domingo, 24 de junho de 2012

CINE TROPPO - SEMANA DE 22 À 28/06/12


CINE TROPPO
Marco Antonio Moreira Carvalho

Lançamentos da Semana Caso não haja alteração de última hora, a única estréia da semana é “Sombras da Noite” e “E ai, Comeu?”.
“Sombras da Noite” é o novo filme de Tim Burton (Peixe Grande/Ed Wood/Edward Maãos de Tesoura/A Noiva Cadáver). No ano de 1752, Joshua, Naomi Collins e seu filho Barnabas, foram embora de Liverpool, Inglaterra, para começar uma nova vida na América. Mas mesmo um oceano não foi suficiente para escapar da misteriosa maldição que atormenta sua família. Duas décadas se passaram e Barnabas (Johnny Depp) tem o mundo aos seus pés, ou pelo menos a cidade de Collinsport, Maine. Capitão do Collinwood Manor, Barnabas é rico, poderoso e um playboy inveterado até que ele comete o erro grave de quebrar o coração de Angelique (Eva Green), uma bruxa, em todos os sentidos da palavra, Angelique condena-o a um destino pior que a morte, transformando-o em um vampiro e enterrando-o vivo. Dois séculos mais tarde, Barnabas é libertado de seu túmulo, e ele surge nos dias modernos. No elenco, Johnny Depp, Michelle Pfeiffer, Helena Bonham Carter e Eva Green.
“E Ai, Comeu?” é uma adaptação da peça de Marcelo Rubens Paiva, que acompanha situações do cotidiano pela ótica masculina e é uma comédia vivida por três amigos de infância que tentam entender o papel do homem, diante da nova mulher. No elenco, Bruno Mazzeo, Marcos Palmeira e Emilio Orciollo Netto, Dira Paes e Tainá Müller. A direção é de Felipe Joffily

Crítica/DVD
“Criação”
O livro A Origem das Espécies (The Origin of Species) de Charles Darwin foi publicado pela primeira vez em 1859. Foi uma decisão muito difícil para o autor tornar público o resultado de suas pesquisas porque mudariam, como de fato mudaram, teorias científicas e concepções religiosas. Criação (Creation, Reino Unido, 2009), dirigido por Jon Amiel, tem história de Jon Amiel e John Collee e roteiro de John Collee, baseados no livro Annie’s Box, de Randal Keynes. Paul Bettany no papel de Charles Darwin tem um desempenho à altura do drama do naturalista que, além de uma doença de estômago e tremores nas mãos, enfrenta a oposição da mulher Emma (Jennifer Connelly também com ótimo desempenho), arraigada em conceitos religiosos, no que conta com o apoio do Reverendo John Innes (Jeremy Northam) para tentar convencer Darwin a não publicar seu livro. Mas o maior drama de Darwin está na perda da filha Annie (Martha West), no filme com nove anos; ela é quem apóia, questiona, motiva o pai, mesmo depois de morta, na batalha psicológica que ele trava com os outros e consigo mesmo.
Mostrar o pesquisador inserido na família e a influência do relacionamento familiar no contexto das pesquisas científicas é uma dos aspectos significativos do filme. Darwin ama a esposa e os filhos, participa da educação das crianças e das brincadeiras, é carinhoso e até frequenta eventos religiosos. Jon Amiel e John Collee não destacam o cientista com uma aura de divindade como se despojado de sua condição humana por investir no estudo e descobertas reservados a poucos.A morte de Annie, na verdade, é que foi o problema maior de Darwin. Durante todos os momentos do tempo presente, Charles Darwin é um homem angustiado, doente, inseguro apesar de estar convencido da validade de suas pesquisas. As voltas ao passado é que mostravam, na maior parte das vezes, uma família feliz, sentimento que foi se alterando a partir do início da doença de Annie.
Há mais no filme: a concorrência entre pesquisadores pela primazia das descobertas. Quando toma conhecimento do trabalho de Alfred Russel Wallace, que chegou à mesma conclusão que ele apresentando-a em 20 páginas, Charles Darwin mergulha em uma profunda crise que o leva a tentar destruir os seus ambientes de pesquisa experimental. Quando a família não consegue fazer mais nada, um amigo pode ser salvação. Joseph Hooker, com o direito e dever que a amizade lhe dá, entra no quarto de Darwin que está deitado na cama completamente abatido. Hooker é veemente no incentivo a Darwin, até o agride, fala dos inimigos em Londres que estão comemorando no Athenaeum a notícia de que ele tivera um ataque apoplético. Hooker literalmente arranca Darwin da cama e manda ele se tratar. Finaliza dizendo: “Eu lhe imploro, vá a Malvern, tome sua água abençoada de cura, volte e vença essa por nós.Darwin atendeu ao amigo Hooker e foi fazer tratamento hidroterápico em Malvern, ele acreditava na hidroterapia e a usava antes. Annie também fizera tratamento hidroterápico. As alternâncias entre o tempo presente focando o tratamento de Darwin e os flashbacks focando o de Annie acompanhada do pai são compostas em unidades homogêneas que associam ações em dois momentos de tempo no mesmo espaço fundindo a emoção das lembranças no presente e as tensões estressantes do passado, antecedentes da tragédia. Essa sequência em flashback é seguida por uma conversa de Darwin com o hidroterapeuta, no tempo presente do filme.
O médico associa os sintomas de Darwin à morte da filha e sentencia: “- Você deve aceitar que não há mais nada a ser feito. Querido amigo. Ela está no céu.” E Darwin: “ - Sim, é nisso que minha esposa acredita.”. E volta-se à conversa entre Darwin e o médico. Darwin explica: “ - Naquele momento, ela se refugiou na religião e eu, na ciência.” Uma dicotomia em discussão permanente. Charles Darwin irá chegar à superação após um enfrentamento psicológico violento consigo mesmo, com delírios e lembranças. As lembranças dos momentos imediatamente anteriores à morte de Annie, assistida por ele.O filme é magistralmente composto por Jon Amiel e John Collee com avanços e recuos no tempo, variação do espaço, cortes, fusões, sobre-impressões em uma planificação funcional, que dão fluidez e coerência na narrativa.E virá a reconciliação com Emma que se inicia com forte reação da mulher, violenta de início. A segurança e a firmeza de Darwin, no entanto, evitam um conflito que seria definitivo. Há uma verdadeira catarse mútua. A reconciliação é total. E Darwin volta a escrever seu livro. Até que, finalmente conclui seu texto, mas teve tempo de se reconciliar também com os filhos, especialmente com Etty, a mais velha e que mais sentia a preferência do pai por Annie. Enfim, a decisão sobre a publicação do livro fica para Emma. Darwin passa-lhe os manuscritos do livro. Ele deixa, assim, para ela, a decisão de publicar seu livro ou destruí-lo, se assim o julgasse.Emma se dedica intensamente à leitura dos manuscritos e aprova a publicação. No final, Darwim caminha em direção a casa, ao longe. Annie o acompanha. Diante da casa, ainda longe, Emma brinca com as crianças. A tela escurece. Explicações adicionais aparecem escritas na tela:“A ORIGEM DAS ESPÉCIES”, DE CHARLES DARWIN, ESGOTOU-SE NO DIA DE SUA PUBLICAÇÃO. CHARLES E EMMA FICARAM CASADOS E FELIZES ATÉ ELE MORRER, AOS 73 ANOS. ELE FOI ENTERRADO COM TODAS AS HONRARIAS CRISTÃS NA ABADIA DE WESTMINSTER.(Arnaldo Prado Jr.) .

AGENDA
*Cineclube Alexandrino Moreira: Segunda, dia 25/06 será exibido “A Noite” de Michelangelo Antonioni, segundo filme da trilogia da incomunicabilidade realizada pelo diretor no início dos anos 60 No elenco, Marcello Mastroianni e Jeanne Moreau. A exibição acontecerá às 19h com entrada franca e debate após a exibição com críticos da ACCPA.No dia 02/07, será exibido o filme “Onibaba-A Mulher Diabo” de Kaneto Shindo.
*Cine Olympia: Neste domingo, dentro do FESTIVAL CHARLIE CHAPLIN, será exibida a obra-prima “Luzes da Cidade” realizada em 1931. A sessão começa às 18:30h com entrada franca. Na sessão Cinemateca, hoje será exibido o clássico “Belinda” de Jean Negulesco às 16h com entrada franca. Belinda é uma solitária jovem surda-muda que vê sua vida mudar com a chegada de um médico ao vilarejo onde mora. Produção de 1948. Apoio : ACCPA.
*Cine Líbero Luxardo: A partir do dia 04/07, estréia “Tomboy” de Celine Scianma. O filme mostra a história de uma garota que se veste, age e se apresenta a todos como menino. .
*Cine Estação: Para o mês de julho, está confirmada a exibição de “Um Método Perigoso” de David Cronenberg. A história mostra o encontro de dois mestres da psicanálise, Sigmund Freud e Carl Jung.
*Cine Saraiva : Numa parceria da ACCPA e APC (Academia Paraense de Ciências), será exibido dia 28/06 o filme “Criação”, baseado na vida de Charles Darwin A exibição acontecerá às 17h com entrada franca e debate.

quarta-feira, 20 de junho de 2012

"A NOITE" DE ANTONIONI NO CC ALEXANDRINO MOREIRA DIA 25/06


"A NOITE"
Original: La Notte –Itália,1961.
Direção de Michelangelo Antonioni
Roteiro de Ennio Flaiano,Tonino Guerra e Antonioni.
Elenco: Marcello Mastroianni, Jeanne Moreau,Monica Vitti.
Argumento: Uma noite na vida de um casal depois que visita um amigo enfermo.
Importância Histórica : Segundo filme de uma trilogia sobre a incomunicabilidade no mundo moderno esta obra de Antonioni reflete sobre a estrutura matrimonial, o que está corroendo um casamento aparentemente bem estruturado. Divagando sobre o tema focaliza marido e mulher num longo dialogo depois de constatarem o drama de um amigo às vésperas da morte.

SESSÃO ACCPA/IAP
CINECLUBE ALEXANDRINO MOREIRA
"A NOITE"
SEGUNDA-FEIRA DIA 25/06/12
HORÁRIO : 19H
ENTRADA FRANCA
APÓS O FILME DEBATE ENTRE CRÍTICOS DA ACCPA E O PÚBLICO PRESENTE
APOIO : ACCPA

sábado, 16 de junho de 2012

CINE TROPPO - SEMANA DE 15 À 21/06/12




CINE TROPPO
Marco Antonio Moreira Carvalho

Lançamentos da Semana
Caso não haja alteração de última hora, a única estréia da semana é “Prometheus”.
“Prometheus” é a volta do diretor Ridley Scott (Alien/Blade Runner) ao gênero da ficção-científica com um alto custo de produção. “Prometheus” é o prólogo do filme “Alien : O 8ª Passageiro”, realizado em 1979. O filme une uma equipe de cientistas e exploradores em uma jornada que testará os limites físicos e mentais, colocando-os em um mundo distante, onde eles descobrirão as respostas para nossos dilemas mais profundos e para o grande mistério da vida. No elenco, Noomi Rapace, Michael Fassbender, Idris Elba, Sean Harris, Kate Dickie, Charlize Theron, Logan Marshall-Green, Guy Pearce, Benedict Wong, Emun Elliott e Ben Foster.
Curiosidades: - O projeto das duas pré-sequências de “Alien” foi polêmico. A Fox Films e o diretor Ridley Scott decidiram mudar o foco do projeto várias vezes já que seguiam divergindo das decisões durante todo o processo criativo. Após a briga em torno da atriz que iria protagonizar o projeto - Scott queria Noomi Rapace e a Fox, Charlize Theron – o projeto foi suspenso temporariamente. - Ridley Scott acabou utilizando o roteiro da primeira pré-sequência que acabou sendo chamada de “Prometheus”. - Gemma Arterton, Carey Mulligan, Olivia Wilde, Anne Hathaway, Abbie Cornish e Natalie Portman foram considerados para o papel principal. - Para o papel de Vickers (interpretado por Charlize Theron), a atriz Angelina Jolie foi cotada.

FESTIVAL CHARLIE CHAPLIN
Duas frases atribuídas a Charles Spencer Chaplin(1889-1977) definem a sua carreira: “A persistência é o menor caminho do êxito” e “A vida é maravilhosa se não se tem medo dela”. Chaplin teve uma infância dramática, mesmo com pais artistas, e atuando no “vaudeville”(o nosso “teatro rebolado”)desde que tinha apenas 5 anos de idade.Na sua volumosa autobiografia (“My Life”) ele não enfatiza esse tempo como um espinho. Prefere as rosas. E essas estão na audácia e na persistência. Deixou Londres na trupe de Fred Karno, grupo que mantinha, entre os comediantes, Arthur Stanley Jefferson que seria conhecido como Stan Lurell, “O Magro’ da dupla “O Gordo e o Magro”.Foi contratado por Mac Senett o dono da Keystone, um dos criadores da comédia visual, ,mas não gostou dos primeiros papeis e por ser dirigido por uma mulher:Mabel Normand(uma frase ele:”Amo as mulheres mas não as admiro”). Em 1913, quando criou o tipo do “vagabundo”(Carlitos, Charlot, Charlie),passou para outra empresa, a Essanay e um ano depois para a Mutual. Nesse tempo já se dirigia. E conheceu a sua atriz preferida: Edna Purviance. É uma das raras mulheres de quem não falou mal no livro volumoso em que conta a sua odisséia em Hollywood. De 1917 a 1919 Chaplin fez filmes curtos na First National, companhia onde realizou o seu primeiro longa-metragem: “O Garoto”(The Kid), inspirado em sua própria vida. Depois disso, criou com os colegas Douglas Fairbanks, Mary Pickford(mulher de Douglas) e o diretor David W.Griffith a United Artists. Daí em diante entregou seus trabalhos a esta empresa que existe até hoje embora faça parte da MGM –e por sua vez de outra firma distribuidora.Começou com o que ele achava, já idoso, que foi o seu melhor trabalho: “Em Busca do Ouro”(The Golden Rush/1925). Carlitos acabou sendo acatado como o símbolo do cinema. Critico do filme sonoro, custou a aderir a ideia de que o som podia ser parte da ação. Para ele, cinema era movimento,era só imagem. Quando fez “Luzes da Cidade”(Citylights) em 1931, o processo movietone (som gravado na banda do filme)já era comum. Botou música e deixou uma cena com soluços, além de outros ruídos de efeito cômico. Não satisfeito, chegou a cantar em um idioma que inventou em “Tempos Modernos”(Modern Times),onde aposentou Carlitos. O seguinte “O Grande Ditador”(The Great Dictator) mostrou-o falando demais. Deixou até um discurso pacifista. Com roteiro de Orson Welles quis variar a comédia na historia de um moderno Barba Azul em “Monsieur Verdoux”. Muito antes, ainda na fase do cinema mudo, tentara variar para o drama em “Casamento ou Luxo”(The Woman of Paris) mas não agradou seus fãs (embora fosse um bom filme). “Luzes da Ribalta”(Limelight) seria o adeus aos EUA. Acusado de comunista e sonegador de renda foi para a sua terra natal (Inglaterra - e é bom ressaltar que ele nunca mudou de cidadania) e lá fez um filme de mágoa: ”Um Rei em Nova York”(A King in New York). Mas não seria o fim. Nos anos 60 dirigiu “A Condessa de Hong Kong”(The Countess of Hong Kong) com Marlon Brando e Sophia Loren. Aparecia como um ajudante de bordo no transatlântico onde se passava a história que imaginou. Chaplin morreu quando se festejava o Natal. Em Belém, o Cine Clube APCC exibia o documentário “O Genial Vagabundo”(Gentleman Tramp) com um final comovente mostrando-o velhinho, na sua casa na Suíça, andando por uma alameda com a mulher, Oona. Acenava em adeus. A platéia do Grêmio Português aplaudiu de pé, entre lágrimas. Foi a maior emoção de minha passagem por cineclubes. Não à toa ter Chaplin na tela. (Pedro Veriano)
• Dentro das comemorações do centenário do Cine Olympia, de 19/06 à 01/07 será exibido o FESTIVAL CHARLIE CHAPLIN com filmes importantes de sua carreira como “Em Busca do Ouro”, “Luzes da Cidade” e “Tempos Modernos” .

AGENDA
*Cineclube Alexandrino Moreira: Segunda, dia 25/06 será exibido “A Noite” de Michelangelo Antonioni, segundo filme da trilogia da incomunicabilidade realizada pelo diretor no início dos anos 60 No elenco, Marcello Mastroianni e Jeanne Moreau. A exibição acontecerá às 19h com entrada franca e debate após a exibição com críticos da ACCPA.
*Cine Olympia: Neste domingo, dia 17/06, acontecerá a última exibição da mostra de Filmes Musicais com o filme “Hair”, grande sucesso do diretor Milos Forman (Um Estranho no Ninho) realizado em 1979. O filme será exibido às 18:30h com entrada franca. Na sessão Cinemateca, hoje será exibido o clássico “Noites de Cabíria” de Federico Fellini às 16h com entrada franca. A partir do dia 19/06, o cine Olympia exibirá o FESTIVAL CHARLIE CHAPLIN com uma programação que vai durar duas semanas com os grandes clássicos dirigidos por este diretor como “Luzes da Cidade”, “Tempos Modernos” e “O Grande Ditador”.
*Cine Líbero Luxardo: "O Espião que Sabia Demais” tem hoje sua última exibição nos seguintes horários : 16h30 e 19h. O filme é uma adaptação ao cinema do livro “O Espião que Sabia Demais” (Tinker, Tailor, Soldier, Spy), do escritor John Le Carré. .
*Cine Estação: Para o mês de julho, está confirmada a exibição de “Um Método Perigoso” de David Cronenberg. A história mostra o encontro de dois mestres da psicanálise, Sigmund Freud e Carl Jung e seu envolvimento com a russa Sabina Spielrein.
*Cine Saraiva : Numa parceria da ACCPA e APC (Academia Paraense de Ciências), será exibido dia 28/06 o filme “Criação”, baseado na vida de Charles Darwin que revolucionou a história com a sua obra literária “A Origem das Espécies”. A exibição acontecerá às 17h com entrada franca e debate.

FESTIVAL CHARLIE CHAPLIN NO CINE OLYMPIA


Dentro da programação comemorativa do centenário do cinema Olympia, de 19/06 à 01/07/12 será exibido o FESTIVAL CHARLIE CHAPLIN com diversos clássicos deste gênio do cinema que sempre estará presente nos corações e mentes de várias gerações. O festival começa com a exibição de um documentário sobre a vida do cineasta e termina com o filme "Chaplin" dirigido pelo inglês Richard Attenborough em 1992 e que tem uma atuação memorável do ator Robert Downey Jr. numa homenagem ao grande mestre do cinema. Entre os destaques, obras-primas como "Luzes da Cidade", "Tempos Modernos" e "Em Busca do Ouro".
Confira a programação do festival que acontecerá sempre de terça à domingo às 18:30h com entrada franca:
Dia 19/06 - CHARLIE-VIDA E ARTE DE CHARLES CHAPLIN (documentário)
Dia 20/06 - VIDA DE CACHORRO/OMBRO ARMAS(CURTAS)
Dia 21/06 - O GAROTO
Dia 22/06 - EM BUSCA DO OURO
Dia 23/06 - O CIRCO
Dia 24/06 - LUZES DA CIDADE
Dia 26/06 - TEMPOS MODERNOS
Dia 27/06 - O GRANDE DITADOR
Dia 28/06 - MONSIER VERDOUX
Dia 29/06 - LUZES DA RIBALTA
Dia 30/06 - UM REI EM NOVA IORQUE
Dia 01/07 - CHAPLIN (1992) de Richard Attenborough (com Robert Downey Jr.)

domingo, 10 de junho de 2012

CINE TROPPO - SEMANA DE 08 À 14/06/12

CINE TROPPO
Marco Antonio Moreira Carvalho
Lançamentos da Semana Caso não haja alteração de última hora, as estreias da semana são “Madagascar 3” e “O Espião que sabia Demais”.
“Madasgascar 3: Os Procurados” é o terceiro episódio da franquia de bilhões de dólares. Os personagens Alex, Marty , Gloria e Melman estão decididos a voltar para o Zoológico do Central Park em Nova Iorque. Deixando a África para trás, eles pegam um desvio e emergem, literalmente, na Europa — em uma caça aos pinguins e chimpanzés que quebraram a banca de um cassino de Monte Carlo. Logo os animais são descobertos pela obstinada agente de controle de animais Francesa, Capitão Chantel DuBois que não gosta de animais de zoológico andando pela sua cidade e está entusiasmada pela ideia de caçar seu primeiro leão. Os animais encontram o esconderijo ideal em um circo itinerante, onde planejam erguer o circo, descobrir alguns novos talentos e voltar pra Nova Iorque com vida. Produzido em 3D.
“O Espião que sabia Demais” teve uma indicação ao “Oscar” de melhor ator este ano (Gary Oldman) e é uma adaptação do livro “Tinker, Tailor, Soldier, Spy” do escritor John Le Carré. No final do período da Guerra Fria, George Smiley (Gary Oldman), um dos veteranos membros do Circus, divisão de elite do Serviço Secreto Inglês, é chamado para descobrir quem é o agente duplo que trabalhou durante anos também para os soviéticos. Todos são suspeitos, mas como também foram altamente treinados para dissimular e trabalhar em condições de extrema tensão, todo cuidado é pouco. George precisa indicar o espião e não pode errar.No elenco, Tom Hardy, Ralph Fiennes, Colin Firth e John Hurt.

ARTIGO
“Thor e a Ponte de Einstein-Rosen, O Buraco de Minhoca” Thor (EUA, 2011), dirigido por Kenneth Branagh, traz o deus do trovão de Asgard para a Terra através da Ponte do Arco-Íris (Bifrost) e da Ponte de Einstein-Rosen. A história é de J. Michael Straczynski e Mark Protosevich e o roteiro de Ashley Miller, Zack Stentz e Don Paine. Com tanta gente o filme acabou se configurando com várias tendências em relação às características do personagem, do seu mundo e da Terra. Mas o que quero enfocar neste pequeno texto é a busca de conciliação da magia com a ciência passando por histórias para crianças, claro, com as limitações de um filme de ficção. E não vou focar o filme no seu conjunto. Vou direto ao ponto magia/ciência/ponte de Einstein-Rosen.Para se contrapor a Erik Selvig (Stellan Skarsgard), seu companheiro de pesquisas de fenômenos atmosféricos, que considerava que o que Thor lhes contara não passava de histórias para crianças, mitos e lendas, história boba, que tudo era ridículo, era magia e ele, Erik, estava falando de ciência, Jane Foster (Natalie Portman) é direta: “- Magia é apenas a ciência que a gente ainda não entende.”, atribuindo essa afirmação a Arthur C. Clark. Erik contesta: “- Escrevia ficção científica.”; ela não se entrega: “- Uma precursora do fato científico.” Ele limita: “- Em alguns casos sim.” Jane continua raciocinando: “- Se tem uma ponte de Einstein-Rosen então tem alguma coisa do outro lado. Seres desenvolvidos podem tê-la atravessado.” Darcy (Kat Dennings), a jovem que os acompanha reforça o argumento de Jane: “- Uma cultura primitiva como a dos vikings pode ter adorado eles como divindades.” A Ponte de Einstein-Rosen já havia sido mencionada antes, quando Jane, Erik e Darcy tentavam uma explicação para a estranha tempestade que presenciaram. Jane especula: “- Não acha que foi uma tempestade magnética? [ela está olhando uma imagem no monitor do computador] Esses feixes são característicos de uma Ponte Einstein-Rosen.” Darcy se espanta: “- Uma o quê?” Erik agride: “- Não estudou Ciências?” A moça responde: “- Ciência Política.” E Jane bate:“:- Ela foi a única candidata.” Erik, então, explica: “ - Uma ponte Einstein-Rosen é uma conexão teórica entre dois pontos do espaço-tempo.” E Jane: “- É um buraco de minhoca.”Eles continuam avaliando o fenômeno, mas o que interessa aqui é a referência à ponte de Einstein-Rosen e ao buraco de minhoca.Busquei, então, uma explicação na Internet: “Pontes de Einstein-Rosen [...] nunca foram observadas na natureza, mas oferecem soluções teóricas para a Relatividade Geral ao combinar modelos de buracos negros e buracos brancos. [...] O nosso universo pode estar situado no interior de um buraco de minhoca (wormhole) – também conhecido como Ponte de Einstein-Rosen – uma espécie de “cano” hipotético que une dois universos. (Nosso Universo pode estar em uma ponte entre dois outros universos - 13/04/2010. Disponível em: http://www.inovacaotecnologica.com.br/noticias/noticia.php?artigo=universo-dentro-buraco-minhoca&id=010130100413. Acesso em: 27 de maio de 2012)” Da Wikipédia selecionei: “[...]. Um buraco de verme possui ao menos duas "bocas" conectadas a uma única "garganta" ou "tubo". Se o buraco de verme é transponível, a matéria pode "viajar" de uma boca para outra passando através da garganta. Embora não exista evidência direta da existência de buracos de verme, um contínuum espaço-temporal contendo tais entidades costuma ser considerado válido pela relatividade geral. (Buraco de minhoca. http://pt.wikipedia.org/wiki/Buraco_de_minhoca. 2 de fevereiro de 2012. Acesso em: 27 de maio de 2012.)” Ou seja, no caso do filme, Thor e o martelo Mjolnir são enviados de Asgard para a Terra atravessando um tubo em velocidade vertiginosa que, segundo Jane Foster, que é astrofísica, é uma Ponte de Einstein-Rosen. Mitologia, magia e ciência compondo um painel interrelacionado em uma intercessão não-vazia de conjuntos. O filme de Kenneth Branagh foi instigante para mim nesse aspecto. (Arnaldo Prado Jr.)

AGENDA
*Cineclube Alexandrino Moreira: Segunda, dia 11/06 será exibido “Pocilga”, polêmico filme do cineasta italiano Pier Paolo Pasolini (Medéia/Édipo Rei) que faz um questionamento sobre a sociedade de consumo e o comportamento das pessoas na era capitalista. A exibição acontecerá às 19h com entrada franca e debate após a exibição com críticos da ACCPA.
*Cine Olympia: Dentro da mostra de filmes musicais que foram exibidos no cinema Olympia ao longo de seus 100 anos de atividade, hoje será exibido “Cantando na Chuva” com Gene Kelly. A mostra acontecerá de terça à domingo às 18:30 h com entrada franca até o dia 17/06. Hoje, na sessão cinemateca às 16h, será exibido o clássico “O Mágico de Oz” com Judy Garland. Entrada franca.
*Cine Líbero Luxardo: "O Espião que Sabia Demais” está em exibição deste quarta-feira sempre com sessões às 19h. Confira as datas de exibição : 06 a 08/06 (19h), 09 e 10/06 (16h30 e 19h), 13/06 (19h), 15 e 16/06 (19h) e 17/06 (16h30 e 19h). Excepcionalmente não haverá sessão do filme dia 14/06 .
*Cine Estação: O excelente “Violência e Paixão” de Luchino Visconti tem hoje seu último dia de exibição no seguintes horários : 10h, 18 e 20:30h.. Realizado em 1973, o filme tem no elenco Burt Lancaster (em grande atuação) e Silvana Mangano.
*Cine Saraiva : Em homenagem ao escritor Nelson Rodrigues, dia 14/06 às 19h será exibido “Toda Nudez será Castigada” de Arnaldo Jabor. Entrada franca.

segunda-feira, 4 de junho de 2012

"O BEIJO NO ASFALTO" NA SESSÃO ACCPA/SESC DIA 06/06/12


"BEIJO NO ASFALTO"
Direção : Bruno Barreto
Ano de Produção : 1981
Elenco : Tarcísio Meira, Ney Latorraca, Christiane Torloni e Lídia Brondi.
Sinopse : Arandir é um homem comum, casado, que por piedade dá um beijo na boca de um homem que morre atropelado. Por causa disso, cria-se uma polêmica acusando-o de homossexual e arruinando sua vida. *Homenagem aos 100 anos do escritor Nelson Rodrigues

SESSÃO ACCPA/SESC
 "BEIJO NO ASFALTO"
CINE SESC BOULEVARD
QUARTA-FEIRA DIA 06/06/12
HORÁRIO : 19H
ENTRADA FRANCA
INADEQUADO PARA MENORES DE 14 ANOS
APOIO : ACCPA (ASSOCIAÇÃO DOS CRÍTICOS DE CINEMA DO PARÁ)

PROGRAMAÇÃO CINE OLYMPIA - DE 05 À 17/06/12


MOSTRA DE FILMES MUSICAIS
Dentro da programação comemorativa do centenário do Cine Olympia acontecerá de 05 à 17/06 a MOSTRA DE FILMES MUSICAIS que exibirá filmes deste gênero e que foram lançados no Olympia em décadas passadas. Na programação, clássicos do cinema americano e o filme brasileiro “A Ópera do Malandro”. A programação da mostra acontecerá de terça à domingo sempre às 18:30 h. Entrada franca. Antes da mostra, será exibido o curta-metragem paraense "PÁSSAROS ANDARILHOS, BOIS VOADORES" de Luiz Arnaldo Campos às 18:00h.

MOSTRA DE FILMES MUSICAIS
Dia 05/06 - “Era Uma Vez em Hollywood” (1974) (documentário)
Dia 06/06 - “Meias de Sêda” (1957) com Fred Astaire
Dia 07/06 - “O Picolino” (1935) com Fred Astaire
Dia 08/06 - “Positivamente Millie”(1967) com Julie Andrews
Dia 09/06 - “Sinfonia da Paris”(1951) com Gene Kelly
Dia 10/06 - “Cantando na Chuva” (1952) com Gene Kelly
Dia 10/06 - Sessão Cinemateca com "O Mágico de Oz" às 16h com entrada franca
----
Dia 12/06 - “Amor Sublime Amor” (1960) com Natalie Wood
Dia 13/06 -“A Roda da Fortuna” (1953) com Fred Astaire
Dia 14/06 - “A Ópera do Malandro”(1987) de Ruy Guerra
Dia 15/06 - “All Tha Jazz – O Show deve Continuar”(1979) com Roy Sheider
Dia 16/06 - “Cabaret”(1972) com Liza Minelli
Dia 17/06 - “Hair” (1979) de Milos Forman
Dia 17/06 - Sessão Cinemateca com "Noites de Cabíria" de Federico Fellini às 16h com entrada franca

CINE TROPPO - SEMANA DE 01 À 06/06/12


CINE TROPPO
Marco Antonio Moreira Carvalho
Lançamentos da Semana Caso não haja alteração de última hora, as estréias da semana são “Branca de Neve e o Caçador” e “Solteiros com Filhos”.
Em “A Branca de Neve e o Caçador”, a ideia é fazer uma adaptação mais adulta da clássica histórica eternizada pelo desenho dos estúdios Disney. Branca é uma incrivelmente bela jovem com cabelos escuros, peles claras, e lábios avermelhados. A beleza de Branca de Neve é o seu maior problema, pois quando ela vira a mais linda de todas, ela se transforma em uma ameaça para sua Madrasta, Ravenna. Porém, o que a malvada tirana nunca imaginou, é que a jovem que ameaça seu reinado vem treinando a arte da guerra com o caçador que foi enviado para matá-la.. Realizado pelos mesmos produtorea ae versão moderna de “Alice no País das Maravilhas”, o filme tem no elenco, Kristen Stewart (Crepúsculo), Charlize Theron (Celebridades), Chris Hemsworth (Thor) e Bob Hoskins.
“'Solteiros com Filhos” gira em torno de um jovem casal que pretende ter filhos, mas tem como melhores amigos um casal que está à beira do divórcio devido à dificuldade de lidar com os próprios filhos. Então, eles decidem ter um filho, mas manter o relacionamento aberto. Fox será uma ficante do jovem rapaz. No elenco, Kristen Wiig, Adam Scott, Jon Hamm, Megan Fox. Das continuações, destaque para “Raul: O Inicio, o Fim e o Meio”, documentário de Walter Carvalho sobre o cantor/compositor Raul Seixas.

“VIOLÊNCIA E PAIXÃO” EM CARTAZ NO CINE ESTAÇÃO
O Cine Estação das Docas volta a exibir em película, um dos melhores filmes do diretor italiano Luchino Visconti: “Violência e Paixão”. No elenco, Burt Lancaster,Silvana Mangano e Helmut Berger em grandes atuações. A primeira exibição aconteceu no dia 1º de junho (sexta-feira), com sessões às 18h e 20h30 com o filme ficando em cartaz até o dia 10/06. O filme foi realizado dois anos antes da morte de Visconti, ocasião em que se encontrava já com a saúde debilitada devido ao infarto sofrido durante as filmagens de “Ludwig”, que o prendeu a uma cadeira de rodas até a sua morte, em 1976. “Violência e Paixão” narra a história de um professor aposentado que leva uma vida solitária, cercado de livros e de muitos quadros de pintores famosos. Certo dia, ao receber dois representantes da Galérie Blanchard, de Paris, conhece a marquesa Bianca Brumonti (interessada em alugar um apartamento do palazzo); Lietta, sua filha, acompanhada de seu namorado, Stefano; e Konrad, amante da marquesa. A despeito da resistência oferecida pelo professor, este termina sendo envolvido pela senhora Brumonti e seu grupo. Quando os quatro se instalam no tal apartamento, eles transformam a monótona vida do professor num verdadeiro inferno. Espécie de testamento estético e moral de Visconti, “Violência e Paixão” (Gruppo di famiglia in un interno) deixa de lado a suntuosidade de “Ludwig”, mas não abre mão do intimismo que marca a carreira do diretor, aliado aos desconcertantes diálogos escritos em parceria com Enrico Medioli e Suso Cecchi d'Amico; diálogos e mise-en-scène apoiados no contraste entre a rebeldia da juventude e os dissabores da velhice. Como cenário, a Itália dos anos 70 representada num suntuoso apartamento em Roma, em confronto direto entre a tradição cultural e a vulgaridade dos novos ricos, juntamente com os supostos revolucionários de espírito livre e o terror fascista fora daquele espaço, representado pelo marido ausente. “Violência e Paixão” venceu o Prêmio Nastro D'Argento em cinco categorias, levou o Prêmio David di Donatello de Melhor Filme e Ator, e ganhou o troféu de melhor filme no Prêmio David Europeu, todos em 1975.(Divulgação)
Serviço:
Violência e Paixão (Itália/França, 1975)
De: Luchino Visconti.
Com Burt Lancaster, Silvana Mangano e Helmut Berger. 120m. Drama. 18 anos.
Exibições nos dias: 1º (sexta): 18h e 20h30 2 (sábado): 18h e 20h30 3 (domingo): 10h, 18h e 20h30 8 (sexta): 18h e 20h30 9 (sábado): 18h e 20h30 10 (domingo): 10h,18h e 20h30

AGENDA
*Cineclube Alexandrino Moreira: Segunda, dia 11/06 será exibido “Pocilga”, polêmico filme do cineasta italiano Pier Paolo Pasolini (Medéia/Édipo Rei) que faz um questionamento sobre a sociedade de consumo e o comportamento das pessoas na era capitalista. A exibição acontecerá às 19h com entrada franca e debate após a exibição com críticos da ACCPA.
*Cine Olympia: Dentro da mostra do cinema mudo que tem hoje seu último dia, será exibido o clássico “Aurora” de F. W. Murnau realizado em 1929 e considerado um dos maiores filmes da história do cinema. No elenco, Janet Gaynor. A partir de terça-feira, começa a MOSTRA DE FILMES MUSICAIS com a exibição de clássicos do gênero como “Cantando na Chuva”, “Sinfonia de Paris”, “Amor Sublime Amor” (West Side Story), “Cabaret” e “Hair”. A mostra acontecerá de terça à domingo às 18:30 h com entrada franca durantes duas semanas..Confira toda a programação da mostra no site www.cinemaolympia.com.br *Cine Líbero Luxardo: "A Missão do Gerente de Recursos Humanos” tem hoje seu último dia de exibição com sessão às 19h. O filme é uma co-produção da França/Alemanha/ Israel e conta a história do gerente de recursos humanos da maior empresa panificadora de Jerusalém, que está enfrentando problemas e acaba envolvido numa missão de descoberta de seu país e de si próprio após a morte de uma das funcionárias da empresa. Não deixe de ver. .
*Cine Estação: O excelente “Violência e Paixão” de Luchino Visconti está em exibição. Realizado em 1973, o filme tem no elenco Burt Lancaster (em grande atuação) e Silvana Mangano. O filme “Um Método Perigodo” que estava programado para este mês deverá ser exibido em julho.
 * Cine Sesc Boulevard : Em homenagem ao escritor Nelson Rodrigues, será exibido quarta-feira, dia 06, o filme nacional "Beijo no Asfalto" de Bruno Barreto com sessão às 19h e entrada franca.

Cine Troppo - De 09 a 15/07/20