domingo, 29 de abril de 2012


CINE TROPPO
Marco Antonio Moreira Carvalho

Lançamentos da Semana Caso não haja alterações de última hora, as estréias da semana são “Os Vingadores”, “Sete Dias com Marilyn” e “Um Conto Chinês”.
Em “Os Vingadores” quando um inimigo inesperado surge ameaçando a segurança global, Nick Fury (Samuel L. Jackson), diretor da agência internacional de paz conhecido como SHIELD, recruta uma equipe para livrar o mundo de uma possível destruição: Homem de Ferro (Robert Downey Jr.), Capitão América (Chris Evans), Thor (Chris Hemsworth), Hulk (Mark Ruffalo), Gavião Arqueiro (Jeremy Renner) e Viúva Negra (Scarlett Johansson). O filme é baseado na popular série de revistas em quadrinhos da Marvel "The Avengers”, publicada pela primeira vez em 1963. A produção de Os Vingadores: The Avengers começou em 25 de abril de 2011, em Albuquerque, no Novo México, onde a produção filmou no Estúdio Albuquerque e em várias locações dentro e fora da cidade. Outras locações incluíram Wilmington, em Ohio; Worthington, na Pensilvânia; Cleveland, em Ohio e a cidade de Nova York. As filmagens duraram um total de 93 dias. O filme será exibido em 3D e 2D.
“Sete Dias com Marilyn” é inspirado no livro escrito por Colin Clark, 'The Prince, The Show Girl and Me: Six Month on the Set with Marilyn and Olivier”. A famosa atriz Marilyn Monroe (interpretada por Michelle Williams, indicada ao “Oscar”) está em Londres pela primeira vez para filmar "O Príncipe Encantado". Colin Clark (Eddie Redmayne), o jovem assistente do prestigiado cineasta e ator Laurence Olivier (Kenneth Branagh), sonha apenas em se tornar um diretor de cinema, mas logo viverá um romance com a mulher mais sexy do mundo. O que começa como uma aventura amorosa mudará a vida do jovem Colin.
“Um Conto Chinês” é uma co-produção Argentina/Espanha que tem como o protagonista o excelente ator Ricardo Darín (O Segredo dos seus Olhos).No filme, acompanhamos a vida de Roberto, um veterano da Guerra das Malvinas que vive recluso em sua casa há vinte anos e coleciona manias. De repente, aparece na sua vida Jun, um chinês que acabou de ser roubado e está perdido na cidade. Roberto não fala chinês e Jun não fala espanhol. Apesar das diferenças e dificuldades Roberto e Jun descobrirão o real motivo deste encontro inusitado. Belo filme que deve fazer sucesso entre público e crííiica. Direção e Roteiro de Sebastian Borensztein.

OLIMPIA 100 ANOS Creio que a minha primeira visita ao Olímpia foi para ver “O Mágico de Oz”. Antes tinha ido ao Iracema ver “Branca de Neve e os 7 Anões”(onde preferi espiar da sala de espera levantando a cortina pois tive medo da fantasmagoria Disney na escuridão) e ao Moderno ver um filme de guerra onde aviões de combate pareciam aves desgarradas (seria o célebre “Anjos do Inferno”de Howard Hughes ?). Por morar na S.Jeronimo (hoje José Malcher), entre Dr. Moraes e Benjamin, ir ao Olímpia era andar menos. O único cinema que atingia a pé. Via de regra comprava bala (ou bombom) de menta (chamado Pipper) e sentava na 4ª.fila, lado direito de quem entra, perto do corredor lateral. Não perdia as matinais de domingo. E nos chamados dias úteis ia à sessão das 15 horas, exceto aos sábados, quando preferia a Vesperal Passatempo de 17 h. Procurava evitar as vesperais de domingo, e era estranho pois a sessão ganhava apoio dos estudantes e era onde se namorava além do permitido pela censura castradora. Rir do Gordo e o Magro, de Carlitos (especialmente de “Tempos Modernos”), de Harold Lloyd, de algumas “screw Ball” era comum. Chorar talvez fosse mais difícil. Mas chorei, embora não lembre de lágrimas derramadas quando garoto. Parece que desentupi o canal lacrimal com a maturidade, achando triste o fim de Gelsomina em “La Strada”, de Cabiria na mesma onda, da surda-muda Belinda, sei mais de quantas personagens que sofriam na tela(a maioria mulher). Certo: “A Felicidade Não se Compra” não estreou na casa centenária do Largo da Polvóra. Foi no Moderno (Largo de Nazaré). Mas “2001” foi no Olimpia. A ficção cientifica que elegi desde bem pequeno como gênero favorito, atracou ali muitas vezes: “Destino à Lua”, “A Conquista do Espaço”, “O Monstro Magnético”,”O Homem do Planeta X”, “Planeta Vermelho”, até chegar a “Planeta dos Macacos” e coisas coloridas e esticadas(scope). No dia 24 de abril de 2012, o Olímpia(que eu teimo em escrever com “i”, como escrevia ao longo dos anos), comemorou o seu centenário. Escrevem “o primeiro centenário”. Benditos profetas. Oxalá eu ainda veja mais anos acima desses cem. E tenha a graça de encontrar mais filmes inéditos, projetados em película. Sim, pois a projeção digital no caso só em data show. Parabéns Olimpia. Tomo fôlego e sopro suas cem velas.(Pedro Veriano)

 E OS 100 ANOS CHEGARAM : OLYMPIA
Em meio a falas e discussões durante a semana, esta semana chegou hoje o grande dia do Cinema Olympia: 100 anos de pé em meio à intensa circulação de pessoas de novas e velhas gerações. As plumas e paetês do início do século, usadas por frequentadores/as da casa para saudar uma tecnologia mais sofisticada chegada a Belém pelas mãos de empresários interessados em aumentar seus lucros no finzinho da “bella-epoque”, se transformaram em intensos debates, agora para saudar o feito e o significado de uma casa de cultura, testemunha de tantos fatos sociais, políticos e pessoais, permanecendo no mesmo local e ainda mais comprometida com a tradição da cidade. Se as questões levantadas ao longo de tantas entrevistas, de exposições públicas em seminário sobre esta sala tenderam a centrar-se nos fatos pesquisados sobre os modos de vida e a circulação de espectadores do início do século na cidade de Belém quando o Olympia foi criado, mesclaram-se interesses em outros assuntos originados nesses cem anos em que a tecnologia da arte cinematográfica subverteu e aprofundou o modo de reprodução das imagens saidas do cinematógrafo de Louis e Auguste Lumière. Não faltaram, também, perguntas sobre a resistência ao seu fechamento depois de tantas décadas que evidenciaram tensões pela decadência de objetos e equipamentos demonstrativos da falta de conservação da casa. E o que a pesquisa e a memória histórica têm evidenciado reflete a persistência da população da cidade em reaver o esplendor do cinema nos moldes de cada época. Se os estudantes paraenses da década de 1940 pleitearam a meia-entrada como beneficio de sua condição e conseguiram a sensibilidade do então proprietário do cinema, haja vista que esse privilégio já vinha sendo distribuido para a categoria em outras cidades brasileiras, os da década de 1950 também fizeram seu protesto, então pela melhoria das instalações precárias argumentando que outras casas do tipo, em outras capitais, já apresentavam poltronas estofadas e ar refrigerado. Com 600 lugares e, geralmente, casa cheia quando os programas eram filmes do gênero chanchada (brasileira), tornava-se improducente curtir a sessão sem boa qualidade do ambiente. As sessões extras do tipo “Vesperal Passatempo” (17 h aos sábados) e “Última Chance” (com a exibição de filmes já exibidos e tendo percorrido os cinemas dos bairros) também às 17h, criados pelo gerente desse cinema, Adalberto Augusto Affonso, com a finalidade de chamar a atenção do público que áquela altura tinha outros espaços para escolher suas preferências, o cinema Olympia mantinha-se fiel a uma programação de qualidade demonstrando que jamais perdera o “aplonb” para espectadores das citadas“plumas e paetês”, agora o frequentando numa indumentária mais simples, onde o império das calças jeans e os chinelões passaram a conviver democraticamente. A almejada reforma da sala de proejeção só foi alcançada quando inaugurou o Cine Palácio, edificado por empresários locais. Precisamente em 1960 o Olympia passou a ter as suas poltronas estofadas e ar condicionado. E suas estréias, que figuravam na base de 3 filmes por semana converteram-se em apenas uma como, na maioria das cidades do país. As novas técnicas como o cinemascope, o som estereofônico, e os gêneros de filmes foram se adaptando (e gerando) novas faces culturais. As sessões “cinema de arte” são exemplo ilustrativo de mudanças. De público e de comportamentos. Os mais intelectualizados e letrados nas artes circulavam nesse espaço nas manhãs de sábado, com as mulheres jovens tratando de estimular seu visual com as idéias de uma moda “subversiva” de Mary Quant – em que a minissaia figurava como vetor de imposição de costumes e as cores chamadas psicodélicas contribuiam para isso –justapunham-se ao comportamento dessa geração “que amava os Beatles e os Rolling Stones” e gerenciava outros tipos de saberes mais entrosados com os costumes da contemporaneidade. Estes queriam entender o cinema, a técnica da linguagem, o modo de conviver com as mudanças da geração Woodstok. Mas os empresários começaram a sentir os efeitos de concorrências das novas mídias como a TV, o video (VHS e depois DVD), com a pirataria do gênero e, principalmente, a falta de segurança nos cinemas de rua. Migrou-se para os shoppings. E o Olympia, como outros espaços do tipo, foi relegado por seu proprietário. Veio o clamor público e a intervenção da PMB. Hoje é Espaço Municipal Olympia. E resiste. E ganha a homenagem que merece por sualongevidade. Parabéns cinema Olympia. Por tudo o que nos brindou nestes 100 anos. Você merece! (Luzia Álvares)

AGENDA
*Cineclube Alexandrino Moreira: Segunda, dia 30/04, será exibido o clássico “Rastros de Ódio” de John Ford com John Wayne numa homenagem ao crítico de cinema Alexandrino Moreira que faria 80 anos agora em abril.A exibição acontecerá às 19h com entrada franca e debate após a exibição com críticos da ACCPA.
*Cine Olympia: Dentro das comemorações do centenário do cinema Olympia, está em exibição o filme “O Artista” que ganhou o “Oscar” de melhor filme este ano. É uma bela homenagem ao cinema e tem tudo que haver com este momento de comemoração do aniversário do Cine Olympia. “O Artista” será exibido até o dia 06/05 (exceto segunda-feira) sempre às 18:30h com entrada franca.
*Cine Líbero Luxardo: "Um Conto Chinês” é o filme da semana. Confira maiores informações na seção ESTREIAS DA SEMANA. O filme será exibido de 25 a 28/04 (19h). dia 29/04 (17h e 19h), dias 02 a 05/05 (19h) e dia 06/05 (17h e 19h) .
*Cine Estação: Depois de “A Separação”, o cine Estação anuncia para o mês de Maio a exibição de “Drive” com Ryan Gosling . Em junho, será exibido “Um Método Perigoso” de David Cronenberg com Michael Fassbander no elenco.
 *Cine Saraiva : Quinta-feira, dia 03/05, será exibido “Os Palhaços” de Federico Fellini às 19h com entrada franca e debate após a exibição com críticos da ACCPA.

domingo, 22 de abril de 2012


 CINE TROPPO
Marco Antonio Moreira Carvalho
Lançamentos da Semana
Caso não haja alterações de última hora, as estréias da semana são “Eu Receberias as Piores Notícias dos seus lindos Lábios”, “A Perseguição” e “American Pie – O Retorno”
“Eu Receberias as Piores Notícias dos seus lindos Lábios” é inspirado na obra homônima do escritor Marçal Aquino. O filme conta a história de um triângulo amoroso que envolve Cauby (Gustavo Machado), um fotógrafo de passagem pelo interior da Amazônia, a bela e instável Lavínia (Camila Pitanga) e seu marido, o pastor Ernani (Zecarlos Machado), que acredita ser possível consertar as contradições do mundo. O filme é dirigido por Beto Brant(O Invasor) e Renato Ciasca. O filme teve filmagens em Santarém e ganhou prêmio de melhor atriz (Camila Pitanga) no Festival do Rio em 2011 e melhor filme no Festival de Huelva (Espanha), ano passado.No elenco, vários paraenses com destaque para o ator Adriano Barroso.
Em “A Perseguição”, ao tentar fazer uma viagem tranquila para casa, um grupo de extratores de petróleo do Alasca acaba sofrendo um acidente aéreo. Do total de 125 passageiros, apenas 8 sobrevivem. Machucados, eles tentam se recuperar quando descobrem que aquele é um local habitado por uma matilha de lobos selvagens. No Considerando os humanos invasores, os animais passam a caçar lentamente os sobreviventes da queda do avião, levando-os a uma intensa luta por sobrevivência. No elenco, Liam Neeson (Busca Implacável/A Lista de Schindler).
Em “American Pie – O Retorno” todos os personagens da “série” que foi lançada a quase dez anos atrás retornam para uma reunião do colégio. No fim de semana há muito aguardado, eles vão descobrir o que mudou, quem não mudou e que o tempo e a distância não são capazes de destruir os laços da amizade.No elenco, Jason Biggs, Eugene Levy e Seann William Scott.
 
CINEMA OLYMPIA 100 ANOS – UMA DATA HISTÓRICA
É com muito orgulho e com uma emoção especial que sou testemunha da chegada do centenário do Cinema Olympia no próximo dia 24 de abril de 2012. Numa época onde os cinemas de rua estão cada vez menos presentes nas novas gerações, perdendo assim uma magia e um estilo diferenciado com relação aos chamados cinemas de shopping, saber que um cinema que marcou inúmeras gerações sobreviveu e chega ao seu centenário, realmente é empolgante. Mais do que um cinema, o Olympia é um patrimônio histórico e cultural do estado do Pará, da cidade de Belém. Sua história, de certa forma, está na história de tantos espectadores que nesta sala de exibição tiveram seus sonhos, suas surpresas, suas emoções e suas descobertas através de tantos filmes que ali foram exibidos. Como uma referência emocional obrigatória para quem realmente é cinemaníaco, o Olympia viveu vários momentos de sucesso e também de perdas, especialmente quando houve uma grave crise no mercado exibidor nos anos 90. Mas mesmo assim, renasceu. E quando parecia tudo perdido, no momento que o proprietário do cinema anunciou seu fechamento em 2006, mais uma vez o Olympia renasceu partindo da manifestação popular que não aceitou o fechamento da sala e chegando na feliz decisão da prefeitura local em locar o espaço e manter viva sua atividade : cinema. Dessa forma, o sonho continua. Novos espectadores poderão ver filmes neste cinema e criar suas memórias, assim como eu. Tenho vários momentos para lembrar no Olympia vendo filmes inesquecíveis como “Laranja Mecânica” de Stanley Kubrick, os desenhos animados dos estúdios Disney, “Psicose” de Alfred Hitchcock (lembro de meu pai explicando porque no letreiro do cinema estava “PSICOSE” DE HITHCOCK com ele dizendo que “somente os grandes diretores tem seus nomes nos letreiros dos cinemas ao lado do nome do filme”), entre outros momentos que guardarei para sempre no meu coração e mente, especialmente aqueles que envolvem as idas ao cinemas com meu pai, mãe e irmãos.  
Como programador do cinema desde 2006, fico feliz em ver que o cinema Olympia hoje é um espaço com um foco cultural importante que procura ter uma programação mais selecionada, dando chance ao público de ver trabalhos que dificilmente seriam exibidos nos cinemas formando assim uma platéia que veja no cinema muito mais do que diversão mais também arte e cultura. Para isso, o apoio da Prefeitura e dos parceiros como embaixadas, consulados, distribuidoras, associação de críticos (ACCPA) e especialmente a colaboração dos críticos Pedro Veriano e Luzia Álvares foram de extrema importância. Uma nova história começou a ser escrita com o público freqüentando o cinema com entrada gratuita, e sempre se impressionando com sua arquitetura clássica, de tela grande, entrada pela frente da tela e detalhes de construção de um tempo que passou mais que deixou sua marca.O velho Olympia de nossas memórias ainda  pulsa dentro da sala de exibição e o novo Olympia também na medida que o público se renova e prestigia sua programação e mais do que isso, sua importância. Ao chegar nesta data histórica, o Olympia merece ser aclamado pela referência que representa na memória de cada um de seus freqüentadores de ontem, de hoje e do futuro. Parabéns, Cine Olympia. A magia o do cinema continua. O sonho continua. (Marco Antonio Moreira)
 
 

sábado, 14 de abril de 2012

CINE TROPPO - SEMANA DE 13 À 19/04/12

CINE TROPPO
Marco Antonio Moreira Carvalho
Lançamentos da Semana
Caso não haja alterações de última hora, as estréias da semana são “Medianeras”
“12 Horas”, “Titanic 3”(3D), “Como Agarrar meu Ex-Namorado”, “À Todo Prova” e
“Área Q”.
“Medianeras” é uma produção argentina. Martin e Mariana vivem na mesma rua, em edifícios opostos, mas eles nunca se conheceram. Eles andam pelos mesmos lugares mas nunca notaram um ao outro. Quais são as chances deles se conhecerem em uma cidade de três milhões de habitantes é um dos temas principais do filme que conquistou crítica e público.
“12 Horas” acompanha a história de uma jovem que volta para casa e descobre que sua irmã desapareceu. Ela começa a procurar a irmã, que já havia sido perseguida por um Serial Killer, e tenta fazer justiça com as próprias mãos.
“Titanic 3”(3D) é o segundo maior sucesso de bilheteria da história e agora volta aos cinemas com a tecnologia 3D numa conversão feita sob a supervisão do seu diretor James Cameron.
Em “Como Agarrar meu Ex-Namorado”, uma mulher desempregada aceita o emprego de caçadora de recompensas na firma de um primo. Munida de um forte charme, ela parte em busca de seu primeiro alvo – um ex-policial foragido, o mesmo por quem ela tinha uma queda desde os tempos de escola.
Em “A Toda Prova”, Mallory Kane é uma jovem agente secreta treinada por seu parceiro Kenneth e juntos, viajam ao redor do mundo, assumindo missões que governantes não podem autorizar. Após uma missão mal sucedida, ela encontrará um novo parceiro. Entretanto, a missão toma rumos inesperados.
Em “Área Q”, a busca de um pai por seu filho acaba levando a uma descoberta extraordinária no interior de uma cidade no Ceara conhecida como Área Q. O longa foi filmado no Brasil, no Ceará,

100 ANOS DO CINEMA OLYMPIA
Dentro das comemorações do aniversário de 100 anos do cinema Olympia, que acontecerá no dia 24/04, será realizado de 20 à 22 de abril o o seminário “O Primeiro Século do Cinema Olympia: Histórias, Desafios e Perspectivas”. O seminário é uma parceria da Associação dos Criticos de Cinema do Pará (ACCPA), Universidade Federal do Pará, Instituto de Ciências das Arte e Curso de Bacharelado em Cinema e Audiovisual com realização no cinema Olympia através da Prefeitura de Belém/FUMBEL. Confira a programação completa a seguir. As inscrições para o seminário estão abertas no endereço www.cinemaufpa.blogspot.com.br

Programação:
- 20 de Abril 2012 (Sexta-feira)
Local: Espaço Cultura Cinema Olympia
8h – Credenciamento
8h30 – Abertura – Pronunciamentos Oficiais: UFPA, PMB, ACCPA

9h – Conferência de Abertura “A História do Cinema Olympia – entre o passado e o futuro”
Conferencista: Pedro Veriano - Médico, jornalista, critico de cinema (ACCPA) e pesquisador de cinema com três livros publicados sobre o assunto ("A Critica de Cinema em Belém", "Cinema no Tucupi" e "Fazendo Fitas"). Colunista de cinema em "A Província do Pará" de 1963 a 2001. Responsável pela coluna de cinema de "A Voz de Nazaré".

10h30 – Intervalo

11h – Conferência “As Musas do Cinema Olympia”
Conferencista: Luzia Miranda Álvares – Professora da UFPA, doutora em Ciência Política pelo Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro (2004). É crítica de cinema (ACCPA) desde 1972 e articulista de temas sobre política das Organizações Rômulo Maiorana. Faz parte da diretoria da Associação Brasileira de Ciência Política-ABCP.

12:30h – Intervalo para Almoço

14:30h – Mesa Redonda “O Futuro que Queremos para o Cinema Olympia”
Debatedores:
Ana Cláudia Melo – Mestre e Especialista em Cinema (Unisinos-RS), professora e coordenadora do Curso de Bacharelado em Cinema Audiovisual,
Filomena Mata – Arquiteta e Coordenadora do Programa Monumenta em Belém
Afonso Galindo – Documentarista e Coordenador do Núcleo de Produção Digital do Instituto de Artes do Pará
Abel Loureiro – Vereador de Belém e autor do Projeto de Lei que torna o Cinema Olympia Patrimônio de Belém.
Mediadora: Ana L. Lobato – Professora Doutorado do Curso de Cinema e Audiovisual da UFPA.

16h - Intervalo

16h30 – Mesa Redonda “A Exibição e Distribuição na Indústria Cinematográfica Brasileira: eis a questão”
Debatedores:
Alessandra Meleiro – Professora da UFF. Pós-doutora pela University of London (Media and Film Studies).
Frederico Machado – Cineasta, diretor e distribuidor da LUME Filmes.
Augusto Pacheco – Programação Cine Estação
Patricia Lio – Programação Cine Líbero Luxardo
Mediador: Marco Antônio Moreira – Crítico de Cinema (ACCPA)
Encerramento: 18h

- 21 de Abril ( Sábado)
10:30h – Mesa Redonda “A Crítica no Cinema Brasileiro”
Debatedores:
Luiz Zanin - Jornalista, críticos de Cinema do Jornal O Estado de São Paulo.
Maria do Rosário Caetano – Jornalista.
Marco Antonio Moreira - Crítico de Cinema (ACCPA). Escreve sobre cinema desde 1978. Formado em Administração de Empresas com pós-graduação em Marketing.

Mediador: Arnaldo Prado Jr. Crítico de Cinema (ACCPA).

12h30 Intervalo para Almoço
14:30h – Conferência “Os Cinemas de uma época”
Conferencista Pere Peti - Professor da Faculdade de História da UFPA, doutor em História Econômica pela USP, mestre pela Universidad Central de Venezuela, formado em História Contemporânea pela Universitat de Barcelona.
16h – Intervalo
16:30h – Mesa Redonda “Viver de Cinema e Viver por Cinema”
Debatedores: Adriano Barroso (Ator/Realizador)
Jorane Castro (Professora da UFPA e Cineasta)
Fernando Segtowick (Jornalista e Cineasta)
Nilza Maria (Atriz).
Mediadora: Adelaide Oliveira (Jornalista/ Presidente da Funtelpa)
18h – Encerramento
- 22 de Abril (Domingo)
10h30– Mesa Redonda “A Música e o Cinema”
Debatedores:
Salomão Habbib - professor do Curso de Música e compositor
Urubatan Castro - professor de Música da UEPA
Robenáre Marques – professor de Música e autor da composição que marca o Centenário do Cinema Olympia.
Mediador: Ricardo Harada – professor do Curso de Cinema da UFPA
12h30 – Almoço
14:30h – Palestra “Do Cinema do Século XXI ao Cinema Digital”
Palestrantes:
Marco Antonio Moreira - Crítico de Cinema (ACCPA). Escreve sobre cinema desde 1978. Formado em Administração de Empresas com pós-graduação em Marketing.
Arnaldo Prado Jr. – Crítico de Cinema (ACCPA). Professor co-orientador de TCC sobre cinema Engenheiro Civil formado pela UFPA. Professor da Faculdade de Computação da UFPA(Aposentado).

16h – Intervalo
16:30h – Palestra “Cinema Olympia : Registro de uma História Cultural”
- Palestrantes : Pedro Veriano /Luzia Álvares
18h – Encerramento
18h30 – Entrega dos certificados de participação do seminário

* Programação sujeita a alterações.


AGENDA
*Cineclube Alexandrino Moreira: Segunda, dia 16/04 será exibido a comédia “Irene, A Teimosa” de Gregory La Cava com Carole Lombard no elenco. A exibição acontecerá às 19h com entrada franca e debate após a exibição com críticos da ACCPA.
*Cine Olympia: Hoje é o último dia do festival CENTENÁRIO que faz parte das comemorações do aniversário de 100 anos do cine Olympia. Hoje será exibido o clássico “...E O Vento Levou” de Victor Flemming com Clark Gable e Vivian Leigh no elenco. O filme será exibido às 16h. Entrada Franca. A partir de terça-feira, inicia uma mostra de documentários produzidos pela TV Cultura.
*Cine Líbero Luxardo: "Medianeras” está em exibição desde quarta-feira. O filme terá sessão hoje às 19h. Maiores informações na sessão ESTREIAS DA SEMANA.
.*Cine Estação: Hoje é o último dia de exibição de “A Separação” de Asghar Farhadi que ganhou vários prêmios internacionais incluindo o “Oscar” de melhor filme estrangeiro. O filme será exibido às 10h, 18h e 20h30.

segunda-feira, 9 de abril de 2012

CINE TROPPO - SEMANA DE 06 À 12/04/12


CINE TROPPO
Marco Antonio Moreira Carvalho
Lançamentos da Semana
Caso não haja alterações de última hora, as estréias da semana são “A Separação”, “Espelho, Espelho Meu” e “Xingu”.
“A Separação” conta a história da separação de Nader (Peyman Moaadi) e Simin (Leila Hatami), um casal diferente e com ideias independentes. Nader é um marido compreensivo e aceita em ceder o divórcio a Simin, que quer deixar o país junto com ele e sua filha porque não quer que a garota cresça no Irã. Porém, seu pai é um idoso que sofre de Alzheimer em estágio avançado, que necessita dos cuidados do filho e por este motivo ele não aceita deixar o país e abandoná-lo. Nader é obrigado a contratar uma diarista - sem o aval de seu marido, e grávida - para tomar conta de seu pai enquanto trabalha. Diante disso uma série de acontecimentos seguidos de problemas caem sob a família. O filme recebeu vários prêmios internacionais e é um dos melhores filmes do ano.
“Espelho, Espelho Meu” tem Julia Roberts no elenco. Uma das mais famosas fábulas chega às telas de cinema numa versão diferente. Lily Collins (Um Sonho Possível) vive a princesa exilada Branca de Neve e é perseguida pela Rainha Má (Julia Roberts), que governa o reino sem piedade. Na sua luta para conquistar o trono a que tem direito e também para ganhar o coração do príncipe encantado (Armie Hammer), Branca de Neve contará com a ajuda dos leais e destemidos sete anões nessa aventura fantástica cheia de romance, rivalidade e muito humor.O filme será esxibido com cópias dubladas.
“Xingu” é dirigido por Cao Hamburger (O Ano que meus Pais saíram de Férias).Três irmãos decidem viver uma grande aventura. Orlando, Cláudio e Leonardo Villas-Bôas alistam-se na expedição Roncador-Xingu e partem em uma missão desbravadora pelo Brasil Central. Numa viagem sem paralelo na história, os irmãos Villas-Bôas conseguem fundar o Parque Nacional do Xingu. No elenco, Felipe Camargo e Caio Blat.

INDICAÇÕES/DVD
“A Harpa da Birmânia” de Kon Ichikawa (1956). Belo trabalho pacifista que mostra a força do cinema japonês. Após o fim da segunda guerra mundial, alguns soldados japoneses não acreditam na derrota do seu país e continuam a lutar. Uma tropa, liderada por um capitão que gosta de música, entrega suas armas em rendição mais um dos soldados tem a missão de convencer aqueles que não acreditam no fim da guerra. Poético, intenso e atual , “A Harpa da Birmânia” é um filme obrigatório.
“Os Olhos de Júlia” de Guillem Morales”. Interessante filme de suspense que merece ser visto. Julia sofre de uma doença degenerativa nos olhos e após encontrar sua irmã cega morta, decide investigar o acontecido e acaba descobrindo uma trama misteriosa. “Os Olhos de Júlia” não é um filme original, mas mostra que é possível fazer um filme de suspense com inteligência e criatividade com uma direção que sabe usar a montagem e o roteiro . A produção é de Guillherme Del Toro (Labirinto de Fausto/A Espinha do Diabo).
“Os Sentidos do Amor” de David Mackenzie. Ficção? Drama? Romance? Difícil definir este filme que tem uma atmosfera sufocante e realista ao contar a história de um casal que se apaixona e que vê uma pandemia tomar conta da humanidade fazendo desaparecer todos os sentidos humanos. Sem ouvir, sentir, ver, como seria uma nova humanidade? Como seria amar assim? Pessimista ou não, esta excelente história foi muito bem dirigida por David Mackenzie, sem exageros comerciais. É bom anotar o nome deste diretor.
“Um Conto Chinês” de Sebastián Borensztein. O melhor cinema da América Latina é feito na Argentina. A simplicidade e complexidade das histórias mostradas nos filmes argentinos geralmente emocionam e conquistam a crítica e o público. Aqui, um veterano da guerra vive sozinho e recluso cheio de manias. Mas sua rotina muda quando conhece um chinês, perdido e roubado, que aparece para mudar seu mundo a partir de uma coincidência inusitada. O ator Ricardo Darín (O Segredo dos seus Olhos) novamente está genial num filme feito para nos lembrar como a vida é e deve ser simples de ser vivida.

AGENDA
*Cineclube Alexandrino Moreira: Segunda, dia 16/04 será exibido a comédia “Irene, A Teimosa” de Gregory La Cava com Carole Lombard no elenco. A exibição acontecerá às 19h com entrada franca e debate após a exibição com críticos da ACCPA.
*Cine Olympia: Continua a programação do festival CENTENÁRIO que faz parte das comemorações do aniversário de 100 anos do cine Olympia. O festival está exibindo filmes que fizeram sucesso no Olympia em várias décadas. Hoje às 18:30h será exibido o clássico “Sinfonia de Paris” de Vicente Minelli com Gene Kelly no elenco. Confira a programação do festival : Dia 10 : “Neste Mundo e no Outro”, Dia 11:”Viridiana” de Luis Buñuel, Dia 12: “O Império dos Sentidos” de Nagisa Oshima, Dia 13 : “O Fim do Mundo”, Dia 14: “Syryana” e Dia 15 : “...E o Vento Levou” com Clark Gable. Todos os filmes tem entrada franca com sessão às 18:30h (com exceção de “E o Vento Levou” que será exibido às 16h).
*Cine Líbero Luxardo: "Uma Doce Mentira" de Pierre Salvadori será exibido no período de 28 a 01 de abril e 04 de abril a 08 de abril, às 19h. Sabádo, dia 14, na sessão Cult será exibido o filme "Um Burgês Muito Pequeno" de Mario Monicelli às 16h com entrada franca e debate após a projeção.
.*Cine Estação: Continua a exibição do excelente “A Separação” de Asghar Farhadi que ganhou vários prêmios internacionais incluindo o “Oscar” de melhor filme estrangeiro. Confira as datas : Dia 8 (domingo): 10h, 18h e 20h30, Dia 12 (quinta): 18h e 20h30, Dia 13 (sexta): 18h e 20h30, Dia 14 (sábado): 18h e 20h30 e Dia 15 (domingo): 10h, 18h e 20h30.
*Cine Sesc Boulevard : "Carmem" de Carlos Saura será exibido dia 11/04 às 19h com entrada franca e debate com críticos da ACCPA.
* Cine Saraiva : "Elza e Fred", bela produção argentina, será exibido dia 10/04 às 19h com entrada franca e debate após a exibição.

Cine Troppo - De 09 a 15/07/20