FESTIVAL DE CINEMA DE PAULÍNIA/SP - 1

FESTIVAL DE PAULÍNIA
Marco Antonio Moreira

Começou no dia 07/07, o 4º Festival de Cinema de Paulínia, cidade próxima de Campinas em SP, que hoje é considerada como um dos mais fortes pólos de produção do cinema brasileiro. O festival está acontecendo no Theatro Municipal de Paulínia,que tem um excelente auditório com som e imagem perfeitos para exibição de filmes brasileiros.
No primeiro dia, como filme de abertura do festival, foi exibido "Corações Sujos" de Vicente Amorim, baseado no livro de Fernando Moraes. Um bom filme que fez uma série de alterações com relação ao original mas que agradou o público que aplaudiu no final da sessão.
No dia seguinte, começou a mostra competitiva com a exibição dos curta-metragens "O Cão" de Abel Roland e "Polaroid Circus" de Marcos Melo e Jacques Dequeker. Mas o grande momento da noite foi o belo filme de Selton Mello, "O Palhaço" que lotou o auditório com centenas de pessoas do lado de fora do teatro querendo entrar, fato que foi resolvido pela organização do festival. "O Palhaço" é um belo filme, com claras inspirações na obra de Fellini e na influência mágica que o circo exerce em todas as pessoas. Um belo trabalho que merecia um prêmio para a atuação de Paulo José que está perfeito. Ouro destaque neste dia foi a exibição do novo filme de Lúcia Murat, "Uma Longa Viagem", filme auto-biográfico sobre sua família que mistura documentário e ficção. Apesar de ser um filme irregular, agradou parte da crítica presente.
No dia 09, o curta-metragista Carlos Nader mostrou seu novo e interesante filme, "Tela" que como sempre acontece nos trabalhos de Nader, divide opiniões.Logo em seguida, foi exibido "Rock Brasília - Era de Ouro" de Vladimir Carvalho sobre o rock que surgiu em Brasília nos anos 80 com bandas como Legião Urbana e Plebe Rude. Outro curta foi exibido, com menos impacto : "A Grande Viagem", um filme de memórias sobre um homem que começa a perceber a sua idade avançada chegando. Por fim, a noite terminou com o longa-metragem "Meu País" de André Ristum que conquistou parte da crítica pelo extremo bom gosto da produção do filme e pelo roteiro simples mas emotivo sobre a relação de 3 irmãos após a morte de seu pai. Rodrigo Santoro é o destaque do filme junto com Débora Fallabela.
Além de filmes, o festival de Paulínia promove debate entre os realizadores com os jornalistas presente e todos os debates foram extremamente profissionais e interessantes, especialmente com Lúcia Murat e Selton Mello, falando sobre a idéia de seus filmes e eventualmente colocando seus novos projetos. Um dos momentos mais importantes do evento foi a palestra sobre os novos meios de ditribuição de filmes com a participação de representantes do You TUBE e o diretor Jose Padilha (Tropa de Elite) que anunciou sua intenção de criar uma distribuidora de filmes para mudar o esquema de distribuição de filmes que acontece no Brasil hoje.
Paulínia é, em alguns momentos, uma cidade de sonhos para quem gosta de cinema. Tudo funciona com perfeição na projeção dos filmes, na organização do festival, no incetivo à produção de filmes brasileiros e principalmente por deixar claro que o cinema brasileiro pode evoluir muito quando existir uma parceria entre realizadores, governos e iniciativa privada. Felizmente, o sonho ainda não acabou. Espero que um dia, tenhamos uma Paulínia para incentivar e fazer acontecer o nosso cinema paraense.

Marco Antonio Moreira
Direto de Paulínia/São Paulo

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

E O FINAL DE "ONDE OS FRACOS NÃO TEM VEZ"

Cine Troppo - De 21 a 27/12/17

Cine Troppo - De 25 a 31/01/18