Cine Troppo - De 23 a 29/03/17

CINE TROPPO
Marco Antonio Moreira Carvalho



O cinema humanista de Ken Loach 
"Eu, Daniel Blake" é um filme que busca a realidade sem delírios ou ilusionismos formais ou visuais. A história de Daniel Blake é a mesma de diversos personagens reais que trabalham, produzem e geram "lucros" para empresas e/ou estado, mas que buscam pelos seus direitos sem encontrá-los no momento em que não "servem" mais para o sistema. Filmado com simplicidade com claras influências do cinema neo-realista italiano (que evidenciava filmagens em locações reais com luz natural e histórias do dia a dia do povo italiano como em “Ladrões de Bicicleta” de Vittorio De Sicca), "Eu, Daniel Blake" nos lembra de um humanismo que muitas vezes está ausente de muitas produções no cinema atual. Entendo que o cinema como arte deve registrar com mais frequência este aspecto. Loach, com sensibilidade, realizou um belo e amargo trabalho que merece diversas análises fílmicas.
O filme nos mostra a história de Daniel Blake (ótima atuação de Dave Johns),vivúvo de 50 anos que diagnosticado com um grave problema de coração, tem indicação médica para deixar de trabalhar. Mas quando tenta receber os benefícios do Estado que lhe concedam uma forma de subsistência, enfrenta forte burocracia que muitas vezes é constrangedora e injusta. Ele tenta provar a sua incapacidade, mas não consegue respeito e solidariedade do aparelho estatal. Durante uma espera numa repartição da Segurança Social, Blake conhece Katie (Hayley Squires), uma mãe solteira de duas crianças que precisa de auxílio financeiro. Ambos acabam se aproximando pelas dificuldades e tentam encontrar esperanças.
“Eu, Daniel Blake” pode parecer um filme prevísivel na sua narrativa e desfecho, mas entendo que o que acontece com este e outros personagens que lutam pela sua sobrevivência é prevísivel também, pois atos de injustiça e desprezo acontecem todos os dias nas filas e instituições públicas. Prevísivel, mas realista? Sim. Óbvio talvez em algumas conclusões, mas realista? Sim. No final, amargo e real, percebemos que Blake perde sua luta, seus direitos. E no dia seguinte, tudo continua. As injustiças, a falta de solidariedade, a falta de direitos, a falta de humanismo, a falta de respeito. “Eu, Daniel Blake” provoca reflexões e emoções. Vencedor da Palma de Ouro na edição de 2016 do Festival de Cinema de Cannes é um filme digno da carreira de Kenneth Loach, cineasta com uma filmografia que apresenta fortes contextos políticos, sociais e comportamentais como em “Vida em Família” (1972) e “Ventos da Liberdade” (2006). Assista a seu novo filme e procure conhecer sua obra. Ken Loach merece nossa atenção.
*A próxima ação do Centro de Estudos Cinematográficos (CEC) acontecerá no dia 28/03 na Casa das Artes com palestra da professora e crítica de cinema Luzia Miranda Álvares sobre a Mulher e a forma como é/foi representada no Cinema. “De Branca de Neve às Vadias: Imagens da Mulher no Cinema” terá Inscrições gratuitas que poderão ser realizadas no local da palestra.

INDICAÇÕES
ESTREIAS

“Neruda”
Filme de Pablo Larrain
Cine Líbero Luxardo

“Fragmentado”
Filme de M. Night
Com James McAvoy

PALESTRA
“De Branca de Neve às Vadias: Imagens da Mulher no Cinema”
Palestra da professora Luzia Miranda Álvares
Centro de Estudos Cinematográficos (Casa das Artes) – Dia 28/03

CINECLUBE
“O Dragão da Maldade contra o Santo Guerreiro” (1969)
Filme de Glauber Rocha
Cineclube Alexandrino Moreira - Dia 27/03

MEMÓRIA
“A Fraternidade é Vermelha” (1995)
Filme de K. Kieslowski
Cartaz exibido nos cinemas franceses nos anos 90

 AGENDA
*Cineclube Alexandrino Moreira:
Dia 27/03 – O Cinema de Glauber Rocha: “O Dragão da Maldade contra o Santo Guerreiro” (1969). Sessão às 19h. Entrada franca.
*Cine Olympia:
Até dia 28/03 – “Semana Francofonia”. Exibição de filmes falados em francês. Sessão às 18h30min (exceto domingo às 17h30min). Entrada franca.
*Cine Líbero Luxardo:
Até dia 26/03– “Neruda” e “Eu, Daniel Blake”.
*Cineclube da Casa da Linguagem:
Dia 30/03 – “Gravidade” de Alfonso Cuarón. Sessão às 18h. Entrada franca.






Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

E O FINAL DE "ONDE OS FRACOS NÃO TEM VEZ"

Cine Troppo - De 21 a 27/12/17

Cine Troppo - De 25 a 31/01/18