CINE TROPPO - SEMANA DE 24 À 30/05/13

Cine Troppo
Marco Antonio Moreira Carvalho

“DEPOIS DE LÚCIA” PROVOCA O ESPECTADOR COM TEMAS POLÊMICOS E ATUAIS
Elogiado em vários festivais e por grande parte da crítica internacional, “Depois de Lúcia” chega ao circuito exibidor local para provocar polêmica. É um filme devastador porque aborda vários temas atuais de forma direta, sem exageros e nos faz pensar sobre o estado das coisas e pessoas nos dias de hoje. Afinal, o que somos e o que nos tornamos? A partir de um caso de “bullying” que uma estudante sofre numa escola, o filme questiona e ao mesmo denuncia a indiferença das pessoas e das instituições. Todas as sequências são filmadas com plano médio, estático. Não há movimentação da câmera. Tudo para evidenciar os personagens, seus sentimentos, seus bloqueios, suas emoções e seu mundo de indiferenças. O filme começa com uma jovem estudante e seu pai mudando-se para outra cidade para recomeçar depois da morte da mãe. Lentamente, através de poucos diálogos entre pai e filha, descobrimos que a mãe morreu quando a filha estava aprendendo a dirigir e cometeu um erro, causando o acidente mortal. Devastados, pai e filha tentam recomeçar. O pai, trabalhando em um novo negócio e a filha indo para a escola. Lá, aos poucos tenta se socializar mas devido a culpa pela morte da mãe, ela progressivamente vai aceitando o “bullying” dos colegas da escola. Cenas fortes, para alguns até exageradas, provocam o espectador. Mas o diretor não quer falar apenas disso. Ele usa este caso para mostra a indiferença das pessoas e o distanciamento das instituições sobre situações como esta. Escola, famílias, policia, alguém se interessa pelo drama da garota? Alguma mudança à vista? Vivemos num mundo de intolerâncias e indiferenças?
“Depois de Lúcia” faz estas e outras perguntas ao abordar estes assuntos com simplicidade e sensibilidade. No final polêmico, a crueldade assume o comando. Mas o que é a crueldade? Resultado da indiferença, da insensibilidade, do individualismo das pessoas hoje? O filme é seco, não tem interesse em emocionar mas sim em chocar, sacudir, provocar reações. E consegue. Duro, forte, realista e polêmico, “Depois de Lúcia” merece ser visto e discutido. Poucos diálogos, uma forma de filmar diferenciada e um realismo incomum podem incomodar o espectador mais filmes como este lançam um olhar voraz sobre o que aparentemente é normal nos dias de hoje e deixa claro que manifestações como “bullying”, vingança, individualismo, adolescência perdida (?) e o abandono das instituições “oficias” sobre estes problemas não podem ser desconsideradas. Ao contrário, merecem discussão para saber até que baixo nível nossa sociedade pode ainda chegar.

ESTRÉIAS DA SEMANA
“Depois de Lúcia” (Cine Líbero Luxardo) foi exibido no Festival de Cannes e retrata a degeneração moral e ética por trás do "bullying".
“Sob Você, A Cidade” (Cine Olympia)
“Velozes e Furiosos 6”
“Sem Tormento” de Robert Redford

INDICAÇÕES DVD
“Medo e Desejo” é o primeiro filme dirigido por Stanley Kubrick (2001/Laranja Mecânica/O Iluminado). Depois que conseguiu o controle completo de sua obra, Kubrick não permitiu que este filme fosse distribuído e/ou exibido por ter sido realizado de forma amadora. Com o tempo, o filme virou uma raridade que finalmente agora chega em DVD para o delírio dos fãs do diretor.

“Carrossel da Esperança” tem na direção o genial Jacques Tati, mesmo diretor de “Meu Tio” e “As Férias do Mr. Hulot”. Em 1947, Tati realizaou “Carrosel da Esperança” em duas versões: colorido e preto e branco. Quando foi lançado em 1949, o público só pode ver a cópia em preto e branco. Agora, nesta versão restaurada, podemos ver o filme tal como Tati desejou desde o início.

AGENDA

*Cineclube Alexandrino Moreira (Auditório do IAP):
Dia 03/06 - “O Vídeo de Benny” de Michal Haneke Exibição às 19h. Entrada Franca.
Dia 17/06 – “O Sétimo Sêlo” de Ingmar Bergman. Exibição às 19h. Entrada Franca.
*Debate após a exibição com críticos da ACCPA. Apoio: ACCPA.

*Cine Olympia:
De 24 à 30/05 – “Sob Você, A Cidade” de Christoph Hochhäusler. Exibido na Mostra “Un Certan Regard” do Festival de Cannes. Sessão às 18:30 . Entrada Franca. Apoio : Instituto Goethe.
Dia 26/05 – “Gilda” com Rita Hayworth. Sessão Cinemateca. Exibição às 16h. Entrada Franca. Apoio : ACCPA
Dia 31/05 – “Nunca fui tão Feliz” de Alexander Adolph
Programação completa no site www.cinemaolympia.com.br.

*Cine Líbero Luxardo:
De 22 à 02/06 – “Depois de Lúcia”. Premiado em Cannes, o longa do diretor mexicano Michel Franco retrata a degeneração moral e ética por trás do bullying.
Dia 01/06 – “Trono Manchado de Sangue” de Akira Kurosawa. Sessão Cult às 16h com entrada franca de debate após a exibição. Apoio : ACCPA.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

E O FINAL DE "ONDE OS FRACOS NÃO TEM VEZ"

Cine Troppo - De 02 a 08/03/17

Cine Troppo - De 21 a 27/12/17