segunda-feira, 28 de janeiro de 2008

AJUSTES NECESSÁRIOS DA MINHA ENTREVISTA SOBRE A "APCC" NO JORNAL

Saiu no jornal de hoje uma entrevista minha sobre os meus planos para a nova gestão da APCC (Associação Paraense dos Críticos Cinematográficos), já que fui eleito pelos meus colegas críticos de cinema como o novo presidente da Associação. A entrevista foi publicada corretamente dentro de quase tudo que declarei à jornalista, mas queria ajustar alguns detalhes de declarações que não falei, que sairam na entrevista de forma errada e que me deixaram um pouco desconcertado.
Primeiro, foi colocado que meu grande desejo era de ser presidente da APCC. Bom, o que disse à jornalista minha amiga é que o meu desejo era de sempre colaborar com a associação que sempre foi muito bem dirigida pelo Dr. Pedro Veriano e a Luzia Alvarez. Existe uma grande diferença entre a minha declaração e o que foi publicado. O trabalho do Dr. Pedro e Luzia sempre foi admirado e respeitado por mim e por todos e o que quis dizer e que sempre estive pronto para colaborar com a associação à qualquer momento, até porque nela também participava meu pai, Alexandrino Moreira, que me levava as reuniões desde pequeno. Por isso também, sempre quis colaborar. Sempre me senti dentro de uma outra família na APCC. Logo, essa demonstração (que não fiz) de querer ser presidente publicada na entrevista não coincide com meus pensamentos, sentimentos e desejos.
Outra coisa : declarei na entrevista que o Dr. Pedro foi um dos fundadores da APCC em 1967 e não do Cine-Clube "Os Espectadores" como saiu na publicação. Este é um erro de história que jamais cometeria pois entre os fundadores de "Os Espectadores" estavam grande amigos meus como Acyr Castro e Rafael Costa.
Por fim, numa pergunta feita sobre o futuro da APCC, brinquei ingenuamente com minha amiga jornalista dizendo que eu esperava que as palavras do personagem Buzz Lightyear, da animação "Toy Story" fossem realistas quanto à APCC: que os novos planos fossem do infinito ao além. Para minha surprêsa, ela colocou essa minha frase amigável, de brincadeira, como manchete da entrevista, dando uma presunção e prepotência as minhas declarações que realmente não eram do meu desejo. Espero sim fazer um trabalho à altura do que foi feito neste últimos 40 anos e conto com a ajuda de todos da associação, já que sozinho, nada poderá ser feito. Mas me colocar com desejos de planos que vão do infinito ao além, é um pouco demais já que nada se pode fazer sem a união de forças, certo ?
Enfim, era isso. Devido a este meu desconforto com essas declarações que não fiz, e que podem ter passado uma imprensão errada da minha personalidade, estou usando o espaço do meu blog para esclarecer o que me incomodou. Espero com isso ter mudado o tom presunçoso e prepotente que alguns leitores podem ter identificado em alguns trechos que agora expliquei e justifiquei.

"MÊDOS PRIVADOS" TEM MAIS UMA CHANCE NO LÍBERO LUXARDO


Devido a problemas técnicos no Centur, não foi exibido neste final de semana o maravilhoso filme de Alain Resnais, "Mêdos Privados em Lugares Públicos". O filme voltará a ser exibido sabádo e domindo (dias 02 e 03/02) às 17:30 h, como última chance aos cinemaníacos que gostam que bons filmes. Aqui, Resnais mostra a solidão de vários personagens contraditórios que entre tantas pessoas com quem convivem, se sentem sozinhos e carentes. Seis personagens mostram um pouco de cada um de nós num filme de roteiro brilhante que mostra que o veterano Alain Resnais (com 85 anos) ainda é um diretor vibrante e atuante dentro de sua proposta estética de respeitar o cinema como arte. Aproveite as últimas chances de ver o filme que já é um dos melhores que vi esse ano.

BERGMAN E ANTONIONI DE VOLTA AOS CINEMAS


Vai ser difícil não se emocionar nas próximas duas semanas quando o Cine Líbero Luxardo exibir em cópias de cinema (nada de dvd) as obras-primas "Gritos e Sussurros" (foto) de Ingmar Bergman e "O Passageiro : Profissão Repórter" de Michelangelo Antonioni. Os filmes não são exibidos há anos nos cinemas (o filme de Bergman foi exibido em 1998 quando o Circuito Cinearte comemorou 20 anos de fundação). São duas obras-primas com assuntos iguais e ao mesmo tempo diferentes. Bergman atingiu em "Gritos e Sussurros" um de seus auges como diretor e roteirista. Já Antonioni mostrou que seu domínio da linguagem cinematográfica estava mais criativo do que nunca, realizando um filme em torno de um personagem em busca de si próprio, numa magistral interpretação de Jack Nicholson. "Gritos e Sussurros" será exibido do dia 30 de janeiro à 03 de fevereiro às 19:30 no Líbero Luxardo e "O Passageiro" na semana seguinte, no mesmo horário.Mesmo que tardia, é uma bela homenagem ao talento destes dois gênios do cinema falecidos ano passado. Não perca !

"JOGO DE CENA" EMOCIONOU


Que maravilha ! Belém é uma cidade que tem sorte. Ter cinemas como o Cine Estação, Cine Olympia e Cine Líbero Luxardo é uma benção. Que o público perceba isso logo e prestigie mais os filmes que são exibidos nestes espaços em vez de ficar reclamando do que passa no sul do país e do que não passa aqui . No Cine Estação, me emocionei semana passada com "Jogo de Cena", semi-documentário de Eduardo Coutinho onde ele registra histórias reais de algumas mulheres convidadas para dar seu depoimento sobre suas vidas e coloca estas histórias para serem interpretadas por atrizes como Fernanda Torres, Andréa Beltrão e Marília Pêra. Os depoimentos reais se misturam com a interpretação das grandes atrizes, mas de repente o espectador não consegue diferenciar mais o que é real e o que é interpretado. Fernanda Torres, por exemplo, "enlouquece" quando tem que interpretar fatos reais de uma mulher. Ela "encara" a camêra, o diretor, e se emociona a tal ponto de misturar sua história pessoal com a de outra mulher. Marília Pêra e Andréa Beltrão "enlouquecem" quase que da mesma forma e Coutinho registra tudo e deixa tudo às claras, para provocar e emocionar o espectador ainda mais com os depoimentos reais de mulheres sofridas mas guerreiras em relação às suas vidas. Eduardo Coutinho é um excelente cineasta que só nos surpreende. "Jogo de Cena" é inesquecível. Veja quando puder , sem falta!

"EU SOU A LENDA" PODIA SER PIOR


Uma super-produção de Hollywood sempre pode ser pior do que parece e "Eu Sou a Lenda" parecia seguir esse caminho. Felizmente, a história de Richard Mathison não foi assassinada e o que vemos é um bom filme que mostra como pode ser feito um bom filme comercial, apesar dos milhões de doláres que estão por trás de sua produção. Will Smith, que normalmente intepreta Will Smith em todos os filmes, consegue convencer no papel do cientista que tenta a todo custo descobrir a vacina que irá curar a humanidade de um vírus que matou milhares de pessoas. Aparentemente sozinho numa grande cidade como Nova York, o diretor mostra a solidão do personagem e a angústia de viver sem ninguém por perto de forma correta, sem exageros ou desperdícios formais ou de roteiro. Mesmo quando as criaturas da noite aparecem, nada fica fora de controle. No final, o que importa é a descoberta de um novo caminho para a humanidade, aqui representada pela atriz brasileira Alice Braga. Gostei do filme e do final também. Podia ser melhor ? Sim, podia. A história é magnífica. Mas em terra de Hollywood, quem produz "Eu Sou a Lenda" merece um pouco mais de respeito do que o normal.....

domingo, 20 de janeiro de 2008

PIRATARIA X DISTRIBUIÇÃO


Um lembrete : quem é a favor da pirataria, não pode ficar reclamando dos exibidores, produtores e distribuidores de cinema do porquê que certos filmes não são exibidos nos cinemas de Belém. Ora, a pirataria fez com que custos de produção fosse cortados, fez com que houvesse menos cópias para distribuição e exibição e automaticamente obriga os exibidores a ocuparem a maioria dos seus cinemas com os grandes "blockbusters" porque antigamente um filme de sucesso tinha uma carreira de faturamento de dois a três meses nos cinemas. Hoje, quando um filme como "Harry Potter" é lançado nos cinemas, obviamente o filme tem que ocupar duas, três, quatro ou cinco salas pois em menos de um mês (ou até antes) o filme já está nas ruas sendo vendido por R$ 2,00. Logo, ser favor da pirataria deve levar a este racíocinio simples, triste mas real. Fazer o quê ? Alguma sugestão ?

APCC

A APCC (Associação Paraense de Críticos Cinematográficos) existe há anos para evidenciar os vários aspectos do melhor que o cinema pode oferecer como arte. No final do ano passado, na tradicional eleição dos melhores filmes, fui eleito o Presidente da Associação junto com o crítico Arnaldo Prado Jr. que foi eleito para ser vice-presidente. Juntos, com o apoio de todos os associados, vamos criar novas metas para a associação, concentrando forças no item de formação de platéias de cinema, fazendo entre outras atividades, cursos de cinema e debates sobre filmes com os espectadores. Espero que as idéias e projetos que irão surgir tenham o apoio dos verdadeiros cinemaníacos. Afinal, Belém é uma cidade que ama o cinema e que merece mais atenção dos exibidores, distribuidores e produtores. Aguardem novidades da APCC ! Na foto, a presença de três pessoas fundamentais para que a APCC tivesse o histórico glorioso que tem até hoje e que merece ser conhecido e respeitado também pelas novas gerações : Luzia Alvares, Pedro Veriano e meu querido pai, Alexandrino Moreira. Em respeito e consideração à eles, espero poder fazer o melhor possível pela APCC, associação de participo desde minha adolescência, levado por meu pai. Em nome deles e de tantas pessoas que ajudaram a APCC em todos este anos, vamos em frente com novos projetos.

E A GREVE DOS ROTEIRISTAS ?


Já diria o cineasta Stanley Kubrick que cinema é montagem. Mas sem um bom roteiro, nada feito. E já que o mercado de cinema mudou muito nos últimos anos, perdendo dinheiro com a pirataria mas ganhando muito dinheiro com outras alternativas de faturamento, já estava na hora dos roteiristas de Hollywood se mexerem e exigirem melhores rendimentos entre tantos lucros que os produtores conseguem ter. Afinal, um filme é de quem ? Do diretor, produtor ou do roteirista? Polêmicas há parte, a greve dos roteiristas americanos iniciada em novembro do ano passado está mexendo com o sistema de produção americano, seja no cinema, seja na tv. E eles estão certos. Tem que haver condições melhores e maior reconhecimento do trabalho do roteirista. Mas como a negociação está dífícil, a festa do Globo de Ouro já foi prejudicada, e a festa do "Oscar" corre o risco de não acontecer, o que seria muito interessante para se dar um tempo no festival de besteiras (com raras exceções) que vemos nesta festa há anos. No final, alguém vai ter de ceder, mas espero que com essa confusão toda, pelo menos no futuro, tenhamos roteiros melhores e mais consistentes. Vindo de Hollywood ou não . Mas pensando bem, com tando roteiro ruim que vira filme no cinema americano, será mesmo que essa greve é válida? :)

TRÊS FILMES IMPERDÍVEIS


Amigos, esta semana Belém tem pelo menos três filmes imperdíveIs no que chamamos de circuito alternativo. No Espaço Municipal Cine Olympia, temos a produção francesa "Vizinhos e Vizinhas"(foto).O filme conta a história de um músico que está sem inspiraçãopara compor seu novo rap e tem apenas três dias para finalizar sua obra. Como ele acaba de se mudar para um subúrbio de Paris, ele procura inspiração nos novos vizinhos. No Cine Estação, "Jogo de Cena" de Eduardo Coutinho reabre as exibições do ano no cinema que completa agora 5 anos de atividade. É uma mistura de documentário e ficção, elogiada no sul do país. Por fim, "Medos Privados em Lugares Públicos" está no Cine Líbero Luxardo e é um filme inédito do grande diretor francês Alain Resnais, que mudou a história do cinema com a genialidade de filmes como "Hiroshima Meu Amor" e "Ano Passado em Marienbad" . Para quem reclama de filmes bons na cidade, é so anotar estas três indicações e ir ao cinema. Sem dúvida é um bom início de ano, não ?

terça-feira, 15 de janeiro de 2008

OS MELHORES DE 2007


A seguir, a minha relação de melhores filmes de 2007 e outras categorias. Esta relação fez parte da seleção final da Associação Paraense dos Críticos de Cinema(APCC), numa eleição tradicional que acontece a mais de 30 anos. Alguns bons filmes que foram exibidos este ano acabaram não entrando na minha relação final ou porque não pude ver (infelizmente) ou porque consegui listar em torno de 14 títulos que considerei excelentes, sendo que tive que selecionar apenas 10 filmes. Indepedente disso, o importante é ver os filmes, discutir, polemizar, mas sempre com uma grande paixão pela sétima arte. Confira a minha relação. Espero que você tenha vista a maioria dos filmes relacionados:
1) “A Conquista da Honra”
2) “Cartas de Iwo Jiwa”
3) “Os Retornados”
4) “Babel”
5) “Pai e Filho”
6) “Ventos da Liberdade”
7) “Scoop”
8) “O Pequeno Tenente”
9) “O Cheiro do Ralo”
10)”Quando Você Descer do Céu”

Melhor Diretor : Clint Eastwood (A Conquista da Honra)
Melhor Ator : Selton Mello (O Cheiro do Ralo)
Melhor Atriz : Agnes Jaoui (Uma Mulher Fora de Si)
Melhor Ator Coadjvante : Dustin Hoffman (Mais Estranho que a Ficção)
Melhor Atriz Coadjuvante : Cate Blanchett (Babel)
Melhor Roteiro: “Os Retornados”
Melhor Roteiro Adaptado: “A Conquista da Honra”
Melhor Música: “A Conquista da Honra”
Melhor Fotografia: “Pai e Filho”
Melhor Cenografia: “De Víbora em Punho”
Melhor Montagem : “Babel”

Cine Troppo - De 09 a 15/07/20