CINE TROPPO - SEMANA DE 02 À 08/08/13

Cine Troppo
Marco Antonio Moreira Carvalho



“A SEGURANÇA INTERNA” É UM DOCUMENTO POLÍTICO E O RELATO DE UM DESENVOLVIMENTO INDIVIDUAL E PSICOLÓGICO
O filme é, ao mesmo tempo, um documento político e o relato de um desenvolvimento individual e psicológico. À primeira vista, ele parece tratar do destino de terroristas dos anos 70 que vivem hoje na clandestinidade. Mas este motivo político se enfraqueceu no decorrer dos anos e hoje nada mais é que uma bandeira tremulando ao vento: o grupo só se mantém unido pelo desejo de sobreviver. O objetivo se esmaeceu e nem chega a ser abordado pelo filme. Os pais de Jeanne quase poderiam ser um casal de criminosos comuns. Seu único objetivo de vida é sobreviver e não serem pegos pela polícia. Para os pais isso é uma questão de disciplina que se aprende com o tempo. Para a filha, no entanto, o problema é bem diferente. Ela está numa fase de formação da personalidade e esta é uma fase em que o adolescente gosta de estar em contato com pessoas da sua idade. Jeanne não foi marcada por nenhum modelo de comportamento adquirido ou qualquer antagonismo ideológico ao Estado. Isso pode gerar um sério conflito. Agora, a esfera privada também pode indiciar um comportamento político. A vida familiar, fechada para o exterior, cria uma espécie de estado dentro do Estado, que se define pela oposição ao Estado burguês. O ponto forte deste filme é a descrição e a análise desse comportamento social interno.O diretor dizia que, quando fantasmas querem se tornar seres humanos, eles sempre se transformam em protagonistas de uma tragédia. Esta tragédia é o tema do filme. Pai e mãe são, na verdade, fantasmas separados dos outros seres humanos por uma parede invisível. Há também os que derrubam esta parede, como Jeanne durante uma conversa com Heinrich, no momento de uma possível revelação. O carro da família, o Volvo branco, é como um caixão, onde a família transporta seu pequeno cosmo. Assim também a mansão vazia em Hamburgo que lhes oferece refúgio, mas que não deixa de ser uma prisão. O diretor menciona que os pais vivem quase como vampiros, isolados da vida normal. Isso se evidencia principalmente na fronteira, quando os pais descem repentinamente do carro. Fantasmagórico é também o trajeto de carro por uma alameda escura, após a frustrada tentativa de entrega do dinheiro.A tranqüila força das imagens, cuidadosamente escolhidas com reflexão e inteligência, sem nenhuma intenção de apontar um dedo acusador ou de procurar por simbolismos, é o ponto forte deste filme.A encenação é tão precisa e sem floreios, como o livro e o diálogo escrito em conjunto pelo conhecido documentarista Harun Farocki e Christian Petzold. Um exemplo particularmente belo para a expressiva descrição da atmosfera e do estado emocional da família, é a cena em um cruzamento, quando a família acredita ter sido cercada pela polícia: o pai sai do carro de braços erguidos, mas os carros pretos que tinham se acercado dele no cruzamento, seguem seu rumo sem lhe dar atenção. Alarme falso. Mas automóveis pretos como mensageiros do destino tornam-se reais e aparecem de repente, quando surgem do nada durante a fuga, cercam e matam a família. A caçada chega ao fim. A última cena não mostra policiais e nem os pais da garota - só Jeanne, sozinha e transtornada. (Informe – Instituto Goethe)
*”A Segurança Interna” está em exibição no Cine Olympia até o dia 08/08.

ESTREIAS DA SEMANA


"Depois de Maio" tem sua história na década de 1970. Um jovem estudante está imerso na atmosfera criativa e política da época. Como os seus colegas, ele está dividido entre o investimento radical na luta política e a realização de desejos pessoais. (Cine Estação)
"A Segurança Interna" (Cine Olympia)
"Os Smurfs 2"
“Red 2 – Aposentados e ainda mais Perigosos”

AGENDA
*Cineclube Alexandrino Moreira :
Dia 12/08 - “Black Moon” de Louis Malle. Sessão às 19h. Entrada Franca. Debate após a exibição.
*Cine Olympia:
De 02 à 08/08/13 – "A Segurança Interna" de Christian Petzold. Um casal de ex-militantes do movimento terrorista dos anos 70 vive há tempos na clandestinidade com sua filha adolescente, Jeanne. Em algum lugar em Portugal, eles tentam construir uma identidade mais ou menos legal, mas um descuido faz tudo ruir por terra. No meio do caos, Jeanne se apaixona por Henrich, que acolhe a família em sua casa abandonada em Hamburgo.Sessão às 18:30 h - Entrada Franca.Apoio : Instituto Goethe
*Cine Líbero Luxardo:
De 31/07 à 11/08 - “César deve Morrer” dos irmãos Taviani.
*Cine Estação :
De 01 à 29/08 - "Depois de Maio" de Olivier Assayas, filme indicado ao Leão de Ouro na última edição do Festival de Cinema de Veneza.
*Cine Sesc :
Dia 08/08 - “O Bandido da Luz Vermelha” de Rogério Sganzerla. Sessão às 19:00h. Entrada Franca.
* Cine Saraiva: Dia 26/08 - "Amém" de Costa Gavras. Sessão às 18h. Entrada Franca. Parceria da ACCPA e APC (Academia Paraense de Ciências)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

E O FINAL DE "ONDE OS FRACOS NÃO TEM VEZ"

Cine Troppo - De 21 a 27/12/17

Cine Troppo - De 25 a 31/01/18