CINE TROPPO
Marco Antonio Moreira Carvalho
Lançamentos da Semana
Caso não haja alterações de última hora, as estréias da semana são “Eu Receberias as Piores Notícias dos seus lindos Lábios”, “A Perseguição” e “American Pie – O Retorno”
“Eu Receberias as Piores Notícias dos seus lindos Lábios” é inspirado na obra homônima do escritor Marçal Aquino. O filme conta a história de um triângulo amoroso que envolve Cauby (Gustavo Machado), um fotógrafo de passagem pelo interior da Amazônia, a bela e instável Lavínia (Camila Pitanga) e seu marido, o pastor Ernani (Zecarlos Machado), que acredita ser possível consertar as contradições do mundo. O filme é dirigido por Beto Brant(O Invasor) e Renato Ciasca. O filme teve filmagens em Santarém e ganhou prêmio de melhor atriz (Camila Pitanga) no Festival do Rio em 2011 e melhor filme no Festival de Huelva (Espanha), ano passado.No elenco, vários paraenses com destaque para o ator Adriano Barroso.
Em “A Perseguição”, ao tentar fazer uma viagem tranquila para casa, um grupo de extratores de petróleo do Alasca acaba sofrendo um acidente aéreo. Do total de 125 passageiros, apenas 8 sobrevivem. Machucados, eles tentam se recuperar quando descobrem que aquele é um local habitado por uma matilha de lobos selvagens. No Considerando os humanos invasores, os animais passam a caçar lentamente os sobreviventes da queda do avião, levando-os a uma intensa luta por sobrevivência. No elenco, Liam Neeson (Busca Implacável/A Lista de Schindler).
Em “American Pie – O Retorno” todos os personagens da “série” que foi lançada a quase dez anos atrás retornam para uma reunião do colégio. No fim de semana há muito aguardado, eles vão descobrir o que mudou, quem não mudou e que o tempo e a distância não são capazes de destruir os laços da amizade.No elenco, Jason Biggs, Eugene Levy e Seann William Scott.
 
CINEMA OLYMPIA 100 ANOS – UMA DATA HISTÓRICA
É com muito orgulho e com uma emoção especial que sou testemunha da chegada do centenário do Cinema Olympia no próximo dia 24 de abril de 2012. Numa época onde os cinemas de rua estão cada vez menos presentes nas novas gerações, perdendo assim uma magia e um estilo diferenciado com relação aos chamados cinemas de shopping, saber que um cinema que marcou inúmeras gerações sobreviveu e chega ao seu centenário, realmente é empolgante. Mais do que um cinema, o Olympia é um patrimônio histórico e cultural do estado do Pará, da cidade de Belém. Sua história, de certa forma, está na história de tantos espectadores que nesta sala de exibição tiveram seus sonhos, suas surpresas, suas emoções e suas descobertas através de tantos filmes que ali foram exibidos. Como uma referência emocional obrigatória para quem realmente é cinemaníaco, o Olympia viveu vários momentos de sucesso e também de perdas, especialmente quando houve uma grave crise no mercado exibidor nos anos 90. Mas mesmo assim, renasceu. E quando parecia tudo perdido, no momento que o proprietário do cinema anunciou seu fechamento em 2006, mais uma vez o Olympia renasceu partindo da manifestação popular que não aceitou o fechamento da sala e chegando na feliz decisão da prefeitura local em locar o espaço e manter viva sua atividade : cinema. Dessa forma, o sonho continua. Novos espectadores poderão ver filmes neste cinema e criar suas memórias, assim como eu. Tenho vários momentos para lembrar no Olympia vendo filmes inesquecíveis como “Laranja Mecânica” de Stanley Kubrick, os desenhos animados dos estúdios Disney, “Psicose” de Alfred Hitchcock (lembro de meu pai explicando porque no letreiro do cinema estava “PSICOSE” DE HITHCOCK com ele dizendo que “somente os grandes diretores tem seus nomes nos letreiros dos cinemas ao lado do nome do filme”), entre outros momentos que guardarei para sempre no meu coração e mente, especialmente aqueles que envolvem as idas ao cinemas com meu pai, mãe e irmãos.  
Como programador do cinema desde 2006, fico feliz em ver que o cinema Olympia hoje é um espaço com um foco cultural importante que procura ter uma programação mais selecionada, dando chance ao público de ver trabalhos que dificilmente seriam exibidos nos cinemas formando assim uma platéia que veja no cinema muito mais do que diversão mais também arte e cultura. Para isso, o apoio da Prefeitura e dos parceiros como embaixadas, consulados, distribuidoras, associação de críticos (ACCPA) e especialmente a colaboração dos críticos Pedro Veriano e Luzia Álvares foram de extrema importância. Uma nova história começou a ser escrita com o público freqüentando o cinema com entrada gratuita, e sempre se impressionando com sua arquitetura clássica, de tela grande, entrada pela frente da tela e detalhes de construção de um tempo que passou mais que deixou sua marca.O velho Olympia de nossas memórias ainda  pulsa dentro da sala de exibição e o novo Olympia também na medida que o público se renova e prestigia sua programação e mais do que isso, sua importância. Ao chegar nesta data histórica, o Olympia merece ser aclamado pela referência que representa na memória de cada um de seus freqüentadores de ontem, de hoje e do futuro. Parabéns, Cine Olympia. A magia o do cinema continua. O sonho continua. (Marco Antonio Moreira)
 
 

Comentários

marcia farias disse…
Adorei seu blog.Sinto saudades da minha época de cinema.
Rafael Araújo disse…
Parabéns pela tua participação no jornal televisivo de maior audiência no país.Tinhas que ser tu mesmo,um cara que luta pelo cinema da nossa cidade.Viva ao Olimpia e aos espaços de democracia do cinema alternativo.Valeu Marco!

Postagens mais visitadas deste blog

E O FINAL DE "ONDE OS FRACOS NÃO TEM VEZ"

Cine Troppo - De 21 a 27/12/17

Cine Troppo - De 25 a 31/01/18