Chapeuzinho percebe que terá que se unir ao sem noção do Lobo Mau, a corajosa Vovózinha e ao pilhado esquilo Ligeirinho para salvar as crianças. O filme será exibido em 3D.
“O Homem do Futuro” tem Wagner Moura (Tropa de Elite) e Aline Moraes como protagonistas. Zero (Moura) é um cientista genial mas infeliz porque há 20 anos atrás foi humilhado publicamente na faculdade e perdeu Helena ( Moraes), o grande amor de sua vida. Certo dia, uma experiência acidental com um de seus inventos faz com que ele viaje no tempo, mais precisamente, ao passado. Depois da chance de mudar a sua história, Zero retorna ao presente totalmente modificado e se descobre um tremendo canalha, o que só o afastou ainda mais de Helena. Agora, sua chance é voltar novamente no tempo e impedir que ele mesmo altere o presente.
“Apollo 18” é produzido por Timur Bekmambetov (O Procurado) e tem a direção de Gonzalo Lopez-Gallego, em seu primeiro trabalho hollywoodiano. Oficialmente, a Apollo 17, lançada em 17 de dezembro de 1972, foi a última missão à Lua divulgada. Mas, um ano depois, dois astronautas americanos foram enviados para lá em uma missão secreta, financiada pelo Departamento de Defesa dos Estados Unidos. O que você está prestes a ver são imagens reais que eles fizeram durante a missão Apollo 18. Enquanto a NASA nega a sua autenticidade, outros acreditam que essa foi a verdadeira razão para o Homem nunca ter voltado à Lua.


SUPERNOVAS
*A 68ª edição do Festival de Vezeza começou nesta semana com a première mundial de 'Tudo pelo Poder' (The Ides of March)(foto), dirigido e estrelado por George Clooney.Na disputa pelo Leão de Ouro destacam-se os novos trabalhos de Roman Polanski (Carnage), adaptação da peça de Yasmina Reza que traz no elenco Jodie Foster, Kate Winslet, John C. Reilly e Christoph Waltz; “A Dangerous Method”, de David Cronenberg, com Vigo Mortensen e Keyra Knightley; e “Tinker, Tailor, Soldier, Spy”, nova versão do romance de John Le Carré (traduzido no Brasil como O Espião que sabia demais), com direção de Tomas Alfredson (de Deixa ela entrar) e um elenco que reúne Gary Oldman, Colin Firth e John Hurt.
*Anne Hathaway ('Batman - O Cavaleiro das Trevas Ressurge') está em negociações para o elenco da nova versão do clássico romance da Broadway, 'Os Miseráveis' (Les Miserables).Os produtores a querem no papel de Fantine. A atriz foi indicada por Hugh Jackman - protagonista e produtor.
*O filme “VIPs”, dirigido por Toniko Mello, ganhou neste final de semana o troféu Lente de Cristal como melhor longa metragem na 15ª edição do Brazilian Film Festival, realizado em Miami, entre os dias 19 e 27 de agosto. Ao lado de outros 30 filmes brasileiros que estavam em competição, o longa metragem produzido pela O2 Filmes deu ainda o prêmio de melhor ator a Wagner Moura, que interpreta o personagem principal da história.
*A produtora de Sam Raimi (Homem-Aranha), anunciou uma refilmagem do remake de 'O Grito' (The Grudge). O longa, de 2004, foi estrelado por Sarah Michelle Gellar ('Eu Sei o que Vocês Fizeram no Verão Passado') e Bill Pullman ('Independence Day'), e produzido pelo próprio Raimi.Não foi revelado se o longa será lançado nos cinemas ou direto em DVD.
*O ator Josh Brolin ('Bravura Indômita') será o protagonista da refilmagem hollywoodiana do ótimo filme coreano “Oldboy”.Ele acaba de finalizar seu trabalho em “Homens de Preto 3”, e começa nos próximos meses a filmagem deste. Spike Lee ('O Plano Perfeito') dirige 'Oldboy'. O roteiro escrito foi escrito por Mark Protosevich ('Eu Sou a Lenda').
*Os irmãos Coen ('Bravura Indômita') anunciaram o título do novo musical que eles dirigem: 'Inside Llewyn Davis'.Segundo a Variety, a história acompanha Dave van Ronk, cantor de folk norte-americano que liderou o cenário musical de Greenwich Village na década de 60. Ele inspirou grandes artistas, como Bob Dylan, Phil Ochs e Joni Mitchell. O livro de memórias 'The Mayor of MacDougal Street' será usado como base para o roteiro.
* A ACCPA (Associação dos Críticos de Cinema do Pará) tem um site à disposição do internauta: www.accpara.com.br . No site da ACCPA, tem a programação dos cinemas comerciais e alternativos, críticas, calendários de estreias, enquete, etc..
*Acesse “Odisséia”, meu blog sobre cinema e outros assuntos no endereço http://www.marcoantoniomoreira.blogspot.com/.
* Meu Twitter: www.twitter.com/marcomoreira_

22º FESTIVAL DE CURTAS METRAGENS DE SP
O 22º Festival Internacional de Curtas Metragens de São Paulo comprovou tanto na mostra BRASIL com na mostra INTERNACIONAL, a capacidade dos diretores de serem criativos, poéticos e muitas vezes originais em filmes de diversas nacionalidades e categorias, abordando temas universais numa linguagem simples que revela cada vez mais a importância do curta metragem para se descobrir novos caminhos para o cinema. Dentro da extensa programação do festival, pude ver vários filmes interessantes que merecem destaque. Confira alguns títulos:

- “Pixinguinha e a Velha Guarda do Samba” de Ricardo Dias e Thomaz Farkas, realizado em torno de filmagens feitas por Farkas em 1954 quando o grande músico Pixinguinha se apresentou ao vivo em SP, num registro raro que levou cinqüenta anos para ser mostrado ao público.

- “Lúcia” de Niles Atallah, Cristóban León e Joaquin Cociña, do Chile, mostra em tom de suspense a imaginação de uma garota através de animações que surgem dentro do seu quarto. Filme com idéia simples e com uma realização fantástica.

- “Poeira de Estrelas”, produção da Bélgica, de Nicolas Provost, que mostra o dia a dia dos habitantes de Las Vegas misturando diálogos reais, imaginários e de filmes, criando uma história interessante, diferente e possível dentro de uma grande cidade como Las Vegas.

- “Manequim 46”, produção da Bélgica sobre uma adolescente obesa que tenta superar seus limites na natação, enfrentando problemas na família. Belo trabalho, muito bem dirigido e com excelentes interpretações.

- “Viagem Aleatória”, produção da China que mostra dois homens conversando sobre uma discussão num bar numa conversa que vai evoluindo para um teor político, revelando o nível de alienação do povo chinês. Excelente roteiro.

- “Baby”, produção inglesa que mostra a vida de uma mulher solitária que procura o amor, mas é aidética e vê seus valores sendo destruídos pela doença. Ótimo filme que certamente poderia render um excelente longa-metragem.

- “Cinderela”, produção Brasil/França que mostra um caso de amor que mistura conto de fadas com a realidade, usando o nome Cinderela com vários sentidos.

- “Oma”, produção Brasil/Uruguai que mostra as reações de vida e de sentimentos de uma mulher idosa, avó do diretor. O filme é todo filmado e montado de forma amadora, simples, dando destaque às palavra da senhora Oma, que fala alemão e espanhol, revelando a fragilidade e a solidão da velhice. Filme simples e sensível que aborda um tema necessário e sempre atual.

- “Gisela”, produção brasileira dirigida por Felipe Sholl, é um filme que se equilibra entre o terror e o suspense ao mostrar o enlouquecimento de uma dona de casa que é casada mas que está sempre solitária, acompanhada apenas da sua empregada que lhe causa desconfiança. O filme tem uma boa narrativa, ritmo e boa história. Uma agradável surpresa.

- “Meu Mêdo”, produção brasileira dirigida por Murilo Hauser, mistura animação e cenas reais para contar os mêdos de um menino que sente e ouve de tudo na casa onde mora, ficando sempre assustado e querendo fugir pela janela da casa. O filme tem uma excelente montagem que sabe valorizar os espaços onde o menino vive, criando um clima de suspense que envolve o espectador.

- “Melhor que Aqui” de Eduardo Wannmacher é um filme com poucos diálogos, revelando a distância entre dois jovens que pouco se conhecem mais que lentamente descobrem ter muito em comum nos seus limites e na sua forma de encarar o mundo.

- “Ovos de Dinossauro na Sala de Jantar” de Rafael Urban mostra as memórias da viúva Ranghild Borgomanero que guarda com carinho a coleção particular de fosséis de seu marido falecido.

- “O Céu no Andar de Baixo” é um curta de animação que mostra a história de um menino que gosta de fotografar o céu e um dia, fotografa algo diferente que ele vai tentar identificar e que irá mudar a sua rotina.

- “L” de Thais Fujinaga conta a história de uma menina de 11 anos que odeia seus pés porque são grandes e que acaba conhecendo um garoto chinês que também tem seus problemas pessoais. A amizade entre os dois muda o curso das suas histórias.

- “Adormecidos” de Clarissa Campolina retrata de forma poética, uma visão diferenciada de cartazes e outdoors que ficam nas ruas das grandes cidades, que de noite, perdem seu brilho e importância. O filme tem um excelente trabalho de montagem.

- “Praça Walt Disney” de Sérgio Oliveira e Renata Pinheiro mostra o dia a dia, a rotina dos habitantes que vivem próximos a Praça Walt Disney, em Recife. O filme é muito bem construído usando imagens reais em sequências que usam músicas de alguns desenhos de Walt Disney. Um dos melhores filmes do festival.

- “A Dama do Peixoto” é dirigido por Douglas Soares e Allan Ribeiro e mostra através de depoimentos dos residentes de um bairro, a história de uma mulher que vive num banco da praça e que é admirada por várias pessoas ao mesmo tempo que provoca curiosidade em todos em saber sobre sua origem e personalidade.

- “Dois e Meio” de Alexandre Serafini mostra o desespero de um trabalhador ao perceber que roubaram seu carro, forçando-o a tomar uma atitude desesperada e entrando em conflito com sua família.

- “Ainda as Amo”, produção francesa de Marie-Pierre Grenier conta a história de uma mulher de 79 anos e suas diversas paixões por outras mulheres no decorrer de sua vida, revelando suas angústias, felicidades preocupação com a morte e com o envelhecimento.

“À Sombra”, produção francesa de Fabrice Mathieu é simplesmente genial. O filme mostra a história de uma sombra que usa as pessoas como “portadoras” e que um dia decide não mais depender de ninguém para viver, querendo sua liberdade. O filme usa imagens clássicas de filmes “noir”, usando sequências onde sombras de atores como Humprey Bogart e Peter Lorre aparecem em destaque. Brilhante idéia muito bem realizada. Um dos melhores curtas do festival.
- “Trabalhadores Saindo da Fábrica”, produção da Alemanda de Anna Linke mostra o dia a dia de uma jovem que faz o mesmo cansativo trabalho numa fábrica, revelando a banalidade de sua vida. Mas uma mudança acontece quando um novo empregado é admitido. Belo trabalho com belas sequências.

- “Péssima Noite para o Blues”, produção inglesa de Chris Shepard mostra o comportamento de uma velha senhora que ao lado do sobrinho vai numa festa onde bebe demais e acaba criando caso com algumas pessoas conhecidas. Ótima atuações num roteiro irônico e inteligente.

- “O Grito”, produção francesa de Raphael Mathie mostra o drama de uma família que mora perto de uma floresta e que começa a ouvir um grito estranho que vem de dentro da mata e que terá que ser investigado, revelando a fragilidade de todos.

- “Amsterdam”, produção francesa de Etienne Philippe mostra a amizade entre dois jovens, um francês e outro de origem árabe que trabalham juntos numa pequena plantação até que a polícia investiga e descobre que o jovem árabe esta irregular dentro do país. A diferença de vida entre os dois jovens é mostrada com realismo pelo diretor.

- “Eu Poderia ser a sua Avó”, produção francesa de Bernard Tanguy é muito interessante ao mostrar a história de um publicitário que sentindo pena de uma velha senhora que pede esmola na frente do seu prédio, cria a seguinte frase para fazer com que as pessoas a ajudem : EU PODERIA SER SUA AVÓ. Só que a idéia funciona tão bem que outros mendigos da rua começam a querer ter sua frase pessoal para receber mais esmolas, mudando a vida do publicitário.

AGENDA
* Cineclube Alexandrino Moreira: O cineclube, em parceria com a ACCPA (Associação dos Críticos de Cinema do Pará) exibirá amanhã a obra-prima de Ingmar Bergman, “A Hora do Lobo”, produção realizada nos anos 60. É um dos grandes filmes deste genial diretor que tem uma filmografia fantástica e que merece ser cada vez mais conhecida.. O filme será exibido às 19h com entrada franca e o tradicional debate entre o público e críticos da ACCPA. .
*Cine Estação: Dentro da programação da XV Feira Pan Amazônica do Livro, será exibido a mostra “Circuito Italiano”, numa homenagem ao cinema italiano. Dia 04 - filmes do diretor Luchino Visconti, Dia 05 - filmes do diretor Bernardo Bertolucci - Dia 06, filmes do diretor Federico Fellini - Dia 07, filme do diretor Vittorio de Sicca, Dia 08 - filmes do diretor Michelangelo Antonioni e dia 11 - filmes do diretor Pier Paolo Pasolini.Confira a programação completa no site www.estacaodasdocas.com.br
*Cine Líbero Luxardo :”A Árvore” tem hoje seu último dia de exibição. O filme será exibido às 19 h. A história do filme acontece numa aldeia na Austrália, onde um casal vive com seus quatro filhos. Logo no início da trama, uma tragédia: o pai morre bem diante da filha menor. Em meio à depressão que se segue, ela consegue apoio numa fuga para enganar a tristeza: ela passa a acreditar que o espírito de seu pai encarnou na enorme figueira ao lado de sua casa.
*Cine Saraiva: Quinta-feira, dia 08/09, em parceria com a ACCPA, será exibido no Cine Saraiva (Livraria Saraiva), o clássico “O Médico e o Monstro” de Victor Fleming, versão de 1941 com Spencer Tracy e Ingrid Bergman no elenco.Sessão às 19 h com entrada franca e debate após a sessão.

OS PREMIADOS 22º FESTIVAL INTERNACIONAL DE CURTAS METRAGENS DE SP

22º Festival Internacional de Curtas Metragens
de São Paulo anuncia os preferidos
do público e premiações

Após uma maratona de nove dias, com a apresentação de 472 curtas gratuitamente em nove salas de exibição de São Paulo, o Festival Internacional de Curtas Metragens de São Paulo encerra hoje, sexta-feira, 02 de setembro, sua 22ª edição e anuncia os premiados do ano.
O Festival não tem caráter competitivo, mas seus parceiros oferecem uma série de incentivos para filmes selecionados, na maioria dos casos a partir dos 10 preferidos do público.
Os destaques desta edição são Iris Junges, diretora do filme “O Cão”, que ganhou o Prêmio Revelação e uma bolsa para o curso de roteiro de Robert McKee, que acontece em setembro em São Paulo.
“Praça Walt Disney”, dos pernambucanos Sergio Oliveira e Renata Pinheiro, levou o Prêmio Canal Brasil de Incentivo ao Melhor Curta Metragem, no valor de R$ 15 mil.
Thais Fujinaga, diretora do filme “L”, levou para casa quatro prêmios: o Prêmio Avon para melhor filme brasileiro, o Prêmio CTAv, um dos Prêmios Porta Curtas e o Troféu ABD-SP.
“El mundo de Raúl”, de Jessica Rodriguez Sanchez e Horizoe Garcia, de Cuba, também foi destaque, recebendo o Prêmio Avon para melhor filme internacional e o Troféu ABD-SP para melhor filme latino-americano.
Este ano, o Festival apresentou a Mostra Feminino Plural, que contou com o patrocínio da Avon. São cinco programas de filmes dirigidos por realizadoras brasileiras, um programa com destaques internacionais, um programa de filmes selecionados a partir dos filmes inscritos em 2011 e o programa “Fale sem medo”, que discute a questão da violência doméstica.
Agora, os programas brasileiros e o “Fale sem medo” também serão exibidos em Fortaleza (15 a 22/9), Salvador (22 a 29/9) e João Pessoa (29/9 a 6/10), em salas do circuito Espaço Unibanco.
O Festival também conta com o patrocínio da Petrobras.
Direção do Festival: Zita Carvalhosa

*Prêmio Revelação
A vencedora é Iris Junges, diretora do filme ¨Cão¨, estudante da Escola de Comunicações e Artes da USP.
O Prêmio Revelação tem como objetivo incentivar os jovens talentos do audiovisual brasileiro em sua próxima produção. Graças ao apoio de várias empresas parceiras, o prêmio oferece todos os recursos para a produção, de 5 diárias de filmagem até a cópia de exibição.
As empresas parceiras são: Quanta, CineProDOT, PlayRK30, Estúdios Mega, Megacolor, Fuji Film, Dolby e CTAv.

*Prêmios Aquisição
- Praça Walt Disney, de Sergio Oliveira e Renata Pinheiro (PE) é o vencedor do Prêmio Canal Brasil de Incentivo ao Curta Metragem. Recebe o valor de R$ 15.000,00. O filme foi escolhido entre os 10 favoritos do público da Mostra Brasil, por um júri formado por jornalistas e críticos convidados pelo canal.
- Onde você vai?, de Victor Fisch (SP) é o vencedor do Prêmio Sesc TV para Novos Talentos realizado por diretor estreante na opinião do júri Sesc TV.
Ivan, de Brigitte Sachs Kindi (SP) e Do outro lado do rio, de Baruch Blumberg, Carmem Ligia, Cleiton Lobo e Pedro Ivo Marques (SE) recebem, cada um, o prêmio de R$ 2.500,00, oferecido a dois curtas inscritos na Mostra KinoOikos e selecionados pelo júri SESC TV.
- A mula teimosa e o controle remoto, de Helio Villela (SP) recebe o Prêmio TV Cultura, no valor de R$ 5.000 para o curta de maior destaque dentre os exibidos no Panorama Paulista de acordo com o júri nomeado pela TV Cultura.
- Assunto de família, de Caru Alves de Souza (SP); L, de Thais Fujinaga (SP) e Mens sana in corpore sano, de Juliano Dornelles (PE) são os vencedores do Prêmio Porta Curta Petrobras. Cada um leva R$ 1.000,00, oferecidos a três curtas brasileiros a partir da lista dos mais votados pelo público entre os exibidos na Mostra Brasil.

*Prêmios Especiais
- L, de Thais Fujinaga (SP) e El mundo de Raúl, de Jessica Rodriguez Sanchez e Horizoe Garcia (Cuba) são os vencedores do Prêmio Avon. Cada filme recebe um prêmio de R$ 5.000,00. Os filmes foram selecionados por júri indicado pela AVON entre os filmes dirigidos por mulheres. O júri também decidiu conceder uma menção honrosa para Museu dos corações partidos, de Ines Cardoso (SP).
- Museu dos corações partidos, de Ines Cardoso (SP) recebe o Prêmio Pond5, no valor de U$ 1.000,00 em créditos de aquisição de imagens de arquivo. O júri nomeado pela empresa escolheu o curta-metragem com melhor montagem criativa utilizando imagens de arquivo exibido na Mostra Brasil.
- L, de Thais Fujinaga (SP) e Pra eu dormir tranquilo, de Juliana Rojas (SP) recebem o Prêmio Centro Técnico Audiovisual (CTAV). Cada um ganha uma cópia legendada em 35mm. Os filmes foram selecionados entre os 10 preferidos do público da Mostra Brasil.

*Troféus
El mundo de Raúl, de Jessica Rodrigues Sanchez e Horizoe Garcia (Cuba) recebem o Troféu ABD-SP, oferecido pela Associação Brasileira de Documenaristas de São Paulo ao curta de maior destaque na Mostra Latino-americana. A ABD-SP também decidiu oferecer uma menção honrosa a Juku, de Maurício Quiroga Kiro.
L, de Thais Fujinaga (SP) recebe o Troféu ABD-SP entre os filmes da Mostra Brasil. Ovos de dinossauro na sala de estar, de Rafael Urban, recebe menção honrosa.
O grupo Cachaça Cinema Clube oferece três troféus aos filmes de maior destaque entre os exibidos na Mostra Brasil e um convite para participar da sessão Cachaça Cinema Clube, que acontece no Cine Olido, no Rio de Janeiro, segundo a escolha da organização do projeto. Os filmes escolhidos são: Braxília, de Danyelle Proença (DF); Pra eu dormir tranquilo, de Juliana Rojas (SP) e Calma, monga, calma, de Petrônio Lorena (PE).

10 PREFERIDOS DO PÚBLICO (listas em ordem alfabética)
Melhores dos programas brasileiros
Assunto de Família (Caru Alves de Souza) - SP
Braxília (Danyelle Proença) - DF
Doce de Coco (Allan Deberton) - CE
Jiboia (Rafael Lessa) - SP
L (Thais Fujinaga) - SP
Ovos de Dinossauro na Sala de Estar (Rafael Urban) - PR
Pra Eu Dormir Tranquilo (Juliana Rojas) - SP
Praça Walt Disney (Sérgio Oliveira e Renata Pinheiro) - PE
Quando Morremos à Noite (Eduardo Morotó) - RJ
Tela (Carlos Nader) - SP

Os 10 preferidos do público (mostra internacional e latino-americana)
El Mundo de Raul (Jessica Rodriguez Sanchez e Horizoe Garcia) - Cuba
Je Pourrais Être Votre Grand-Mère (Bernard Tanguy) - França
Khouya (Yanis Koussim) - Argélia / França
Kwa Heri Mandima (Robert-Jan Lacombe) - Suíça
L’Accordeur (Olivier Treiner) - França
Las Palmas (Johannes Nyholm) - Suécia
Minuto 200 (Frank Benitez) - Colômbia
Suiker (Jeroen Annokkée) - Holanda
Un Nuevo Baile (Nicolas Lasnibat) - Chile / França
Viagem a Cabo Verde (José Miguel Ribeiro) – Portugal

Cine Troppo - De 09 a 15/07/20