CINE TROPPO - SEMANA DE 09 À 15/03/12


CINE TROPPO
Marco Antonio Moreira Carvalho
Lançamentos da Semana
Caso não haja alterações de última hora, as estréias da semana são “John Carter – Entre Dois Mundos”, “O Pacto” e "L'Apollonide - Os Amores da Casa de Tolerância".
“John Carter – Entre Dois Mundos” é uma adaptação cinematográfica de “A Princesa de Marte” (John Carter de Marte), clássico romance de Edgar Rice Burroughs (autor de “Tarzan”), cujas aventuras influenciaram vários livros e filmes. A história é ambientada no misterioso e exótico planeta de Barsoom. O filme conta a história de John Carter que é inexplicavelmente transportado para Marte onde se vê envolvido em um conflito de proporções épicas entre os habitantes do planeta, incluindo Tars Tarkas e a atraente Princesa Dejah Thoris. Em um mundo à beira do colapso, Carter descobre que a sobrevivência de Barsoom e de seu povo está em suas mãos. A direção do filme é de Andrew Stanton ('Procurando Nemo', 'Wall-E').É um dos filmes mais caros já produzidos pelos estúdios Disney.
“O Pacto” tem como protagonista o ator Nicolas Cage no papel de um homem chamado Will que leva uma vida pacífica até o dia em que sua esposa é atacada brutalmente por um desconhecido. Em seguida um estranho aparece oferecendo a Will um plano de vingança com a condição de que o serviço seja retribuído em outra ocasião. O que Will não desconfia é que logo ele será cobrado para pagar a dívida cometendo um crime também.
"L'Apollonide - Os Amores da Casa de Tolerância” foi selecionado para a competição do Festival de Cannes 2011. No início do século XX, o bordel L’Apollonide vive seus últimos dias. Neste mundo fechado, onde alguns homens se apaixonam e outros se tornam viciosamente perigosos, as garotas dividem seus segredos e suas rivalidades, seus medos, dores e também o prazer. O filme teve várias indicações ao “César” (maior prêmio do cinema francêrs) incluindo melhor atriz revelação, melhor atriz coadjuvante melhor fotografia e melhor trilha sonora.

QUADRO DE COTAÇÕES / ACCPA
FILMES MARCO MOREIRA PEDRO VERIANO LUZIA ÁLVARES
“A Invenção
de Hugo
Cabret” Excelente/Excelente/Excelente
--------------------------------------------------------------------
“O Garoto da
Bicicleta” Excelente/Excelente/Excelente
--------------------------------------------------------------------
“Freud
Além
da Alma” Muito Bom/ Bom/Bom
--------------------------------------------------------------------
“A Dama
de Ferro” Razoável/Razoável/Razoável
--------------------------------------------------------------------
“Tão Forte,
Tão Perto” Razoável/Muito Bom/Muito Bom
--------------------------------------------------------------------
“Transeunte” Excelente/-/-
--------------------------------------------------------------------

Críticas/”O GAROTO DA BICILETA”
O cinema dos irmãos Dardenne é emotivo sem ser dramático, sensível sem ser apelativo e realista ao abordar temas tão comuns as pessoas. Seus filmes tem um estilo aparentemente distante e/ou frio do tema apresentado maIs na realidade os diretores procuram revelar aos espectadores uma densidade e profundidade da história de uma forma realista, provocadora e reflexiva. Em “A Criança”, seu primeiro grande filme, eles já tinham abordado um tema humanista sobre o mundo em que vivemos e o resultado foi brilhante. Em “O Garoto da Bicicleta” vemos a relação de uma criança com um mundo que ela não entende. Aqui, o pequeno Curyll não entende porque seu pai repentinamente o abandonou. Incansável na busca do pai e de uma resposta, este menino passa por uma transformação que não o permite perceber as relações e emoções que o envolvem. O único momento de paz e conforto deste menino é quando está na bicicleta dada pelo seu pai. E neste confronto/conflito que ele vive com as pessoas, coisas, mundo e finalmente com seu próprio pai após o reencontro, ele se transforma novamente. O mundo frio e calculista que se apresenta, é confirmado. Seu pai o abandona. Ponto final. E o que fazer com isso? Como viver com isso? Como mudar as poucas relações afetivas que o mundo nos apresenta? Como amar sem ser amado pelo próprio pai? Como seguir em diante? Estas são algumas das perguntas levantas neste belo filme que conquista o espectador aos poucos e nos aproxima de um drama comum ao ser humano, que através dos olhos e sentimentos de um menino, causa emoção e reflexão ao seu final. Excelente trabalho que já é um dos melhores filmes exibidos este ano. (Marco Antonio Moreira)

O pequeno Cyrill não se conforma em ficar retido num orfanato sabendo que tem pai vivo. Mas o pai não quer saber dele. Num consultório médico, ao procurar o apartamento onde o pai morava, ele vai esbarrar em Samantha, uma cabeleireira que passa a se dedicar ao seu problema e acabar assumindo a condição de sua tutora. Por causa do menino ela estremece a relação com o namorado e começa a viver um pesadelo quando sabe que o protegido se meteu com marginais e está cometendo pequenos delitos.“O Garoto da Bicicleta”(Le Gamin au Veio) é um filme dos irmãos Jean-Pierre e Luc Dardenne e não o primeiro em que eles vêem a infância (há “Le Fils” e “A Criança”). Fugindo das armadilhas melodramáticas, mas sem desprezar as lições do neo-realismo que consagrou cineastas como De Sica, eles procuram tratar um drama social adentrando numa linha introspectiva, tentando com pouca musica incidental (apenas em um momento a 5ª de Beethoven) e câmera na mão dimensionar o garoto do titulo, apegado à sua bicicleta como presente do pai que não lhe ama e o relicário de seus dias menos dramáticos. Claro que o pequeno interprete, Thomas Doret, dá o seu show. Mas as honras eu acho que devem ser divididas com Cecile De France, aquela bela atriz que Clint Eastwood botou num tusiname em seu “Além da Vida”. Ela compõe a mulher decidida que prefere vestir a roupa de desamada a deixar escapar a chance de fazer alguém feliz (ou menos infeliz). Um filme bonito, de linguagem acessível a todos, e com a quota de emoção perfeita para se sentir no cinema sem chegar ao choramingas de tantos dramas parecidos. (Pedro Veriano)

Mais um olhar dos irmãos Dardenne (Jean-Pierre e Luc) para a criança é o que se vê em “O Garoto da Bicicleta”(Le Gamin au Veio> Belgica,2010). Eles viram, antes, menores desamparados em “O Filho” e “A Criança”. A vez agora é de Cyril (Thomas Doret), abandonado pelo pai a quem adora sem ao menos um adeus. Inconformado, procura sair de qualquer forma do orfanato onde foi parar, em busca desse pai que para ele ainda está num velho endereço. Mas não é bem sucedido. E, na busca, esbarra numa cabelereira (Cecile De France) que espera uma consulta médica. O encontro é para o bem de Cyrill. A jovem chega a abandonar uma relação amorosa para conviver com o garoto rebelde por se sentir abandonado. E a opção mostra-se gradativamente sofrida quando ela sabe que ele encontrou um pequeno ladrão que se apossa de sua ingenuidade e agilidade. Diferente dos outros filmes, os Dardenne, desta vez, mostram-se otimistas. Entre muitas situações dramáticas eles abrem espaço para um caminho a seguir para o pequeno personagem. O último plano não fecha o destino dele, mas é promissor.
Garoto da bicicleta posto que o veículo é um elo de ligação com a imagem paterna. Cyrill encontra o objeto que o pai lhe dera e depois tomara (vendera) como chega a acha-lo na cozinha de um restaurante. Mas o papel desse pai se esvoaça quando o menino procura-o para dar a ele um dinheiro roubado. Não há nem mesmo uma repreensão pelo fato. O homem diz apenas: “-Não me procure mais”. A narrativa opta pela câmera manual com insistência, e prefere os planos próximos. Essa, aliás, é a métrica de uma linguagem introspectiva. E para isso exige bastante dos interpretes. Todos afinam com um trabalho exemplar que emociona sem apelar para clichês ou pieguice. Um filme excelente a ser visto e, certamente, aplaudido.(Luzia Álvares)

AGENDA
*Cineclube Alexandrino Moreira: A ACCPA em parceria com IAP exibe no dia 19/02 o filme “Vida em Familia” de Ken Loach, que aborda a repressão familiar e a ineficácia e crueldade dos tratamentos psiquiátricos, através da história de uma jovem de 19 anos. A exibição será às 19h com entrada franca e debate após a exibição.
*Cine Olympia: Continua em exibição “Transeunte” dentro da mostra de filmes do diretor Eryk Rocha. É um belo trabalho que mostra a história de um aposentado solitário que perde os laços afetivos com a vida e com as pessoas.”Transeunte” foi eleito o melhor filme brasileiro ano passado pela ABRACCINE (Associação Brasileira dos Críticos de Cinemas). Sessão às 18:30 h com entrada franca. Domingo, dia 11/03, acontecerá a sessão CINEMATECA, dentro da programação do centenário do cine Olympia, numa parceria com a ACCPA. Serão exibidos filmes que fora projetados no Olympia e que fizeram sucesso de público e crítica. A programação começa com "Ladrão de Bagdá", versão de 1940.Entrada franca às 16h.
*Cine Líbero Luxardo: Está em exibição desde quarta-feira o filme francês "L'Apollonide - Os Amores da Casa de Tolerância" de Bertrand Bonello. Maiores informações na seção ESTREIAS DA SEMANA. O filme será exibido nas seguintes datas:07 a 10/03 (19h), 11/03 (16h30 e 19h), 14 a 17/03 (19h) e 18/03 (16h30 e 19h).
.*Cine Estação: “O Garoto da Bicicleta”, belo filme dos irmãos Dardenne (realizadores de “A Criança” e “O Segredo de Lorna”) tem hoje seu último dia de exibição com sessões às 10h, 18h e 20h30. Não deixe de ver. É um dos melhores filmes exibidos este ano em nosso circuito.
* Cine Sesc Boulevard : Em parceria com a ACCPA, será exibido na quarta-feira, dia 21/03, o documentário “Os Anos JK” de Silvio Tendler que mostra a trajetória política do presidente Juscelino Kubitshek. A exibição começará às 19h com entrada franca e debate após o filme.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

E O FINAL DE "ONDE OS FRACOS NÃO TEM VEZ"

Cine Troppo - De 21 a 27/12/17

Cine Troppo - De 25 a 31/01/18