sábado, 10 de fevereiro de 2018

Cine Troppo - De 08 a 14/02/16


CINE TROPPO
Marco Antonio Moreira Carvalho


“A Forma da Água” e o conto de fadas
“A Forma da Água" de Guillermo del Toro é decepcionante. A proposta de explorar a estrutura do “conto de fadas” (moderno? antigo?) é perigosa, mas esse diretor já tinha elaborado isso criativamente em trabalhos anteriores. A proposta é perigosa, pois leva o artista a uma criação de mera repetição ou então de inovação num processo de elaboração de histórias/estéticas que podem expressar seu sentimento/pensamento.
Em “A Forma da Água” temos a história de uma zeladora que é muda, com dificuldades de relacionamentos, tímida e que trabalha em um laboratório experimental secreto do governo. Ela conhece uma criatura que é presa e maltratada, A identificação entre ela e criatura é quase imediata e um relacionamento surge por meio de encontros onde ela finalmente encontra alguém para compartilhar sentimentos e/ou desejos. O que percebo então é a construção de tipos estereótipos (bem, mal, amigo, inimigo) que inclui (acredite se quiser) vilões da União Soviética (o filme acontece nos anos 60 no período da guerra fria).
A luta entre bem e o mal (incrível, mas novamente o bem do lado dos americanos e o mal do lado dos soviéticos!) vai gerar conflitos que terão como desenlace a fuga da criatura do laboratório para viver, enfim, um grande amor. Com essa trama (?!) é visível perceber que o diretor constrói armadilhas emocionais numa narrativa velha, previsível, estereotipada (bem e mal, mocinho e vilão) que merece questionamento, mas ainda agrada porque é uma visão consolidada na maioria de que o mundo é dividido apenas entre bem e mal. O diretor escolheu o caminho da superficialidade na sua história de conto de fadas, sem complexidades, sem aprofundar personagens, sem criar relações mais abrangentes sobre o que é a criatura e seus “inimigos” e até sobre sua personagem principal que quando sonha revela seus mais íntimos desejos de alienação (ao estilo cinema americano).
O roteiro foi elaborado com fórmulas simplistas repleto de previsibilidades que incomodam especialmente na segunda metade do filme (as mudanças da personagem principal são rápidas e imediatistas). Entre outras questões que podem ser apontadas como pontos fracos do filme, a direção procura uma "embalagem" repetitiva e encantadora para seus personagens (planos, movimentos de câmera, utilização da música). O filme beira um sentimentalismo "barato" e me lembrou de alguns filmes de Steven Spielberg dos anos 80/90 que tanto fizeram sucesso de público com essa característica, mas provavelmente será um sucesso e deve ganhar o "Oscar", pois reforça aquilo que já é passado e Hollywood adora essa perspectiva!
Entendo que o aspecto lúdico de uma obra de arte seja muitas vezes minimizado com relação ao seu aspecto artístico, mas certamente esse debate merece nossa atenção. E “A Forma da Água” certamente ajudara nesse aprendizado.

INDICAÇÕES
CONTINUAÇÕES


“O Touro Ferdinando”
Filme de Carlos Saldanha
Animação


“The Post – A Guerra Secreta”
Filme de Steven Spielberg
Com Meryl Streep e Tom Hanks

BREVE

“Trama Fantasma”
Filme de Paul Thomas Anderson
Com Daniel Day Lewis

CINECLUBE

“As Duas Faces da Felicidade” (1966)
Filme de Agnes Vardá
Cineclube Alexandrino Moreira – Dia 05/03

 AGENDA
*Cineclube Alexandrino Moreira (Casa das Artes):
Dia 05/03 – “O Cinema de Agnes Varda” – “As Duas Faces da Felicidade”.  Sessão às 19 h. Entrada franca. Debate após a exibição.
*Cine Olympia:
A partir do dia 14/02 – “O Filho de Jean”. Sessão às 18h30min (exceto sábados, domingos e feriados às 17h30min). Entrada franca. Apoio: Cinemateca Francesa.
*Cine Líbero Luxardo:

A partir de 15/02 - “Me Chame pelo seu nome”.
*Centro de Estudos Cinematográficos (Casa das Artes):

Dia 20/03 –“Roda de Cinema”. A ação envolverá a leitura/debate dos participantes sobre textos previamente divulgados nas mídias sociais do CEC para estímulo dos estudos cinematográficos. O primeiro texto será do livro "A Mise en Scène no Cinema - Do Clássico ao cinema de fluxo" de Luiz Carlos Oliveria Jr. (parte 1 - Tudo está na Mise en Scène). Horário: 18h30min. Inscrições gratuitas.


quinta-feira, 1 de fevereiro de 2018

Cine Troppo - De 01 a 07/02/18

CINE TROPPO
Marco Antonio Moreira Carvalho


CEC em homenagem a Ingmar Bergman
*Ave Ingmar Bergman! Que bela noite de celebração ao mestre do cinema aconteceu no dia 30/01 em mais uma ação do Centro de Estudos Cinematográficos (CEC)! Eu e a professora Ana Cleide homenageamos o cineasta sueco com informações e debates sobre sua obra especialmente "Sonata de Outono" (1978). Agradeço a presença do público nesta ação especial, a direção da Casa das Artes pela parceria e a minha amiga Ana Cleide que fez uma leitura brilhante da obra de Bergman sob o conceito de psicologia. Novas ações sobre a obra de Bergman serão realizadas em breve incluindo uma análise do filme "Gritos e Sussurros"
*O Centro de Estudos Cinematográficos (CEC) sob minha coordenação promoverá a atividade "Roda de Cinema" a partir de fevereiro deste ano em parceria com a Casa das Artes. A ação envolverá a leitura/debate dos participantes sobre textos previamente divulgados nas mídias sociais do CEC para estímulo dos estudos cinematográficos. O primeiro texto será do livro "A Mise en Scène no Cinema - Do Clássico ao cinema de fluxo" de Luiz Carlos Oliveria Jr. (parte 1 - Tudo está na Mise en Scène).As inscrições para o "Roda de Cinema" poderão ser realizadas gratuitamente antes do encontro que acontecerá às 18h30min do dia 20/02/18(terça-feira)., sua maior obra prima.
*A Associação de Críticos de Cinema do Pará (ACCPA) encerra sua primeira homenagem ao centenário do cineasta sueco Ingmar Bergman com a exibição de "Face a Face"(1975) no dia 05/02. O filme tem mais uma atuação magistral de Liv Ullman e será exibido no cineclube Alexandrino Moreira (Casa das Artes) às 19 h com entrada franca e debate após a sessão. Outras homenagens ao diretor serão realizadas em junho e dezembro com a exibição de outros filmes de sua autoria.
*Uma mostra de filmes do cineasta José Mojica Marins (Zé do Caixão) está sendo elaborada para exibição este ano no cinema Olympia. Zé do Caixão é um artista polêmico e a obra que realizou nos 1960 e 1970 merece conhecimento e debate. Minha intenção é realizar a mostra e ter o escritor e crítico de cinema Vicente Cecim como convidado especial para uma palestra sobre o trabalho do diretor.
*"The Post - A Guerra Secreta" de Steven Spielberg está no circuito nacional (incluindo Belém). Será que assistiremos a um filme sobre a importância do jornalismo à altura de "Todos os Homens do Presidente" (1976) de Alan Pakula? Bons filmes sobre fatos/atos jornalísticos merecem ser lembrados e exibidos. "Todos os Homens do Presidente" é uma boa indicação. O filme mostra as investigações de dois jornalistas que buscam informações sobre a invasão de cinco homens na sede do Partido Democrata, que dá origem ao escândalo Watergate e que teve como consequência a queda do presidente Richard Nixon nos anos 1970. Dustin Hoffman e Robert Redford são os protagonistas. Vale revisão!

INDICAÇÕES

ESTREIAS
“A Forma da Água”
Filme de Guillermo del Toro
Com Sally Hawkins

“A Jovem sem mãos”
Animação

“120 Batimentos por minuto”
Filme de Robin Campillo
Com Nahuel Perez Biscayart

CINECLUBE
“Face a face” (1975)
Filme de Ingmar Bergman
Cineclube Alexandrino Moreira – Dia 05/02

MEMÓRIA
“O Monstro da Lagoa Negra” (1954)
Filme de
Cartaz exibido nos cinemas

 AGENDA
*Cineclube Alexandrino Moreira (Casa das Artes):
Dia 05/02 – Ingmar Bergman – 100 anos: “Face a Face” (1975) de Ingmar Bergman. Sessão às 19 h, Entrada franca. Debate após a exibição.

*Cine Olympia:
Até dia 10/02 – “A Jovem sem mãos”. Animação.  Sessão às 18h30min (exceto sábados, domingos e feriados às 17h30min). Entrada franca. Apoio: Cinemateca Francesa.
Dia 06/02 – Projeto Cinema e Música com “Sete Oportunidades” (1925) com Buster Keaton. Sessão às 18h30min. Entrada franca.

*Cine Líbero Luxardo:
Até dia 14/02 - “120 Batimentos por Minuto”. França, início dos anos 1990. O grupo ativista Act Up está intensificando seus esforços para que a sociedade reconheça a importância da prevenção e do tratamento em relação a Aids. Recém-chegado ao grupo, Nathan logo fica impressionado com a dedicação de Sean, apesar de seu estado de saúde delicado.


51º FESTIVAL DE BRASÍLIA DE CINEMA BRASILEIRO

Coletiva de imprensa com os realizadores dos filmes "Liberdade" de Pedro Nishimura e Vinícius Silva, "Sempre verei cores ...