Postagens

Mostrando postagens de 2018

51º FESTIVAL DE BRASÍLIA DE CINEMA BRASILEIRO

Imagem
Coletiva de imprensa com os realizadores dos filmes "Liberdade" de Pedro Nishimura e Vinícius Silva, "Sempre verei cores no seu cinza" de Anabela Roque e "New Life S/A" de André Carvalheira.

51º FESTIVAL DE BRASÍLIA DE CINEMA BRASILEIRO

Imagem
Apresentação da equipe do longa metragem "New Life S/A", produção do cinema brasiliense.

51º FESTIVAL DE BRASÍLIA DE CINEMA BRASILEIRO

Imagem
Apresentação da equipe de dois curtas da mostra competitiva.

51º FESTIVAL DE BRASÍLIA DE CINEMA BRASILEIRO

Imagem
Coletiva de imprensa sobre o curta "Kairo" e "Los Silencios".

51º FESTIVAL DE BRASÍLIA DE CINEMA BRASILEIRO

Imagem
Coletiva de imprensa do documentário "Torre das Donzelas" sobre um grupo de mulheres que foram presas políticas no período da ditadura militar.

51º FESTIVAL DE BRASÍLIA DE CINEMA BRASILEIRO

Imagem
Uma das melhores atividades de um festival de cinema, especialmente em Brasilia, são as coletivas de imprensa que permitem debates com os realizadores. A produção de todos os filmes exibidos apresenta seus realizadores no dia seguinte de sua projeção para contato com a imprensa e público. É uma fonte de conhecimento sobre a produção do filmes e das ideias dos realizadores.

51º FESTIVAL DE BRASÍLIA DE CINEMA BRASILEIRO

Imagem
Segundo dia do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro. Exibição do curta metragem "Boca de Loba" e o documentário (muito aplaudido) "A Torre das Donzelas".

51 º FESTIVAL DE BRASÍLIA DE CINEMA BRASILEIRO

Imagem
Abertura da 51° Festival de Brasilia de Cinema Brasileiro com apresentação e exibição do curta "Imaginário" e o longa metragem "Domingo".

51 º FESTIVAL DE BRASÍLIA DE CINEMA BRASILEIRO

Imagem
Diário de Brasília

O Festival de Brasília de Cinema Brasileiro chega à sua 51º Edição com uma estrutura muito bem organizada e uma seleção de longas e curtas metragens que priorizam a diversidade de temas e de realizadores. Na abertura, como convidado, tive a oportunidade de assistir a exibição de dois trabalhos em “Hors-Concours”: o curta “Imaginário” de Cristiano Burlan e o longa metragem “Domingo” de Clara Linhart e Felipe Barbosa (que dirigiu “Gabriel e a Montanha”). “Imaginário” faz um breve relato sobre importantes acontecimentos políticos do país por depoimentos e declarações realizadas em áudio e imagem e procura nos sensibilizar no conhecimento da história deste país para entendermos nosso presente político. É um filme didático que teve um grande trabalho de pesquisa e que chega num momento importante para nossa conscientização política. Numa montagem criativa, o diretor soube usar a linguagens inerentes ao formato do curta metragem para criar interesse do espectador e realiza…

Cine Troppo - De 28/06 a 04/07/18

Imagem

Cine Troppo - De 28/06 a 04/07/18

Imagem

Cine Troppo - De 01 a 11/07/18

Imagem

Cine Troppo - De 05 a 11/07/18

Imagem

Cine Troppo - De 21 a 27/06/18

Imagem

Cine Troppo - De 21 a 27/06/18

Imagem

Cine Troppo - De 14 a 20/06/18

Imagem

Cine Troppo - De 07 a 13/06/18

Imagem

Cine Troppo - De 31/05 a 06/06/18

Imagem

De 24 a 30/05/18

Imagem

Cine Troppo - De 17 a 23/05/18

Imagem

Cine Troppo - De 10 a 16/05/18

Imagem

Cine Troppo - De 03 a 09/05/18

Imagem

Cine Troppo - De 26/04 a 02/05/18

Imagem

Cine Troppo - De 19 a 25/04/18

Imagem

Cine Troppo - De 12 a 18/04/18

Imagem

Cine Troppo - De 05 a 11/04/18

Imagem

Cine Troppo - De 29/03 a 04/04/18

Imagem

Cine Troppo - De 22 a 28/03/18

Imagem

Cine Troppo - De 15 a 21/03/18

Imagem

Cine Troppo - De 08 a 14/03/2018

Imagem

Cine Troppo - De 01 a 07/03/18

Imagem

Cine Troppo - De 22 a 28/02/18

Imagem

Cine Troppo - De 15 a 21/02/18

Imagem

Cine Troppo - De 08 a 14/02/16

Imagem
CINE TROPPO Marco Antonio Moreira Carvalho

“A Forma da Água” e o conto de fadas “A Forma da Água" de Guillermo del Toro é decepcionante. A proposta de explorar a estrutura do “conto de fadas” (moderno? antigo?) é perigosa, mas esse diretor já tinha elaborado isso criativamente em trabalhos anteriores. A proposta é perigosa, pois leva o artista a uma criação de mera repetição ou então de inovação num processo de elaboração de histórias/estéticas que podem expressar seu sentimento/pensamento. Em “A Forma da Água” temos a história de uma zeladora que é muda, com dificuldades de relacionamentos, tímida e que trabalha em um laboratório experimental secreto do governo. Ela conhece uma criatura que é presa e maltratada, A identificação entre ela e criatura é quase imediata e um relacionamento surge por meio de encontros onde ela finalmente encontra alguém para compartilhar sentimentos e/ou desejos. O que percebo então é a construção de tipos estereótipos (bem, mal, amigo, inimigo) que incl…

Cine Troppo - De 01 a 07/02/18

Imagem

Cine Troppo - De 01 a 07/02/18

Imagem
CINE TROPPO Marco Antonio Moreira Carvalho

CEC em homenagem a Ingmar Bergman *Ave Ingmar Bergman! Que bela noite de celebração ao mestre do cinema aconteceu no dia 30/01 em mais uma ação do Centro de Estudos Cinematográficos (CEC)! Eu e a professora Ana Cleide homenageamos o cineasta sueco com informações e debates sobre sua obra especialmente "Sonata de Outono" (1978). Agradeço a presença do público nesta ação especial, a direção da Casa das Artes pela parceria e a minha amiga Ana Cleide que fez uma leitura brilhante da obra de Bergman sob o conceito de psicologia. Novas ações sobre a obra de Bergman serão realizadas em breve incluindo uma análise do filme "Gritos e Sussurros" *O Centro de Estudos Cinematográficos (CEC) sob minha coordenação promoverá a atividade "Roda de Cinema" a partir de fevereiro deste ano em parceria com a Casa das Artes. A ação envolverá a leitura/debate dos participantes sobre textos previamente divulgados nas mídias sociais do CEC …